A Kia Motors tornou-se a nova parceira oficial da UEFA Europa League. Com contrato fechado para as próximas três temporadas (2018/19 – 2020/2021), a montadora terá exclusividade no segmento automotivo de patrocínio a um dos mais prestigiados campeonatos do futebol europeu.

Enquanto parceira oficial, a Kia Motors trabalhará com a UEFA na criação do primeiro Tour do troféu do torneio. A experiência permitirá que fãs do mundo todo vejam de perto o prestigiado troféu e conheçam grandes ídolos do futebol. Além disso, a montadora terá grande exposição, dentro e fora de campo, durante as temporadas da competição.

A UEFA Europa League envolve clubes de 55 federações nacionais de futebol da Europa e atinge uma audiência acumulada global de 980 milhões de telespectadores no conjunto de toda a sua programação.

Planejamento é a palavra de ordem para evitar insucesso ou, pior, acidente. O engenheiro Klever Kolberg sabe bem dessa premissa. Piloto de moto experiente, ele traz no currículo muitas participações no Rali Dakar (antigo Paris-Dakar) - a mais longa e perigosa prova de rali off road do mundo. Desde 1988, quando começou a participar do evento ao lado do também piloto André Azevedo, coleciona valiosos ensinamentos. Um deles é preço cobrado pela falta de planejamento, que, associada à escassez de recursos, acabou mandando os dois de volta para casa antes do término da competição.

“Fomos sozinhos, mal preparados, com quase 60 quilos de bagagem na moto”, relembra. “Nosso problema não começou no deserto, mas antes, na preparação”, completou Kolberg, durante sua apresentação na Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat) 2017, na sexta-feira (18), na Itaipu.

O erro de principiante se converteu em ação e virou aprendizado para a vida. “Se quiser viver uma jornada de campeão, tem que haver disposição para as mudanças. Em vez de lamentarmos, estabelecemos como meta chegarmos à primeira vitória em dez anos."

Hoje, aos 55 anos de idade, vários títulos colecionados e à frente da equipe brasileira na competição tida como a mais desafiadora do planeta, Klever aprendeu que levantar informações e antever problemas é parte fundamental do sucesso, seja no Rali Dakar ou em outras áreas da vida, como no trabalho em empresas.

A partir de suas experiências, ele elencou alguns elementos indispensáveis à sua equipe. A começar pela preparação. “Colocamos bastante energia no preparo. O nome do jogo é antecipar os acontecimentos”, afirmou. "São anos de preparação para ficarmos 20 dias sem banho”, brincou.

É nesta etapa que surge a confiança necessária para que a equipe tenha um bom desempenho. “Quem se planeja percebe os problemas, já simulou. Se errou no treinamento, pode corrigir o desvio antes de entrar em campo. Planejar não resolve problemas, mas ajuda a enxergá-los melhor."

O planejamento não só aumenta as chances de sucesso como reduz a possibilidade de acidentes. Atualmente, no rali, enquanto os pilotos descansam, entra em ação a equipe de suporte, com mecânicos e vários técnicos que passam a noite verificando os equipamentos. Neste momento, eles verificam os indicadores fornecidos pelos sistemas instalados nos veículos.

O monitoramento da informação coletada é, então, confrontado com o que foi planejado. “E controlar é agir, antecipar e tomar decisão. Seja na oportunidade ou na adversidade, conquista o resultado quem reage mais rápido. Por isso, na hora da execução, é preciso estar concentrado, muito focado."

Segundo o piloto, a capacidade de reação rápida e assertiva impede que pequenos problemas ganhem uma grande dimensão. “Como diz o lema dos Bombeiros, nenhum incêndio começa grande. O problema é o tempo de reação. Daí vem a nossa capacidade de reagir rapidamente."

