Na noite desta quarta-feira, o novo Audi A8 pôde ser visto em Los Angeles ao lado de muitas estrelas de Hollywood na estreia mundial de “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”. Tom Holland, que interpreta Peter Parker/Homem-Aranha, foi conduzido ao tapete vermelho do TLC Chinese Theatre. Enquanto isso, Robert Downey Jr. e Jon Favreau chegaram juntos em um R8 Spyder preto.

Normalmente, a equipe de Desenvolvimento Técnico da Audi reveste seus protótipos secretos com um adesivo especial que traz um padrão de camuflagem com redemoinhos nas cores preta e branca. Dessa vez, entretanto, o departamento de Design desenvolveu uma nova camuflagem com desenho específico para a aparição no tapete vermelho da estreia mundial de “Homem Aranha: De Volta ao Lar”. Os redemoinhos tradicionais foram modificados para incorporar teias de aranha nas portas do veículo e dentro das argolas do logo.

Antes mesmo da estreia oficial, os primeiros lampejos do A8 podem ser vistos na telona durante o filme – espectadores visualizam partes do design dianteiro e lateral do modelo. Além disso, é possível ver em ação o Audi AI Traffic Jam Pilot quando Happy Hogan conduz Peter Parker e momentaneamente remove as mãos do volante. Graças à ativação do sistema, o A8 pode assumir a direção e continuar a condução de forma autônoma.

A Audi se prepara para apresentar oficialmente o novo A8 ao público em 11 de julho, durante o Audi Summit 2017, em Barcelona (www.summit.audi). “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, estrelando o novo A8, pode ser visto nos cinemas de todo o mundo a partir de julho.

Para ver o vídeo  Clique aqui

Renault lança novo conceito da garagem na Casa Cor, a Art! Garage e ainda traz a aposta da marca de 2017, o Renault Captur que vem com um conceito de lifestyle – inspiração e tendência bem definidos, conectando o carro ao público-alvo amante da boa Gastronomia, Arte, Moda, Design e Arquitetura.

A arte transcendeu os espaços habituais e invadiu a vida das pessoas tornando-se parte do cotidiano e, mais que isso, um modo de viver e enxergar o mundo. É com este mote que a Renault apresenta a sua obra de arte o Renault Captur. A exposição do carro faz parte de uma parceria entre Renault e Casa Cor e vai percorrer todo o país até novembro/2017. Cada edição do evento ganhou assinatura de um arquiteto renomado e obras de artistas consagrados regionais.

Em São Paulo, o carro está em exposição na Casa Cor na Art! Garage Renault, espaço assinado pelo arquiteto Alexandre Dal Fabbro, que utilizou no projeto uma estrutura metálica com planos lineares e uma obra grafitada pelo artista Speto, embaixador da marca, considerado hoje um dos principais nomes da arte de rua do país.

O lançamento e o conceito do Renault Captur terá ações como o Art Battle, que reunirá artistas e influenciadores em dupla, em uma batalha de 45 minutos. As peças criadas serão leiloadas dentro da festa para os convidados interessados em dar um lance. Os artistas confirmados que participarão da batalha são Marcelo Tas, Mariana Ximenes, Fernanda Paes Leme, Lilian Pacce, Leandro Spett, Milenna Saraiva, Marcelo Hardt e Ana Meirelles.Toda renda será revertida para o Instituto Renault.

“Acreditamos que o homem e a mulher moderna respiram Arte, Gastronomia, Moda, Design e Arquitetura. Trata-se de um público que acompanha as principais tendências destes mercados. Por isto, nada mais justo, do que apresentar um carro que converse com este público conectado e exigente”, ressalta o presidente da Renault Brasil, Fabrice Cambolive.

Pela primeira vez em 40 anos, as cadeias de produção de veículos e de agroenergia convergem seus esforços para o desenvolvimento tecnológico  de soluções conjuntas, políticas e normas de longo prazo para aumentar a eficiência energética e reduzir as emissões de CO2 vinculadas à mobilidade. “Este é um fato novo e importante, que pode ser decisivo para o Brasil alcançar as metas de redução de emissões de CO2  assumidas internacionalmente pelo país”, afirmou o engenheiro João Irineu Medeiros, diretor de Assuntos Regulatórios e Compliance da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para a América Latina, durante sua participação no Ethanol Summit, em São Paulo.

