Com graça e charme, praticava seu “jogging” vespertino diário despertando, por onde passava, olhares lascivos.

Soberana, deixava no ar um que de blindagem cujo escudo era seu próprio corpo, escultural, que emanando sensualidade provocava as mais diversas reações.

De bom mesmo do carnaval que passou, a destacar o registro de um filme documentário – Memória em Verde e Rosa – transmitido em um canal fechado de televisão enquanto transcorria o evento da folia do rei Momo e que conta a história de alguns personagens da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira.

Comprometido com sua origem de interiorano, e com ela identificado, optou, em seu breve período anual convencionado como férias, resgatá-la.