A Honda revelou no Salão de Genebra de 2017 o novo Civic Type R, que terá seu lançamento europeu no meio do ano. O automóvel ressalta a tradição da Honda em desenvolver hatchbacks de alto desempenho e representa a expressão final do segmento de pureza dinâmica.

Compartilhando os mesmos fundamentos que o novo Civic hatchback, o novo Type R foi projetado desde o início para entregar a unidade mais prazerosa no segmento hot-hatch - tanto na estrada, quanto em pistas de corrida.

Motor 2.0 litros VTEC TURBO aprimorado e transmissão manual de seis velocidades

O motor VTEC TURBO de 2.0 litros, coração da multipremiada geração anterior do Type R, foi otimizado e agora produz 320 cv com torque máximo de 400 Nm. A resposta do acelerador e a dirigibilidade melhoraram graças às configurações otimizadas do controle do motor.

A suave e precisa transmissão manual de seis velocidades foi aprimorada com um sistema de controle rev match, garantindo que não haja prejuízo na conexão gratificante do Type R com o motorista.

Chassi mais rígido e suspensão aprimorada

O novo Type R traz a carroceria mais leve e rígida do novo Civic hatchback e adiciona uso de adesivo em áreas-chave. Em comparação com o Type R anterior, a rigidez torcional foi melhorada em 38%.

A suspensão dianteira do tipo MacPherson do hatchback padrão foi revisada com nova geometria para minimizar o torque steer e maximizar o manuseio esportivo. Na parte traseira, o novo sistema independente multi-link do carro foi aprimorado com o uso de braços de suspensão de alta rigidez exclusivos.

Modos de condução melhorados

Uma seleção aprimorada de modos de condução dá ao automóvel uma maior facilidade de utilização em comparação com o Type R anterior. Um novo ajuste "Conforto" está disponível ao lado de modos mais ágeis como "Sport" e "+R", focado em pistas. Cada seleção ajusta os amortecedores adaptativos, esforço da direção, sensação de mudança de marchas e resposta do acelerador do carro sob demanda.

Aerodinâmica refinada para estabilidade em alta velocidade

O novo Type R tem um pacote aerodinâmico mais abrangente do que o modelo anterior, incluindo um assoalho mais liso, defletores dinâmicos de ar na dianteira, uma asa traseira de baixo peso e geradores de down force na parte traseira do teto. O corpo muscular e agressivo tem o melhor equilíbrio entre sustentação e arrasto, contribuindo para uma maior estabilidade em alta velocidade.

Produzido na Europa, exportado para os principais mercados do mundo

A produção do novo Civic Type R está prevista para começar no meio de 2017, na unidade fabril da Honda no Reino Unido (HUM) em Swindon - o centro global de fabricação para a 10ª geração do Civic hatchback.

O Type R será exportado para toda a Europa e para outros mercados em todo o mundo, incluindo o Japão e os EUA. Sua chegada na América do Norte marcará a primeira vez que um Honda Type R será oficialmente vendido por lá.

 

Com base nos estudos realizados pela Fenabrave - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores,, o setor como um todo deverá apresentar crescimento moderado em 2017, chegando a 3,11% para todos os segmentos somados.

Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, a expectativa é de alta de 2,04% sobre os resultados.

Já para caminhões e ônibus, a Fenabrave projeta crescimento de 3,15%, sendo 2,8% para caminhões, 4,40% para ônibus e 7,08% para implementos rodoviários.

O segmento de motocicletas, que vem sofrendo sucessivas quedas desde a crise de 2008, deverá apresentar alta estimada em 4,04%.

Para tratores e máquinas agrícolas, a previsão é chegar a um crescimento de 13,5% em 2017, reforçado pelos bons resultados do agronegócio no País.

Mesmo com queda no resultado geral, média diária de emplacamentos é maior em fevereiro

Com quatro dias úteis a menos que janeiro, o segundo mês de 2017 encerrou com queda de 8,57% em todo o setor. Automóveis e Comerciais leves, somados, fecharam fevereiro com vendas 7,77% menores que janeiro, porém, a média diária de vendas foi 12,7% maior.

De acordo com o levantamento realizado pela Fenabrave os emplacamentos de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) apresentaram queda de 8,57% no mês de fevereiro, no comparativo com janeiro. Ao todo, foram emplacadas 204.938 unidades no segundo mês de 2017, ante as 224.138 registradas no mês anterior.