Organizado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) e realizado a cada dois anos, o Ethanol Summit é um dos principais eventos do mundo voltados para as energias renováveis, particularmente o etanol e os produtos derivados da cana-de-açúcar. O encontro reúne empresários, autoridades, pesquisadores, investidores, fornecedores e acadêmicos do Brasil e do exterior.

João Irineu recordou que o Brasil assumiu o compromisso na Conferência do Clima de Paris, a Cop 21, de reduzir suas emissões de CO2 em 43% até 2030 em relação aos níveis de 2005. “Os biocombustíveis e a frota brasileira de veículos flexfuel têm um papel decisivo nesta estratégia de redução do CO2”, disse. No entanto, o Brasil ainda não definiu o percurso da contribuição da indústria automobilística e de seus combustíveis para esta redução.

O horizonte brasileiro, estabelecido pelo programa Inovar Auto, fixou padrões para até 2020.  A nova legislação e limites de emissões para os próximos anos serão pactados no âmbito do programa Rota 2030, que o governo federal está debatendo com a indústria automotiva e toda a cadeia da mobilidade, que inclui a indústria de autopeças, produtores de combustíveis e outros.

Para João Irineu, uma opção para alcançar os objetivos que serão estabelecidos no programa Rota 2030 é o uso mais intensivo dos biocombustíveis na matriz energética da mobilidade, com ênfase para o etanol. “O Brasil tem quatro décadas de acúmulo de tecnologia na produção do etanol combustível e de veículos que o utilizam. Intensificar a opção pelo etanol é uma decisão inteligente, que leva em conta a imensa plataforma produtiva, logística e de distribuição já implantada no país”, destacou.

Quando considerado do campo à roda, o uso do etanol é altamente eficiente do ponto de vista de emissões. Isto porque a cana-de-açúcar em seu ciclo de desenvolvimento vegetal absorve o CO2 liberado na queima do etanol combustível. Por este critério, uma estratégia para atingir as metas pactadas para 2030 seria elevar a participação do etanol na matriz energética da mobilidade dos atuais  30% para 50%, o que significaria ampliar a produção de etanol dos atuais 28 bilhões de litros por ano para a faixa de 50 bilhões de litros anuais.

 

 

O novo BMW X3 foi apresentado nesta, segunda-feira (26), na fábrica do BMW Group na Carolina do Sul (Estados Unidos). Completamente reformulada, a nova geração do modelo recebeu atualizações visuais, melhorias técnicas, aprimoramentos aerodinâmicos e novos equipamentos. Além disso, o novo BMW X3 é o primeiro SAV a receber pacote M Performance, que leva o modelo dos 0 aos 100 km/h em apenas 4,8 segundos.

Visual agressivo

A terceira geração do novo BMW X3 mantém a ousada linguagem visual do modelo, combinando o estilo familiar da linha BMW X a uma força generosa nas rodovias e fora de estrada. As dimensões exteriores estão praticamente inalteradas, porém o modelo ganhou 2,2 polegadas na distância entre eixos. O capô longo e a saliência frontal extremamente curta oferecem proporções equilibradas, enfatizando a distribuição de peso de 50:50 entre os eixos dianteiro e traseiro.

Pela primeira vez em um modelo BMW X, a grade dianteira é "tridimensional" com o sistema “active air flap control” e faróis de neblina em formato horizontal. Na traseira, ganham destaque as lanternas traseiras “tridimensionais” e o novo sistema de escapamento esportivo.

Cabine moderna e luxuosa

Internamente, a cabine ficou mais luxuosa com os novos revestimentos do painel e das portas. Um dos destaques é o novo head-up display, que projeta imagens coloridas em alta definição no para-brisa e ficou 75% maior em relação ao sistema anterior. O painel central é adornado pela nova central multimídia com tela de 10,25 polegadas, sensível ao toque, e tecnologia de controle por gestos. Há ainda ar condicionado automático de três zonas e bancos esportivos.

Segurança

O modelo oferece sistema se segurança de última geração do BMW Group, como o sistema de detecção de acidentes "Active Protection". Além disso, o modelo traz engate de reboque de série em alguns mercados – o primeiro utilitário do BMW Group a sair de fábrica com esse equipamento.