O trabalho em equipe é outro ponto chave nesta empreitada em que a comunicação é essencial. Ele defende a conversa para alinhas as necessidades. “Se todos sabem onde estamos, onde queremos chegar e os pontos fracos e fortes, conseguimos melhor desempenho. O caminho é a estratégia e ela precisa estar muito clara a todos."

Para o estímulo da equipe, cujo papel é fundamental para estar entre os finalistas na linha de chegada, Klever diz que não basta a recompensa financeira pelo trabalho. O senso de pertencimento nos resultados deve estar presente. Por isso, ele não abre mão dos momentos de celebração com o grupo, mesmo em meio ao deserto do Saara. “Quando se trabalha com os melhores, todos querem ter orgulho de suas conquistas."

 

Fonte: JIE 

A Mitsubishi tem uma agenda cheia de competições até o final do ano. No dia 2 de setembro, acontece em Curitiba o Mitsubishi Motorsports (rali de regularidade) e o Mitsubishi Outdoor (rali de aventura e tarefas).  A marca é a única do País que promove competições e passeios 4x4 para seus clientes. O objetivo é que eles conheçam belos lugares e aproveitem toda a tecnologia e conforto de seus carros com a companhia da família e amigos.

Quer participar? Ainda da tempo. As inscrições são abertas sempre 12 dias antes de cada evento no site www.mitsubishimotors.com.br. Mas fique atento: as vagas são limitadas e costumam esgotar-se rapidamente.

No rali de regularidade o objetivo é manter-se dentro do tempo e velocidade estipulados pela organização. Não é necessário experiência, nem nenhuma preparação nos veículos. Já o Mitsubishi Outdoor mescla o 4x4 com atividades esportivas e culturais. As equipes são formadas por dois carros 4x4 e até 10 pessoas, garantindo diversão para toda a família.

Passe na Brizza, concessionária da marca em Foz, e conheça os modelos. O endereço é Avenida Costa e Silva, 1819. O telefone é o (45) 2105-7000.

Já na primeira temporada, a Renault e.dams venceu o título de equipes, repetindo a façanha no ano seguinte, e a equipe reafirma sua supremacia vencendo consecutivamente um terceiro título na última corrida em Montreal. Já Sébastien Buemi perdeu o título de pilotos no primeiro ano por apenas um ponto, mas foi consagrado no ano seguinte na final em Londres, após uma corrida alucinante.

Neste ano, a Renault e.dams conseguiu vencer mais uma vez, graças ao recorde de 6 vitórias em 12 corridas, sendo a única escuderia a marcar pontos em todas as corridas. Batalhando novamente pelas duas coroas, a equipe e Sébastien Buemi vencem já na prova de abertura, em Hong Kong. Novos sucessos aconteceram em Marrakesh e Buenos Aires. A Renault e.dams e o piloto suíço continuaram a trajetória de vitória em Mônaco, onde o piloto suíço largou da pole position, sua primeira na temporada, mantendo-se imbatível no traçado do principado. Na semana seguinte, em Paris, o líder do campeonato ofereceu a primeira vitória à Renault e.dams em casa. Ele conquistou uma nova vitória na segunda corrida de Berlim, a 6ª em 8 corridas. Já Nico Prost sempre ajudou a equipe a se aproximar do título, conseguindo valiosos pontos a cada etapa e tornando-se o único piloto a realizar tal façanha.

A corrida pelo título de pilotos se mostrou bastante apertada na final de Montreal, pois apenas 18 pontos separavam Sébastien Buemi de seu rival, Lucas Di Grassi, antes da última corrida. No sábado, a equipe teve um dia extremamente difícil com o acidente de Sébastien nos treinos livres e sua desclassificação naquela noite, mas a falta de sorte se repetiu no dia seguinte, com uma corrida complicada para os dois pilotos.  

