Segurança é imprescindível. Carros estão cada vez mais equipados para auxiliar os motoristas

Lançamentos
Typography

Os automóveis estão cada vez mais equipados para ajudar os motoristas. Muitos, sobretudo, os mais luxuosos, vem repleto de sensores para atuar quando o “piloto” fica desatento. E até cochila. Vem equipados com monitor de pontos cegos, alerta de mudança de faixa involuntária, câmera de visão noturna com identificação de pedestres e frenagem autônoma, entre outros. 

Segundo o proprietário da Serrana Multimarcas, em Foz, Sidnei Braga, apesar do perfil do comprador de carros de luxo ter mudado muito nos últimos anos, um pouco mais jovem, o item segurança ainda é imprescindível. “É um ponto fundamental. Apesar de muitos quererem o status da marca, sobretudo das alemãs, a segurança continua fazendo a diferença”, garante. 

Esse tema entrou em discussão porque dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apontam, que as principais causas dos acidentes de trânsito com mortes são: falta de atenção, velocidade incompatível, ingestão de álcool, desobediência à sinalização e ultrapassagens indevidas. 

Vale lembrar que no mercado há veículos com o reconhecimento de placas de trânsito e controle de velocidade. Segundo Sidnei, nada substitui o motorista, mas hoje em dia, os carros de ponta podem e ajudam a diminuir as mortes e acidentes no trânsito. “Os veículos estão cheios de sensores personalizados pelo usuário que permite regular a distância dianteira e frontal de outros veículos enquanto se dirige”.

Dois exemplos são o Volvo XC90 e o Audi Q5. Eles trazem itens como monitor de pontos cegos, alerta de mudança de faixa involuntária, câmera de visão noturna com identificação de pedestres e frenagem autônoma”, lembra.

Ele explica que ainda existe um abismo entre a segurança aplicada nos carros premiuns importados vendidos no Brasil e os fabricados em território nacional. Para tentar reduzir esse déficit tecnológico, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou no fim de 2017 uma lista de equipamentos de segurança que serão regulamentados nos próximos quatro anos, incluindo prazos. Além do controle de estabilidade, o isofix e sistema de faróis diurnos deverão ser aplicados em toda frota nacional até 2022. 

Até pouco tempo, as mudanças na segurança eram mais pontuais. Quando surgiu o airbag, todo mundo queria. Logo depois o dispositivo foi ampliado para o lado do passageiro e o modelo anterior passou por uma grande desvalorização. Desde então, as pessoas passaram a querer novidades na área de segurança.

Em 2011, o Brasil aderiu ao programa das Nações Unidas chamado Década de Ação pela Segurança no Trânsito, um pacto global que prevê a redução em 50% do número de vítimas no trânsito até 2020. Desde então, o Brasil conseguiu diminuir em 25% o número de mortes em acidentes automobilísticos.

 

 

e-max.it: your social media marketing partner