A experiência da Itaipu Binacional na área de mobilidade elétrica vai servir de base para as discussões do governo federal na elaboração da nova política automotiva do País, chamada de Rota 2030 – Mobilidade e Logística. O trabalho é coordenado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), com a participação de outros ministérios e órgãos públicos e também da iniciativa privada. O novo plano, que substituirá o Inovar-Auto, de 2013, está previsto para entrar em vigor em janeiro de 2018.

Nesta terça-feira (11), uma comitiva integrada por representantes do Mdic, Ministério de Minas e Energia (MME), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da agência de cooperação Brasil-Alemanha (GIZ) participou de uma visita técnica à usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR).

O grupo foi recebido pelo coordenador brasileiro do Programa Veículo Elétrico (VE), Celso Novais (AM.GB), e conheceu o Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos (CPDM-VE). Novais falou sobre o programa e apresentou as principais linhas de pesquisa.

Houve também contato da comitiva com o diretor-superintendente da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI), Ramiro Wahrhaftig, e o diretor técnico, Cláudio Osako.

Grupo conheceu a linha de montagem do compacto Twizy, da Renault - única estrutura montada fora da Espanha, onde está a fábrica da montadora.

Coordenador geral do setor da indústria automotiva do Mdic, Marcelo Saraiva explicou que a nova política será de longo prazo, com três ciclos de cinco anos cada um, e contemplará vários temas – como segurança veicular, investimentos em P&D e engenharia, conectividade e eficiência energética.

Neste último item, foi criado um subgrupo para tratar especificamente de veículos elétricos. “O objetivo é fazer um grande nivelamento de informações do estado da arte dessa discussão de veículos elétricos no Brasil e uma das iniciativas propostas foi justamente a visita técnica à Itaipu, para conhecer o Programa VE e o know-how da empresa neste setor”, disse Saraiva.

O diretor de desenvolvimento produtivo da ABDI, Miguel Nery, afirmou que há uma forte tendência de aumento na participação dos veículos elétricos na frota dos países e, por isso, um capítulo dedicado a essa tecnologia na nova política industrial brasileira é fundamental.

“Quando discutimos a introdução de veículos elétricos no Brasil, o fato que considero relevante é a expectativa de desenvolver uma indústria nacional. Por isso a importância da nossa visita: Itaipu já vem há mais de dez anos pesquisando tanto soluções para o veículo elétrico em si, como, particularmente, para o seu maior gargalo, que é o armazenamento de energia [a bateria]”, pontuou.

 

Agora da para levar toda a família, além do cachorro, o papagaio e o periquito. O Outlander, crossover da Mitusbishi, acaba de ganhar uma nova versão: A Comfort 2.0. A grande novidade é a terceira fileira de bancos, pois agora, terá sete lugares. Mas também, vem equipada com moderno sistema de entretenimento. A começar pelo multimídia de 7” e tela capacitiva com o Apple Car Play e Android Auto, permitindo uma conexão prática e fácil com os smartphones. 

A Mercedes-Benz encerrou os primeiros seis meses de 2017 com resultados expressivos nas vendas de automóveis, registrando melhor desempenho no mercado brasileiro em comparação ao mesmo período do ano passado. Entre janeiro e junho, crescimento foi de 7,5% em relação ao mesmo período de 2016. Com 5.547 unidades emplacadas no período , a marca chega à metade do ano com uma participação de 38,5% no segmento de veículos premium.

Entre os fatores que contribuíram para esse resultado, a estratégia de oferecer um portfólio amplo, com diferentes propostas, tem se mostrado essencial para o sucesso da marca. Em 2017, os produtos Classe A, Classe C, CLA, Classe E, GLC e GLE são líderes de seus segmentos e integram o plano de renovação do portfólio.

Além disso, a AMG, marca de superesportivos da Mercedes-Benz que completa 50 anos em 2017, também registrou desempenho significativo, com 313 unidades vendidas no semestre. Somente da família Mercedes-AMG GT, foram 15 unidades comercializadas nos primeiros seis meses do ano. Esses resultados representam uma participação de mercado de 45,8%, consolidando a liderança no segmento de superesportivos.

“O ano de 2017 tem sido reflexo da nossa estratégia de longo prazo. Os esforços da marca em se reinventar por meio do portfólio de produtos e serviços oferecidos, se traduzem em números expressivos de vendas. Em um cenário ainda conservador de mercado, é positivo apresentar esse tipo de crescimento em função de um planejamento bem-sucedido”, afirma Holger Marquardt, diretor geral Automóveis América Latina e Caribe.

O Volkswagen Golf, fabricado em São José dos Pinhais no Paraná, conquistou o tetracampeonato em sua categoria no prêmio Best Cars, concedido pela Revista Carro e Carro Online, da editora Infini Mídia. O Golf Variant foi o vencedor entre os modelos station wagon e monovolumes. O vice-presidente de Vendas e Marketing da Volkswagen do Brasil, Gustavo Schimidt, foi quem recebeu os dois troféus.

“Estamos muito satisfeitos e orgulhosos com essa conquista. Ter um carro eleito como o melhor modelo do segmento por quatro anos consecutivos é algo que só nos incentiva. E quando esse reconhecimento vem do público, é ainda mais gratificante. A linha Golf é um sucesso no mundo. E no Brasil não é diferente. O Golf e todos os modelos desenvolvidos a partir dele, como o Golf Variant, por exemplo, são referências de qualidade, tecnologia e dirigibilidade”, afirma Gustavo Schimidt

Os modelos Volkswagen foram os preferidos dos leitores da publicação e do site, que teve 5.084 votantes. O Golf conquistou 24,4% dos votos. O Golf Variant ficou com 15,4% da preferência, garantindo “título duplo” para a família.

Ambos os modelos trazem inovadores e exclusivos recursos de tecnologia, entretenimento e segurança, como sete airbags, controle de tração, controle eletrônico do diferencial, controle de estabilidade e freios com Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão.

O Golf é oferecido em três versões: Comfortline, Highline e GTI. A primeira é equipada com o motor TSI Total Flex de até 125 cv, combinado ao câmbio manual de 6 marchas; a Highline traz o motor 1.4 TSI BlueMotion Technology Total Flex de até 150 cv, com opção de transmissão manual ou automática Tiptronic, ambas de 6 marchas. O Golf GTI traz o motor 2.0 TSI de 220 cv, combinado à transmissão automática DSG de seis marchas.

O Golf Variant é equipado com o motor 1.4 TSI Total Flex de 150 cv e oferecido em duas versões: Comfortline e Highline. Em ambas as versões o modelo é equipado com o motor 1.4 TSI Total Flex, que é combinado exclusivamente à transmissão automática de 6 velocidades (com conversor de torque) com função Tiptronic (que permite ao motorista efetuar as mudanças manualmente, por meio da alavanca de câmbio ou por aletas no volante).

Sobre o prêmio Best Cars

Criado em 1996, o concurso Best Cars conta com a participação dos leitores da Revista Carro e do site Carro Online, que elegem os destaques do ano – entre modelos e marcas –, por meio dos cupons encartados nas edições.