Na comparação dos acumulados de 2016 e 2017, o mercado automotivo retraiu 14,88%. Foram emplacadas 429.076 unidades nos dois primeiros meses deste ano, contra 504.067 no mesmo período de 2016. Ao comparar fevereiro deste ano com o mesmo mês do ano passado, a queda foi de 15,72%.

Conforme os dados apresentados pela entidade, os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, também apresentaram queda no acumulado do ano, com uma redução de 5,42% sobre o ano passado. Ao todo, foram emplacadas 275.966 unidades em 2017, contra 291.768 em 2016. No mês de fevereiro (132.405 unidades) houve queda de 7,77% para os segmentos, se comparados ao mês de janeiro (143.561 unidades). Com relação a fevereiro de 2016 (142.091 unidades), o resultado aponta uma baixa de 6,82%.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, além dos dias úteis a menos em fevereiro, o resultado do mês ainda é efeito da sazonalidade de início de ano, onde as vendas, historicamente, são mais baixas. “Porém, já observamos uma melhora na média de vendas diárias, que cresceram 12,7% em fevereiro, chegando a 7.356 automóveis e comerciais leves emplacados todos os dias", explicou, comentando que, se não fossem os quatro dias úteis a menos, o resultado de fevereiro seria diferente.

Segundo Assumpção Júnior, o mercado automotivo passará por um momento de retomada, mesmo que moderada, ao longo do ano, com a expectativa de maior crescimento a partir do segundo semestre. “Dificuldades como essas, agregadas ao baixo índice de confiança, fizeram com que as famílias e as empresas se retraíssem em relação ao consumo, retardando a tomada de decisão para a compra de veículos novos", completou.

 

A Volkswagen está aumentando sua linha de modelos com uma novidade à frente do seu tempo: o Novo Arteon. O modelo fastback, posicionado acima do Passat, será apresentado ao público no Salão Internacional de Genebra (9 a 19 de março).

Combinar o design de vanguarda com um alto nível de versatilidade foi o principal objetivo para os designers e desenvolvedores do Novo Arteon. Isso resultou em uma arquitetura de interiores que é excepcionalmente espaçosa – com amplo espaço para a cabeça e as pernas em todos os lugares – incomum para veículos com essa carroceria.

Os principais elementos de design do Novo Arteon incluem o seu visual frontal inédito, no qual os faróis de LED e as luzes diurnas se fundem com os filetes cromados que cruzam a grade do radiador e o capô. A linha de cintura do modelo é outra característica de definição de seu projeto.

Entre os equipamentos inéditos na categoria que compõe a oferta do Novo Arteon estão a mais recente geração de sistemas de assistência ao motorista. Recursos interessantes foram adicionados que são normalmente reservados para automóveis de luxo. Essa combinação única fará do Novo Arteon um dos produtos mais atraentes do seu segmento.

 

 A Audi do Brasil deu início à produção de mais um carro na sua linha em São José dos Pinhais, no Paraná. A montadora passa a fabricar também o Q3 1.4 TFSI Flex com 150 cv de potência. O carro é o segundo da marca com a tecnologia bicombustível produzido localmente e já está sendo distribuído nas concessionárias do país nas versões Attraction, Ambiente e Ambition.

 “Agora passamos a oferecer também a versão flex do SUV premium mais vendido no país em 2016, que chega muito alinhada às necessidades do consumidor brasileiro. Temos certeza que, assim como o A3 Sedan flex, o modelo será um sucesso de mercado”, afirma Herlander Zola, diretor de marketing da Audi do Brasil.

Presença marcante

Com linhas inspiradas nos cupês esportivos e soluções de design inovadoras para a categoria dos SUVs, o Q3 deixa claro, à primeira vista, seu caráter premium. As linhas horizontais predominantes na frente e na traseira do veículo reforçam a impressão de largura e marcam a expressividade do design.

Na dianteira, o elemento principal é a grade trapezoidal. A atitude desafiadora do modelo é ressaltada pelos faróis de xenônio e pelas luzes de condução diurna de LEDs.

Internamente, oferece amplo espaço e alta segurança para até cinco ocupantes. O porta-malas leva até 460 litros de carga e pode ser ampliado pelo rebatimento parcial ou total dos bancos traseiros para acomodar um volume que chega aos 1.365 litros.

