Imagine não ter que se preocupar se tirou dinheiro para pagar a tarifa do pedágio; precisar descer do carro para abastecer o seu veículo ou ficar em filas enormes para acertar a estadia do estacionamento do shopping. Essa realidade está ainda mais próxima para quem é cliente OnStar e ainda não tem o Sem Parar, sistema líder de pagamento automático no Brasil.

A parceria entre OnStar e Sem Parar chegou na hora certa, oferecendo uma vantagem inédita: três mensalidades gratuitas* no momento da compra do tag. Basta o cliente solicitar o código promocional apertando o botão azul do OnStar.

“Essa é mais uma iniciativa da Chevrolet para proporcionar mais conforto e conveniência aos nossos clientes através da parceria com o Sem Parar. Estamos oferecendo um diferencial exclusivo para o cliente OnStar que não possui Sem Parar”, disse Péricles Mosca, diretor de OnStar e Maven da GM América do Sul.

O OnStar é a tecnologia exclusiva de telemática avançada que permite oferecer diversas funcionalidades ao motorista como serviços de Emergência, Segurança, Diagnóstico, Navegação, Concierge e Conectividade em um patamar jamais visto no mercado automotivo nacional.

“Acreditamos que a parceria com grandes empresas, como a GM, é muito importante para popularizar o pagamento automático no País e fazer com que esse mercado continue crescendo. Estamos muito satisfeitos em oferecer as vantagens dos nossos serviços aos usuários do OnStar”, afirma Bartolomeu Correa, diretor Comercial do Sem Parar.

A construção do Aeroporto Regional e a ampliação da malha férrea paranaense serão alguns dos temas centrais do 4º Fórum de Desenvolvimento Econômico do Território Oeste do Paraná, a ser realizado no dia 11 de outubro, no espaço Arandurá, em Medianeira, com início às 18h30. O evento é promovido pelo Programa Oeste em Desenvolvimento (POD).

Na pauta também estão previstos debates sobre sanidade; melhoria da produção, qualidade e distribuição da energia na zona rural e; ampliação e qualificação da assistência técnica, dentre outros temas prioritários. O evento é aberto ao público em geral. Para se inscrever CLIQUE AQUI.

“Para nós, é de estrema importância a participação da sociedade neste fórum, pois vamos debater o que é prioritário para a nossa região. Ações que promovam a competitividade do território”, disse Danilo Vendruscolo, presidente do POD. “Se quisermos crescer precisamos modernizar nossa infraestrutura e nossa logística”.

Infraestrutura

Dentro do tema infraestrutura e logística, o POD defende a necessidade da região contar com mais opções de modais no escoamento da produção e assim, ser competitivo. Uma delas seria a ampliação da malha férrea em pelo menos mais mil quilômetros, hoje tem 250 quilômetros. A alternativa seria o Governo do Estado publicar, o quanto antes, o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para autorizar a elaboração de Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental – EVTEA para ampliar a Estrada de Ferro do Oeste do Paraná (Ferroeste) ou a construção de um novo ramal. Hoje apenas 10% da safra oestina chega ao Porto de Paranaguá de trem, muito menos que outras regiões brasileiras. 

Outra justificativa é o crescimento do Porto de Paranaguá. Até 2030 o terminal quase dobrará sua capacidade de movimentação, passando de 45 milhões de toneladas por ano, para 80 milhões de toneladas. Sem ferrovia, a única opção da região para chegar à Paranaguá seria por rodovia. Uma matriz muito cara.

A construção do Aeroporto Regional entre os municípios de Cascavel, Toledo e Tupãssi é outro foco do debate.

“Resolver esses gargalos são cruciais para o Oeste do Paraná, sobretudo para reduzir os custos dos produtos”, disse Nereu Procopiak, assistente do diretor de Coordenação da Itaipu.

Oeste em Desenvolvimento

Lançado em 2014, o Programa Oeste em Desenvolvimento é uma iniciativa que reúne mais de 60 instituições públicas e privadas como a Itaipu Binacional, o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), o Sebrae/PR, o Sistema Cooperativo, a Caciopar, a Amop, a Emater, a Fiep, além de cooperativas e instituições de ensino superior.

O objetivo é promover o desenvolvimento econômico sustentável dos 54 munícipios do oeste do Paraná por meio de ações integradas e com foco nas potencialidades regionais.

Toda a ação tem como base as sete cadeias produtivas do território, também chamadas de exportadoras, pois recebem recursos e investimentos de outras regiões brasileiras e até do exterior. São elas: Cadeia de Frango, Cadeia do Leite, Cadeia de Suíno, Cadeia de Pescado, Cadeia de Grãos, Industria Metalmecânica e Turismo.

A Audi apresentou do Salão do Automóvel de Frankfurt, que vai até dia 24, na Alemanha, o Audi Aicon, o autônomo do futuro - sem volante ou pedais. O demonstrador de tecnologia une, de forma visionária, as inovações ligadas à transmissão, suspensão, digitalização e sustentabilidade. O Aicon também é projetado para operação puramente elétrica e deverá cobrir distâncias entre 700 e 800 quilômetros com apenas uma carga de bateria.

O Jeep Compass foi um dos utilitários esportivos mais vendidos no primeiro semestre. Mas a Mitsubishi garante que o seu modelo, o ASX AWD Flex, é muito mais negócio. 

A montadora japonesa faz uma comparação entre o ASX AWD Flex e o Compass Limited. Segundo o comparativo, o ASX é um utilitário mais barato, forte, tecnológico, moderno e muito mais econômico.