Pioneira e líder europeia em veículos elétricos, desde 2013 a Renault participa oficialmente como parceira técnica do novíssimo campeonato de monopostos 100% elétricos, a Fórmula E. O envolvimento da Renault vai mais longe ao se tornar patrocinadora oficial da escuderia e.dams, de propriedade de Alain Prost e Jean-Paul Driot, antes do início da primeira temporada que aconteceu em Pequim, em setembro de 2014. Com esta parceria, a Renault investe plenamente em uma categoria completamente inédita e bastante inovadora, com o desejo de valorizar seu know-how tanto no automobilismo esportivo como em veículos elétricos. O envolvimento e o sucesso na categoria são indiscutivelmente aceleradores do desenvolvimento de sua gama de veículos elétricos. Neste ano, a Renault apresentou o ZOE e-sport concept no Salão do Automóvel de Genebra, uma versão turbinada de seu modelo icônico, que é resultado das tecnologias da Fórmula E.

Foruma E

A Fórmula E é um campeonato inovador, com uma estratégia colaborativa com seus fãs, por meio de corridas organizadas nos centros das maiores metrópoles. A Fórmula E conta com a participação de montadoras de primeira linha, o que demonstra sua seriedade. O anúncio da chegada de outras montadoras, como Porsche e Mercedes para as temporadas 5 e 6, confirma o valor desta categoria no futuro.

A Renault e.dams conquistou um total de 268 pontos, que culminaram com sua terceira consagração. Sébastien tem um total de 157 pontos e 6 vitórias e Nico tem 92 pontos.

 

Nem mesmo o lastro de desempenho de 80 quilos no carro, por ser líder do campeonato, tem impedido Nonô Figueiredo de manter a regularidade nas etapas da Copa Petrobras de Marcas. Depois da segunda colocação na primeira corrida da rodada dupla no sábado, o piloto pulou de sétimo para a vice-liderança da prova e aproveitou um erro de Thiago Marques na curva 5 para ultrapassá-lo e conquistar a vitória na prova 2, realizada neste domingo (06/08), no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP). A segunda posição ficou com Vicente Orige e Thiago Marques foi o terceiro.

“Seria uma corrida se ele não tivesse errado, porque ser agressivo carregando o lastro é bem difícil. Ele não estava tão rápido e me segurava, felizmente ele acabou errando, facilitando a minha vida e a do Vicente”, destaca o dono do Chevrolet Cruze #11.

Restando três rodadas para o fim do campeonato, a briga pelo título está ficando cada vez mais isolada entre Nonô Figueiredo e Vicente Orige e isso ficou evidente após as corridas no Velo Città. “Vitória bem importante, no momento em que o Vicente crescia no campeonato. Foi bom para interromper e importante para ir para essa reta final de campeonato com um pouco de vantagem para que quando algo de errado acontecer eu ter um pouco de vantagem para continuar na briga pelo título”, destaca Nonô, que lidera a competição com 192 pontos.

Vicente Orige tentou manter a perseguição ao líder depois da vitória na primeira corrida em Mogi Guaçu, mas deixa a etapa com a mesma diferença de 27 pontos após a segunda posição na prova deste domingo. “Não consegui me aproximar dele. Tirei três pontos ontem e os perdi hoje. Minha meta na prova era ficar na frente dele, mas o Nonô largou muito bem e ainda sofri um toque na traseira que me atrapalhou. Os resultados foram bons, mas ele está mantendo a vantagem na reta final e está ficando cada vez mais difícil, mas vamos batalhar até a última corrida”. O vice-líder da competição está com 165 pontos.

O terceiro colocado Thiago Marques liderou boa parte da prova, mas um erro ao engatar a marcha na curva 5 o fez perder a posição para Nonô e Orige. “A gente sabe que para andar com os carros da Chevrolet precisamos guiar 110% e eu não estava com capacidade para isso hoje. Sabia que não podia errar, fui tentar fazer a curva em primeira e o câmbio bloqueou. Acho que foi o que dava pra fazer. Vamos para frente”, declara o piloto do Renault Fluence #1, que ocupa a quarta posição na classificação do campeonato.

