A Renault anuncia uma parceria com os desenvolvedores do Waze, o aplicativo de trânsito e navegação colaborativo gratuito e em tempo real, para melhorar a navegação e a experiência no trânsito dos clientes e condutores de veículos Renault.

A Waze apresentará um protótipo do seu aplicativo Waze para Android Auto com exclusividade no estande da Renault durante o Salão do Automóvel de Paris, a exposição de automóveis mais visitada em todo o mundo, que abre suas portas ao público nesta semana. A parceria lançada com a Waze coloca em destaque o objetivo da Renault de facilitar o dia-a-dia dos condutores, tornando o trânsito mais seguro e mais agradável, graças à otimização do tempo de percurso.

“A Renault tem o objetivo de facilitar o uso do automóvel. Por isso, é muito bom poder trabalhar em estreita colaboração com a Waze, para permitir que nossos clientes tenham ainda mais opções disponíveis em um dos aplicativos de navegação gratuitos mais utilizados em todo o mundo”, explicou Benoît Joly, Responsável de Vendas e Marketing de Veículos Conectados e Serviços de Mobilidade do Grupo Renault.

Para comemorar o lançamento do ZOE equipado com a nova bateria Z.E. 40 a partir de 1º de outubro, o aplicativo Waze exibirá ícones Renault nos 13.000 pontos de recarga existentes na França. Também estará disponível uma ferramenta de busca com as cores da Renault para facilitar a localização dos eletropostos.

Jérôme Marty, Gerente de Publicidade da Waze França, comentou: “O Waze é o aplicativo de navegação baseado na maior comunidade de condutores de todo mundo, cuja missão é oferecer a melhor experiência de condução. A Renault é pioneira no segmento de veículos elétricos e, por isso, seria lógico trabalharmos juntos para que nossos respectivos clientes pudessem encontrar um posto de recarga tão rápido como um posto de combustíveis. Mantemos o mesmo objetivo de tornar o trânsito mais agradável e facilitar a experiência de dirigir. Já estamos buscando novas soluções para estabelecer outras parcerias, como é o caso do aplicativo Waze para Android Auto”.

Multitarefa é um adjetivo que define bem os millennials - geração composta por jovens adultos na faixa entre os 20 e 35 anos. A capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e ter conhecimento sobre os mais variados assuntos faz com que esses jovens estejam sempre antenados e por dentro de tudo o que acontece.

No entanto, tanta informação somada à uma quantidade ilimitada de tarefas está fazendo com que esses jovens se estressem cada vez mais. No caso das mulheres, o estresse tem sido causa de esquecimento frequente de atividades comuns do dia a dia, como tomar a pílula anticoncepcional; levar chaves, carteira e celular; ou tirar a maquiagem antes de dormir, por exemplo. É o que aponta a pesquisa global "Millennials e Contracepção - Por que nos esquecemos?", realizada pela Bayer em vários países e que contou, no Brasil, com apoio do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O estudo teve como objetivo chamar atenção para o Dia Mundial da Prevenção da Gravidez Não Planejado (26 de setembro), celebrado essa semana.

O estudo explorou como a memória das mulheres millennials pode ser impactada pelo estresse, levando em consideração as mudanças no estilo de vida delas em um curto espaço de tempo e a influência disso em suas atividades e hábitos diários. A pesquisa foi conduzida em nove países (Alemanha, Bélgica, Brasil, Espanha, Estados Unidos, França, Irlanda, Itália e México) com mulheres entre 21 e 29 anos, que fazem uso de pílulas anticoncepcionais.

Brasileiras - Por que elas esquecem?

No Brasil, mais de 16 milhões de mulheres se encontram na faixa entre 20 e 29 anos, o que representa 16,2% da população total, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016). A pesquisa apontou que boa parte delas esquece regularmente de fazer atividades cotidianas. Entre as ações mais esquecidas estão tomar a pílula anticoncepcional (58%), remover a maquiagem antes de dormir (20%) e levar consigo chaves, carteira e celular (10%). Elas atribuem isso a uma tendência em ser esquecida (39%), ter alguma preocupação (30%) e mudanças na rotina (13%).

