Lixo e Luxo combinam? No Audi A5 g-tron é a combinação perfeita 

Lançamentos
Typography

Cerca de 500 quilos de restos de comida gerados todos os dias nos restaurantes da Usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná, estão sendo transformados em gás e servindo para abastecer um dos carros mais luxuosos do mundo: o Audi A5 Sportback g-tron. A reportagem da Sobre Rodas foi conferir como funciona esta combinação. 

O sedã, que deve começar a ser comercializado no Brasil em 2019, está desde o início de setembro na Usina de Itaipu, para testes do Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBiogás). 

A equipe avaliará a autonomia, a potência e a eficiência do veículo quando abastecido com biometano (gás formado pela biodigestão de matéria orgânica, como lixo orgânico, fezes humanas ou de animais). Tanto na Alemanha como em outros locais por onde o A5 já passou, foi abastecido com gás natural.

“Eles nos solicitaram esta avaliação, pois a marca precisa saber a viabilidade do carro no mercado brasileiro”, disse Rafael Gonzalez, diretor de Desenvolvimento Tecnológico do CIBiogás. 

Na Alemanha o carro foi lançado em este ano. Mas a montadora já disponibilizava outros dois modelos da linha ecológica g-tron: hatch A3 Sportback e perua A4 Avant.

Ecologia

O A5 g-tron segue a tendência das montadoras de lançar carros cada vez sustentáveis. Tanto na economia de combustível como na emissão de poluentes. Inclusive está previsto na Política Automotiva “Rota 2030 Mobilidade e Logística”, lançada em julho pelo governo brasileiro. O Rota 2030 prevê que os carros fiquem até 11% mais econômicos e tenham mais eficiência energética. 

Com a opção de ser abastecido com gás natural ou biometano, o A5 g-tron cumpre essa missão, evitando a emissão de CO2 na atmosfera. 

O carro

O

A5 g-tron é como as versões convencionais o A5 Sportback, o grande diferencial fica por contar do sistema híbrido. São dois reservatórios de combustível: um tanque de 25 litros de gasolina e quatro cilindros que armazenam até 19 kg de gás natural — entre 21 e 22 m³. 

O motor é o já conhecido da montadora alemã, 2.0 TFSI com 170 cv potência e 27,5 kgfm de torque a gasolina, mas com ajustes para GNV. A velocidade máxima de 226 km/h, e é capaz de chegar a 100 km/h em apenas 8,5 segundos. O câmbio é automatizado de sete velocidades.

Se abastecido com gás, ele pode rodar até 500 km com os cilindros cheios de GNV e até 450 km com o tanque de gasolina. Combinando os dois sistemas, pode rodar até 950 km. Numa direção convencional, ele prioriza o uso do gás e passa a utilizar a gasolina apenas quando o volume nos cilindros chega a 0,6 kg. As médias anunciadas no Brasil são de 15,4 km/l (g) e 17 km/m³ (GNV), que resultam em cerca de 742 km.

O A5 precisa de 3,8 kg de gás para rodar 100 km e 5,6 litros de combustível na operação com gasolina.

CiBiogas

O CiBiogás é uma instituição especializada em consultoria, compartilhamento de conhecimento e análises laboratoriais em energias renováveis, com ênfase no Biogás. A instituição também promove o desenvolvimento de projetos e políticas públicas ligadas ao tema, com o objetivo de incentivar a geração de energias elétrica, térmica e biocombustível – por meio do Biogás – de uma maneira sustentável e renovável. 

Abilene Rodrigues

Fotos: Kiko Sierich

e-max.it: your social media marketing partner