 

O domingo em Curvelo foi atípico para região central de Minas Gerais, já que esta foi a penas a segunda vez que a principal categoria do automobilismo brasileiro visitou a região. No entanto, um velho conhecido da torcida local mostrou que conhece bem as curvas do Circuito dos Cristais. Felipe Fraga, que havia largado na pole e vencido uma das corridas em Curvelo no ano passado, repetiu a dose e venceu a primeira corrida deste domingo (23/07). Daniel Serra e Ricardo Maurício completaram o pódio. Já a segunda prova foi dominada por Gabriel Casagrande, que conquistou sua primeira vitória na categoria, com Thiago Camilo em segundo e Átila Abreu em terceiro. 

Com uma vitória e um quarto lugar, Fraga foi o piloto que mais pontos somou na etapa, com 44. A liderança segue nas mãos de Daniel Serra, que finalizou as provas na segunda e sexta posição e agora soma 178 pontos, contra 157 de Thiago Camilo.

Corrida 1

Felipe Fraga largou na pole position e controlou a vantagem sobre Daniel Serra para conquistar sua segunda vitória consecutiva na cidade localizada no interior de Minas Gerais e também a segunda na temporada 2017.

A largada aconteceu sem incidentes, com Felipe Fraga mantendo a liderança. Com o carro mais rápido que os demais, a única oportunidade para ultrapassá-lo seria na parada para reabastecimento. Apesar de Daniel Serra realizar o pit stop mais rápido que Fraga, não foi o suficiente para superar o vencedor da prova.

“Estou muito feliz, a equipe e eu precisávamos desse resultado e agora vamos tentar fazer uma segunda corrida boa para conquistar o maior número de pontos. A equipe fez um ótimo trabalho no final de semana”, destacou o atual campeão da principal categoria do automobilismo brasileiro após sua vitória.

Percebendo que Felipe Fraga estava mais rápido, Daniel Serra decidiu segurar a segunda colocação para somar mais pontos e ampliar a vantagem na liderança do campeonato. “Foi uma boa corrida, o carro estava bom, mas o Felipe Fraga fez ótimas relargadas após as entradas do carro de segurança. Foi bom manter a segunda colocação da corrida para somar pontos para o campeonato”, disse.

O principal duelo da prova foi entre Ricardo Maurício e Ricardo Zonta, que se alternaram na terceira colocação praticamente durante toda a corrida, com o primeiro levando a melhor após uma ultrapassagem a poucos metros da linha de chegada.

Corrida 2

O Circuito dos Cristais ganhou mais um admirador. Depois do “dono da pista” Felipe Fraga vencer sua segunda prova em Curvelo na corrida 1, Gabriel Casagrande realizou seu sonho e conquistou sua primeira vitória na Stock Car na corrida que fechou a sexta etapa da principal categoria do automobilismo brasileiro na cidade mineira. Thiago Camilo e Átila Abreu completaram o pódio.

Após finalizar a primeira prova na décima colocação, o piloto da Vogel Motorsport largou na pole e administrou a vantagem sobre Thiago Camilo, que ultrapassou Rafael Suzuki logo na largada. Gabriel destacou as duas paradas para reabastecimento como ponto chave para a vitória. “Largar em primeiro é bom, mas chegar na gente é ainda melhor. Tive outras oportunidades de vencer a corrida, mas o carro me deixava na mão. Hoje não aconteceu, a equipe fez um trabalho espetacular nas duas paradas para reabastecimento. Tinha um ritmo muito bom, a conta do combustível estava no limite e não podia desperdiçar a oportunidade de vencer pela primeira vez”, vibrou o paranaense.