De acordo com o estudo, as brasileiras são as que mais esquecem de tomar a pílula anticoncepcional. Enquanto a média mundial ficou em torno de 39%, no Brasil, 58% delas apontaram esquecimento pelo menos uma vez no último mês, seguidas das norte-americanas (54%) e das irlandesas e belgas (ambas 42%). Considerando o último ano, a taxa de esquecimento sobe para 89% entre as brasileiras.

Em relação à pílula, os principais motivos apontados para o esquecimento são não tomá-la todo dia no mesmo horário (32%), não deixá-la em lugar visível (21%), estresse no trabalho ou nos estudos (20%) e agenda cheia (17%).

Outro aspecto sensível é que seis em cada dez brasileiras (58%) não tomam a pílula no mesmo horário todos os dias. Quase 40% delas não considera necessário esse cuidado. "A pesquisa mostrou que mulheres que não têm o costume de tomar a pílula todos os dias no mesmo horário tendem a esquecê-la. Ou seja, manter uma rotina contribui para o não esquecimento. Além disso, algumas pílulas, por terem baixa dosagem hormonal, devem ser ministradas sempre no mesmo horário para garantir a eficácia. De acordo com o Estudo Coraliance, realizado na França, as pílulas, quando tomadas diariamente e sem pausa, ajudam a melhorar a adesão por não haver quebra na rotina das mulheres. É importante lembrar que a continuidade do uso também traz benefícios adicionais como a redução do sangramento, a melhora da acne e dos sintomas da TPM", afirma Dr. Afonso Nazário, ginecologista e Professor Livre-Docente do Departamento de Ginecologia da UNIFESP.

Estresse, agenda atribulada, mudanças. Segundo as participantes da pesquisa, essa rotina influencia o esquecimento do uso correto do contraceptivo - 64% das brasileiras são mais propensas a esquecer a pílula quando estão preocupadas. Esse fato gera um outro comportamento também apontado pela pesquisa: dessas mulheres, 74% já consideraram métodos contraceptivos que não precisam ser tomados diariamente.

Desde 2014, a Academia Americana de Pediatria juntamente com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia recomenda o uso de métodos contraceptivos reversíveis de longa duração para todas as mulheres. O objetivo vai além de evitar a gravidez não planejada, mas também adentra aos impactos sociais, econômicos e na saúde pública que uma gestação não planejada pode acarretar.

"Uma gravidez não planejada entre adolescentes tem consequências negativas para as jovens, suas famílias e também para a sociedade. O planejamento reprodutivo voluntário é um dos maiores avanços do último século em saúde pública e um dos investimentos mais custo-efetivos que um país pode realizar para o bem das próximas gerações", ressalta Marta Finotti, ginecologista, membro da Comissão Nacional Especializada em Anticoncepção da FEBRASGO.

No Brasil, o contraceptivo mais utilizado depois da pílula anticoncepcional é o dispositivo intrauterino, mais conhecido como DIU, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS). O DIU oferece a durabilidade de até 5 anos no caso do hormonal e de 10 anos no de cobre, e ambos possuem índice baixo de falha - entre 0,2% e 0,8%. 

Os métodos contraceptivos reversíveis de longa duração são recomendados como opções de primeira linha para evitar a gravidez não planejada na adolescência, já que oferecem alta segurança e eficácia contraceptiva, não dependem da disciplina da mulher e podem ser interrompidos a qualquer momento, caso haja o desejo de ser mãe.

"Um ponto fundamental a ser ressaltado é que a escolha do método contraceptivo, seja ele qual for, deve ser feita com a orientação do ginecologista, para avaliar o método que melhor se adequa ao dia a dia e as necessidades da paciente, respeitando sempre as contraindicações e as possíveis restrições ao uso", conclui a Dra. Finotti.

Contracepção X Prevenção

Um dado preocupante da pesquisa aponta que, em todos os países, as mulheres abandonam o uso do preservativo (camisinha) quando utilizam a pílula como método anticoncepcional e essa tendência aumenta com a idade. No início da segunda década de vida, apenas 17% delas combina os dois métodos, já no final, esse percentual cai ainda mais, alcançando 11%.

