All for Joomla All for Webmasters

Carro na reserva, posto sem combustível. E agora?

Autos e Motos - Roberto Nunes
Typography

Meu carro entrou na reserva na última sexta-feira. Os postos de Londrina, como os de milhares de outras cidades do País, estão sem combustíveis desde quinta-feira passada, por isso, eu e meu marido estamos calculando rigorosamente os quilômetros rodados para evitar uma pane seca (quando o carro para por falta de combustível – aliás, passível de multa).

Em Foz do Iguaçu não é diferente, não há combustível para contar história. Toda essa “secura” é fruto da greve nacional dos caminhoneiros, que entra hoje no oitavo dia.

Mas aí fica a dúvida: quando o carro entra na reserva, quanto ainda posso rodar? Em caso emergência, posso abastecer com álcool comprado na farmácia? Usar a “banguela” é recomendado?

Para esclarecer tudo isso procurei um especialista, o coordenador do curso Técnico em Mecânica Automotiva do Senai Londrina, Edison Bonifácio. Confira entrevista abaixo e se tiver mais dúvidas, mande para a gente!

Rodar com o carro na reserva pode causar algum dano ao motor do carro?

A bomba de combustível dos veículos modernos é tocada por um motor elétrico que é arrefecido pelo próprio combustível, então quanto mais baixo for o nível no tanque menor é o arrefecimento da bomba, por isso não se recomenda rodar com o tanque muito baixo porque pode causar o aquecimento e a queima da bomba.

Uma imagem que ninguém quer ver nesses dias…

 

Existe um limite padrão na reserva dos carros? 

O volume da reserva varia de acordo com o volume total do tanque, podendo ser em torno de 5 a 7 litros para os veículos mais comuns. Este valor está registrado no manual do veículo. Quando o veículo entra na reserva o proprietário deve fazer um cálculo, levando em consideração a quantidade de combustível que tem na reserva do seu tanque multiplicado pelo consumo/litro, ou seja, se o veículo faz 10 km por litro e tem 5 litros na reserva do seu tanque, então multiplica-se 5 x 10 = 50 km, que é o máximo que ele poderá rodar. Mas é sempre importante levar em consideração uma margem de segurança, pois mudando o trajeto e a forma de dirigir alterará também o consumo, podendo acabar um pouco antes do valor calculado.

Em caso de emergência, pode-se usar álcool de farmácia para abastecer o carro?

Diante da crise e do desespero muitas pessoas estão procurando alternativas para o abastecimento de seus veículos, como, por exemplo, usar óleo de cozinha para os veículos diesel, pinga ou cachaça para os veículos a etanol ou até mesmo álcool de farmácia. A princípio o motor pode funcionar com esses produtos, mas com certeza trarão consequências para os componentes mecânicos, pois estes produtos não são adequados ao funcionamento do motor, pois contêm água e outras substâncias que podem agredir os componentes, causando danos como entupimento de filtros e bombas, desgaste prematuro de bombas e válvulas injetoras (bicos), oxidação dos componentes metálicos em contato com o combustível, etc.

Usar a “banguela” (deixar o carro no ponto morto na descida) é indicado para economizar combustível?

Pelo contrário! Neste momento, e em nenhum outro, o motorista deve usar a “banguela”, pois o veículo consome como se tivesse parado em marcha lenta, o motor funciona normalmente, enquanto que usando o “freio motor” (que é quando o motorista retira o pé do acelerador e deixa o veículo engatado) o motor não consome nada, pois o sistema de injeção percebe que a rotação do motor está elevada mas o pedal do acelerador não está sendo acionado. Neste momento o sistema de gerenciamento “corta” totalmente a injeção nas válvulas injetoras e o veículo não consome. Além de também diminuir o desgaste do sistema de freios, que é menos utilizado quando usado o freio motor.

Para quem estocou combustível em galão, que cuidados deve ter na hora de abastecer o próprio carro?

Primeiramente, a pessoa tem que tomar o cuidado de estocar o combustível em um galão apropriado para esse fim, pois um galão comum pode causar vazamento e pôr em risco a saúde e a vida das pessoas. O cuidado deverá ser tomado desde o início, ou seja, transportar de forma segura, estocar em lugar ventilado longe da residência e em tambores apropriados longe de altas temperaturas.

 

Deve-se ter muito cuidado ao abastecer o veículo sozinho

 

Na hora de colocar esse combustível no veículo tomar bastante cuidado com a limpeza do bocal do tanque, do funil ou mangueira que será utilizado para transportar o combustível do galão para o tanque, cuidar para que esse combustível não entre em contato com a pele, com os olhos e com o organismo. Cuidado também para não derramar no veículo pois poderá causar manchas no verniz ou na pintura. Ah, também é bom ressaltar o risco de incêndio, caso o combustível seja manipulado sem o devido cuidado!

Em caso de pane seca, como o motorista deve proceder?

Eu aconselho o motorista a cuidar para que a pane seca não ocorra, mas não conseguindo evitar, é aconselhável não insistir na partida. Procure o local mais seguro possível e pare imediatamente o veículo. Providencie combustível ou busque apoio de um guincho ou uma plataforma para rebocar o seu veículo até um lugar seguro. Ao tentar funcionar o veículo com várias partidas a bomba de combustível funcionará sem lubrificação o que causará a queima da mesma.

Em caso de queima da bomba, ela precisará ser trocada, correto? É uma peça cara?

Sim, deve ser trocada. É um serviço que demanda em torno de 1 a 2 horas para ser feito e, na maioria das vezes, dá para trocar apenas o “reparo” ou trocar a bomba toda, cujo custo varia entre R$ 200 e R$ 700 para os veículos mais comuns.

e-max.it: your social media marketing partner