Thiago Camilo comemorou os pontos conquistados na etapa, mas acredita que tinha carro para vencer a segunda corrida em Curvelo. “Dentro da nossa estratégia almejávamos a primeira posição porque colocamos bastante combustível na primeira prova e acreditávamos que tínhamos uma vantagem sobre o Gabriel. Fomos lentos no pit stop e isso atrapalhou um pouco. Conseguimos reagir no final de semana e deixamos Curvelo com pontos que ainda me deixam próximo do Daniel Serra”, finalizou Camilo.

 

Classificação do campeonato (5 primeiros):

  1. Daniel Serra - 178
  2. Thiago Camilo - 157
  3. Max Wilson - 148
  4. Átila Abreu - 136
  5. Ricardo Maurício - 129

 

Fonte: vicar

 

 

 

 

A Audi será a primeira fabricante alemã a correr na Fórmula E. A marca está assumindo o lugar da ABT Sportsline na grade. A ABT é  baseada em Allgäu, região entre o sul da Alemanha e norte da Áustria,  e é uma das equipes bem-sucedidas na Fórmula E desde a inserção das disputas com carros elétricos e, no futuro, vai cuidar dos carros de corrida da Audi como time de campo. Audi Sport ABT Schaeffler começará a quarta temporada de Fórmula E em Hong Kong no início de dezembro.

Audi tem patrocinado a equipe desde a temporada inaugural da fórmula E, em 2014, quando cedeu o seu piloto da fábrica, o brasileiro Lucas di Grassi, para a equipe da Fórmula E. Além disso, a equipe baseada em Allgäu usa a infraestrutura do Centro de Competências em Motorsport em Neuburg. Para a temporada 2016/2017, a Audi intensificou a parceria, fornecendo suporte financeiro e técnico. Agora, ao assumir a ABT Sportsline, o passo final tem sido dado no sentido de um comprometimento completo com a equipe, que ficará sob o nome de Audi Sport ABT Schaeffler.

“Nos últimos meses, temos apoiado de forma mais intensa a Fórmula E - nos dias de corrida, no desenvolvimento do novo powertrain e em inúmeras atividades fora da pista", ressalta o Dr. Peter Mertens, membro do board para Gestão e Desenvolvimento Técnico da AUDI AG. "Ser a primeira fabricante alemã a participar ativamente das competições a partir da próxima temporada é um compromisso claro da nossa marca com a mobilidade elétrica, com carros que estarão na pista de corrida a partir de dezembro e no próximo ano nas ruas, com o novo Audi e-tron", completa.

A quarta temporada da Fórmula E começa em Hong Kong no dia 2 de dezembro e seguirá, posteriormente, para a América do Sul e do Norte, África, Roma, Paris, entre outras localidades. "A Fórmula E é um esporte espetacular que passa por cidades fascinantes e é um grande palco para apresentar a mobilidade elétrica e o automobilismo em suas formas mais emotivas", destaca Dieter Gass, Head do Audi Motorsport. "Estamos vendo uma temporada emocionante, uma grande corrida pelo título. Estou feliz porque agora tudo está no caminho para um futuro de sucesso”, completa.

A equipe Audi Sport ABT Schaeffler, com os pilotos Daniel Abt e Lucas di Grassi, conquistou 23 pódios, incluindo cinco vitórias, nas 29 corridas realizadas, sendo a  atual vice-campeã da competição. "Como um dos membros fundadores, estamos orgulhosos de ter escrito um capítulo histórico do automobilismo", disse Hans-Jürgen Abt, dono da equipe. "Em apenas alguns anos, a Fórmula E viu um desenvolvimento tão forte que uma equipe não pode mais ser competitiva sem o apoio de um fabricante de automóveis. É por isso que estamos entregando o comando à Audi - um parceiro com o qual cooperamos há muitas décadas. Não há dúvida de que também vamos continuar esta história de sucesso na Fórmula E ", completa.