Dinamismo com eficiência

A rígida estrutura do Q3, associada a uma suspensão cuidadosamente desenvolvida, proporcionam um rodar seguro e confortável tanto no trânsito urbano como na estrada. A boa altura livre em relação ao solo permite encarar com desenvoltura até caminhos mais acidentados. A versão de entrada, Attraction, conta com rodas de liga leve de 17 polegadas, enquanto a Ambiente e a Ambition trazem rodas aro 18.

A grande novidade do modelo é o novo motor flex 1,4 litro turboalimentado e com injeção direta de combustível, que desenvolve potência máxima de 150 cv entre 4.000 e 6.000 rpm e um generoso torque de 250 Nm, disponível entre 1.500 e 3.500 giros, tanto com etanol quanto com gasolina.

As peças que mantêm contato com o combustível, como tanque, galerias, bombas de alimentação, entre outras, recebem tratamentos diferentes para o etanol. Além disso, o propulsor possui um sensor que reconhece a mistura de combustível antes da queima devido à maior precisão exigida por um sistema com turbina, criando uma referência para o módulo de injeção – que também tem calibração diferente.

A tecnologia TFSI flex garante baixos índices de consumo e emissões de CO2 e é complementada pelo sistema start/stop, que desliga o motor quando o carro é imobilizado, reativando-o imediatamente quando o motorista alivia o pedal do freio.

Os atributos do motor são potencializados pela dinâmica transmissão S tronic de seis velocidades. Com dupla embreagem, o câmbio realiza trocas de marchas com extrema rapidez, sem deixar que a rotação do motor caia. A caixa S tronic pode funcionar de forma automática, permitindo trocas manuais por meio da alavanca no console ou pelos shift paddles, instalados junto ao volante multifuncional.

Com esse conjunto, o Q3 alcança os 100 km/h em 8,9 segundos e atinge uma velocidade máxima de 204 km/h com ambos os combustíveis.

Lista de equipamentos e acabamento

Em todas as suas versões flex, o Q3 oferece uma generosa lista de equipamentos. O modelo Attraction conta de série com ar-condicionado, bancos de couro sintético, ajuste elétrico do banco do motorista, faróis de xenônio com limpadores, volante multifuncional revestido de couro com shift paddles, rádio Concert com conexões auxiliar e Bluetooth, computador de bordo e sensores de luz e chuva. O freio de estacionamento tem acionamento elétrico e o motorista conta com a conveniência e segurança do assistente de partida em aclives, que evita o recuo do carro.

A versão Ambiente traz adicionalmente ar-condicionado automático com duas zonas, espelho interno com função antiofuscante automática, controle de velocidade de cruzeiro, soleiras de alumínio, retrovisores externos rebatíveis com ajustes elétricos e sensores de estacionamento traseiros e dianteiros. Para esse modelo, a lista de opcionais inclui teto solar panorâmico Open Sky, abertura e fechamento elétrico do porta-malas, pacote interno de luzes de LED e Pacote Conveniência, composto por Auto Hold, Audi Lane Assist e assistente de luz alta.

Já a topo de linha Ambition recebe ainda acabamento interno de alumínio, controle de cruzeiro colorido, teto solar panorâmico Open Sky, pacote de luzes, abertura e fechamento elétrico do porta-malas, rádio MMI e sistema de navegação. Os opcionais da versão são faróis full LED, Pacote Conveniência e Pacote Tecnológico, que inclui sistema de som Bose, Audi drive select, keyless entry e sistema Auto Park com câmera de ré.

Dados técnicos

Motor: 1.4 TFSI flex

Cilindros: 4 em linha

Cilindrada: 1.395 cm³

Potência: 150 cv entre 5.000 e 6.000 rpm (E e G)

Torque: 250 Nm entre 1.500 e 4.000 rpm (E e G)

Tração: dianteira

Transmissão: S tronic, seis velocidades

Comprimento: 4.388 mm

Largura: 1.831 mm

Altura: 1.590 mm

Distância entre eixos: 2.603 mm

Peso: 1.405 kg

Capacidade do porta-malas: 460 l

Tanque de combustível: 64 l

Aceleração 0-100 km/h: 8,9 s (E e G)

Velocidade máxima: 204 km/h (E e G)

Preços sugeridos

Audi Q3 Attraction 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 143.190

Audi Q3 Ambiente 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 154.190

Audi Q3 Ambition 1.4 TFSI flex  S tronic – R$ 170.190

Fonte: Assessoria