Temer assina o Rota 2030. Industria automotiva ficará mais competitiva 

Lançamentos
Typography

O presidente Michel Temer, assinou nessa quinta-feira (5), a medida provisória (MP) que cria o Rota 2030 Mobilidade e Logística, a nova política industrial para o setor automotivo. Agora a expectativa é que o Brasil se torne um pais mais competitivo na produção de veículos.

Desde o encerramento do Inovar Auto, que vigorou entre 2012 e 2017, e concedia vantagens tributárias para a cadeia produtiva do setor instalada no país, além de aumentar a alíquota de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a importação de automóveis, as montadoras aguardavam a decisão do governo para saber definir os investimentos para os próximos anos. O Rota 2030 substitui o Inova Auto. 

Com o Rota 2030 serão concedidos créditos tributários que podem chegar a R$ 1,5 bilhão ao ano. Esse subsídio valerá igualmente para montadoras que atuam no país e para as empresas importadoras, que poderão abatê-lo sobre o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro.

Rota 2030

O governo estabelece algumas metas e exigências.

Será concedido crédito de até R$ 1,5 bilhão para pesquisas e desenvolvimento. Para isso, a indústria terá investir no mínimo de R$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento por ano;

Os carros também deverão ficar até 11% mais econômicos, até 2022;

Até 2027, inclusão das chamadas tecnologias assistivas à direção;

Os veículos comercializados no Brasil receberão etiquetas, com informações claras sobre eficiênca energética e os equipamentos de segurança instalados.

Com agência Brasil

e-max.it: your social media marketing partner