Juntamente com o parceiro de tecnologia oficial Schaeffler, a Audi está atualmente no processo de desenvolvimento de um novo powertrain, que deverá ser lançado na próxima temporada. "Já completamos com sucesso, na Espanha e em Neuburg, os testes com os novos componentes e nosso projeto está no cronograma", diz Dieter Gass. No momento, a liberdade na Fórmula E concedida aos fabricantes se limita ao motor, à transmissão, aos componentes da suspensão e ao software. "A competitividade na Fórmula E entre fabricantes, equipes e pilotos é enorme. Isso torna os detalhes no desenvolvimento ainda mais cruciais ", diz.

Mas nos dias 15 e 16 de julho, a Fórmula E estará em Nova York (EUA) e depois seguirá para as duas últimas rodadas da terceira temporada em Montreal (Canadá). Depois de oito das 200 corridas, Lucas di Grassi e ABT Schaeffler Audi Sport estão em segundo lugar na classificação dos pilotos e times

Fonte: Assessoria

O Autódromo Internacional de Curitiba foi palco da primeira corrida do Campeonato Brasileiro de Turismo neste sábado (01/07). Em uma prova com várias trocas de posições entre os primeiros, Gustavo Myasava ultrapassou Raphael Reis a poucas voltas para o fim e venceu a prova realizada na capital paranaense. Completaram o pódio Luca Milani, Marco Cozzi e o líder da competição, Pietro Rimbano.

Oitavo colocado no campeonato, Myasava destacou o trabalho árduo da equipe entre as etapas de Cascavel e Curitiba para conquistar sua primeira vitória na temporada. “A equipe trabalhou muito desde Cascavel, tentamos fazer um carro mais rápido para esta etapa. O mérito não é só meu, mas de toda a MRF que trabalhou dia e noite para conquistar essa vitória”.

Depois de enfrentar problemas no carro nas corridas anteriores, Raphael Reis comemorou a segunda colocação, mas acredita que poderia ter brigado pela vitória até o final. “Estava com um ritmo muito bom, mas infelizmente tivemos um pneu que acabou furando, mas consegui levar o carro até o final da prova. Economizei alguns botões de ultrapassagem que serão utilizados na prova de amanhã”.

A Stock Car tem mais um novo nome para o seleto grupo de vencedores da Corrida do Milhão Pirelli, que já conta com Rubens Barrichello, Thiago Camilo, Valdeno Brito, Ricardo Mauricio, Felipe Fraga e Ricardo Zonta. Daniel Serra mostrou na pista do Autódromo Internacional de Curitiba que estava imbatível e venceu a prova milionária, faturando o prêmio de R$ 1 milhão e a liderança do campeonato da temporada 2017, com 142 pontos, abrindo 16 de vantagem sobre Thiago Camilo. Marcos Gomes e Cacá Bueno completaram o pódio.

Antes da largada, o ex-piloto e dono de 12 títulos da Stock Car, Ingo Hoffmann entregou no grid a Rubens Barrichello, Bia Figueiredo, Felipe Fraga, Thiago Camilo, Cacá Bueno e Átila Abreu, os seis pilotos mais votados na eleição do Hero Push, o aviso de que teriam um push extra, além dos oito acionamento já concedidos pela organização.

O piloto da Eurofarma RC manteve a liderança na largada, administrando a vantagem que chegou a ser de quase cinco segundos sobre Thiago Camilo, mas após a parada obrigatória para troca de pneus e reabastecimento, Daniel Serra quase perdeu a vitória. Ao voltar para a pista com pneu frios, escapou logo na curva 1, perdendo a vantagem sobre Camilo. Mas  o mesmo problema aconteceu com o adversário, que retornou à frente de Serrinha após fazer a parada mais rápida da prova, mas não conseguiu segurar o carro, sendo ultrapassado pelo novo milionário da Stock Car.

“Dinheiro extra entrando na conta é sempre bom, estou cheio de boleto em casa para pagar. A equipe fez um trabalho sensacional, um dos melhores carros que eu já guiei na Stock Car. Dessa vez o (Rosinei Campos) Meinha conseguiu se superar, a equipe fez um trabalho fantástico. Sou eu que subo no pódio, mas o trabalho deles é essencial”, comentou o vencedor.

Com a vitória na Corrida do Milhão Pirelli, Daniel Serra assumiu a liderança da competição com 142 pontos, abrindo 16 de vantagem sobre Thiago Camilo, que não pontuou ao abandonar a prova por falta de combustível. “Uma pena o que aconteceu com o Thiago, ainda tem muita coisa para acontecer e tenho certeza que vamos brigar pelo título até o final”, acrescentou o milionário.

Daniel Serra vive um momento especial de carreira em 2017. Há duas semanas, o piloto venceu em uma das categorias das 24 Horas de Le Mans e agora triunfou na prova mais esperada da principal categoria do automobilismo brasileiro pela sua nova equipe. “Estou em um momento muito bom. Venci a corria mais importante do automobilismo mundial, agora a da Stock Car e assumi a liderança do campeonato. É um bom momento, mas ainda faltam muitas corridas para o fim do campeonato. Precisamos continuar focados, sem erros”.

A sexta etapa da temporada 2017 da Stock Car será realizada no dia 23 de julho, em Curvelo, no interior de MG. A votação do Hero Push será iniciada às 8 horas do domingo anterior à corrida e somente três pilotos receberão o benefício. Os seis mais votados para a Corrida do milhão não poderão ser selecionados para a próxima prova.

Confira o resultado final da Corrida do Milhão Pirelli

29 Daniel Serra (Eurofarma RC ) – 29 voltas em 42min02s032

80 Marcos Gomes (Cimed Racing) - a 2s696

0 Cacá Bueno (Cimed Racing) - a 16s086

83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) - a 17s981

111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) - a 18s576

4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) - a 23s144

65 Max Wilson (RCM Motorsport) - a 23s545

30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) - a 34s041

46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team)- a 36s378

117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) - a 39s778

44 Betinho Valério (Hero Motorsport) - a 40s425

77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) - a 43s616

31 Marcio Campos (Blau Motorsport) - a 44s106

70 Diego Nunes (Hero Motorsport) - a 50s729

188 Beto Monteiro (Mico’s Racing) - a 52s438

3 Bia Figueiredo (Full Time Academy ) - a 1min13s217

1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) - a 1min26s838

90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) - a 1 volta

18 Allam Khodair (Full Time Sports) - a 1 volta

40 Felipe Fraga (Cimed Racing Team) - a 1 volta

51 Átila Abreu (Shell Racing) - a 1 volta

28 Galid Osman (Ipiranga Racing) - a 1 volta

10 Ricardo Zonta (Shell Racing) - a 1 volta

21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) - a 2 voltas

8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) - a 2 voltas

9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) - a 2 voltas

12 Lucas Foresti (Full Time Academy) - a 3 voltas

Não completaram 75% da prova:

110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports)

25 Tuka Rocha (RCM Motorsport)

73 Sergio Jimenez (Bardahl Hot Car)

5 Denis Navarro (Cimed Racing Team)

Classificação do campeonato:

29 Daniel Serra - 142

21 Thiago Camilo - 126

65  Max Wilson - 122

111 Rubens Barrichello - 119

51 Átila Abreu - 110

80 Marcos Gomes - 101

90 Ricardo Mauricio - 96

0  Cacá Bueno - 93

88 Felipe Fraga - 77

77 Valdeno Brito - 59

4 Julio Campos - 53

25 Tuka Rocha - 53

46 Vitor Genz - 52

10 Ricardo Zonta - 48

70 Diego Nunes - 43

30 Cesar Ramos - 42

117 Guilherme Salas - 42

83 Gabriel Casagrande - 40

8 Rafael Suzuki - 37

28 Galid Osman - 36

18 Allam Khodair - 35

1 Antonio Pizzonia - 35

12 Lucas Foresti - 34

110 Felipe Lapenna - 30

5 Denis Navarro - 24

3 Bia Figueiredo - 22

31 Marcio Campos - 21

44 Betinho Valério - 18

73 Sergio Jimenez - 14

9 Guga Lima - 14

188 Beto Monteiro - 9

Fonte: Vicar

Já imaginou poder interferir na performance de seus ídolos nas pistas? Na Stock Car isso será possível a partir da Corrida do Milhão. A corrida mais cobiçada do calendário acontecerá no próximo dia 2 de julho em Curitiba e terá uma das maiores inovações do automobilismo nacional, o Hero Push, uma ação de voto popular que premia os pilotos mais votados com um push adicional - acionamento utilizado para gerar aumento de potência no motor e com isso ganhar mais velocidade para atacar ou se defender durante a corrida.

Desenvolvido pela Stock Car, o Hero Push será apresentado junto ao novo site e novo aplicativo da categoria. Com visual mais moderno e integrado às redes sociais, as novas plataformas serão lançadas nesse sábado. “As novidades da Stock Car tem como objetivo melhorar a experiência nos canais digitais e proporcionar conteúdo relevante para nossos seguidores. O Hero Push foi concebido seguindo as novas tendências de consumo de entretenimento, que proporcionam interatividade e engajamento entre público e produto, como ocorre nos reality shows. No automobilismo, a Formula-E é a principal referencia na aplicação do conceito que conecta os fãs com seus ídolos”, comentou Rodrigo Mathias, diretor geral da Vicar.

“Não será exagero dizer que o público poderá ajudar diretamente a definir quem será o novo milionário da categoria”, diz André Mertens, diretor de marketing da FS/Hero. “Como empresa do ramo da tecnologia de segurança digital, estamos muito felizes por participar desta novidade que tem potencial para revolucionar o panorama das disputas da Stock Car”, completa Mertens.

Para a Corrida do Milhão e a Grande Final, seis pilotos receberão o Hero Push. Nas demais provas, os três mais votados serão contemplados. Os pilotos que receberem o Hero Push em uma etapa ficam impedidos de receber o prêmio na etapa seguinte. A exceção é a Grande Final, a 12ª, quando todos os pilotos estarão aptos para a votação.

A abertura da votação acontecerá sempre às 8 horas do domingo anterior a etapa. Com isso, os pilotos que concorrerão ao Hero Push na Corrida do Milhão estarão disponíveis para votos a partir das 8 horas de domingo (25/06). A votação será encerrada 45 minutos antes da largada da prova milionária.

Nas rodadas duplas a votação será encerrada 20 minutos após o início da Corrida 1. Com isso, o Hero Push só poderá ser usado para a segunda prova do final de semana. Será considerado, para efeito de finalização da votação, o horário previsto na programação oficial divulgada pela organização.

Para que o fã de automobilismo possa participar da ação e escolher os pilotos que deseja ajudar na corrida, será necessário o cadastro pelo site por meio da conta do usuário no Facebook. Em caso de empate na votação, o piloto que atingir primeiramente os pontos será o vencedor. A soma dos pilotos mais votados será controlada pelo sistema e será auditada por uma empresa contratada pela organização do evento, com supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). Vale lembrar que todos os pilotos iniciam as etapas com uma quantidade de acionamentos do Push definida pela organização do evento.

Sistema de luzes

O sistema de luzes, criado para facilitar a visualização do Hero Push, será alterado a partir da próxima etapa. Os carros agora contarão com luzes vermelhas e verdes, que se alternarão da seguinte forma:

- Luz verde acesa: push acionado (como é hoje)

- Luz vermelha acesa: push está inativo

- Luz verde e vermelha piscando, significa que o piloto acionou o Hero Push

- Luz vermelha piscando significa que o piloto não tem mais push