As brasileiras estão entre as que menos utilizam o preservativo quando adotam a pílula, apenas 6% delas combinam os métodos. Ficam atrás somente das irlandesas (5%). As americanas são as que mais combinam contracepção com prevenção; 29% delas usam preservativo mesmo tomando anticoncepcional.

Levando em consideração que a maior concentração dos casos de AIDS no Brasil está na faixa entre 25 e 39 anos para ambos os sexos (53,6% entre eles e 49,8% entre elas), segundo o Ministério da Saúde, esse dado da pesquisa mostra a sensibilidade do tema e a necessidade de uma maior conscientização para a prevenção de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

É sua vida, é sua decisão

Com o objetivo de melhorar a educação sexual, promover a conscientização sobre a contracepção moderna e reduzir os altos índices de gravidez não planejada e/ou de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) em todo o mundo, foi criado o Dia Mundial da Prevenção da Gravidez Não Planejada, que acontece em 26 de setembro. Cada ano a campanha tem um tema, e o de 2016 é : "É sua vida, é sua decisão". A ação é uma iniciativa de ONGs e sociedades internacionais - com apoio mundial da Bayer, e acontecerá pelo décimo ano consecutivo em mais de 70 países da Europa, Ásia e América Latina. No Brasil, a Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp) é parceira do projeto. No site da campanha www.vivasuavida.com.br é possível encontrar diversas informações sobre sexo seguro, gravidez e contracepção, entre outros temas. 

Motoristas que estiverem de passagem por Foz do Iguaçu na quinta (29) e sexta-feira (30) poderão ter acesso a uma série de serviços gratuitos. Profissionais da Secretaria Municipal da Saúde (SMSA) e estudantes do curso técnico de Enfermagem irão oferecer vacinas, exames e análises completas do peso corporal dos caminhoneiros. A ação faz parte do programa Saúde na Estrada, realizado há nove anos pela Ipiranga em todo o Brasil.

A estrutura para atendimento será montada no posto Gasparin, no Km 720 da BR-277. Entre os procedimentos na área da saúde estão distribuição de preservativos e orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis; entrega de materiais informativos para prevenção da dengue, zika vírus e chikungunya; verificação de pressão arterial e glicemia; vacinas; teste de visão; e teste de bioimpedância, que faz uma avaliação minuciosa do peso corporal, indicando a taxa metabólica, quantidade de água no organismo, massa livre de gordura, controle de gordura e músculos, entre outros indicadores. Haverá ainda o Espaço ZEN, onde os motoristas poderão cortar o cabelo.

A SMSA estará participando com 20 profissionais entre médicos, enfermeiros, auxiliares e agentes comunitários. Outros 20 estudantes de enfermagem supervisionados por seus professores também estarão atuando, fortalecendo os serviços. “É um grande evento, e os organizadores oferecem toda a estrutura como tendas, mesas e cadeiras, e a prefeitura participa como parceira, ofertando mão de obra para a realização dos serviços”, disse a secretária municipal da Saúde, Patrícia Foster Ruiz.

Por meio de um sistema de informação exclusivo em que os participantes são cadastrados, os organizadores podem comparar os resultados obtidos em atendimentos anteriores, traçando um panorama das condições de saúde dos caminhoneiros. “Em geral, eles tem pouco tempo, às vezes quase nenhum, para cuidar da saúde. No entanto, é uma profissão que demanda atenção tanto pelo estresse e pela rotina pesada que enfrentam diariamente, assim como também pelo sedentarismo. O Saúde na Estrada é uma opção para que os caminhoneiros possam estar em dia com a saúde. Isso reflete no bem-estar deles e de suas famílias que se tranquilizam por saber que, mesmo com as viagens constantes, não estão descuidando da saúde”, afirma Jeronimo Santos, diretor de Varejo da Ipiranga.

As Polícias Rodoviárias Federais e Estaduais também apoiam a iniciativa. Além de orientarem os motoristas na estrutura, também auxiliam com uma blitz educativa na rodovia, incentivando os motoristas a participarem da ação.

Nos últimos oito anos foram atendidos 341.398 motoristas e realizados mais de 3 milhões de procedimentos. Só no ano passado, 100 mil pessoas foram beneficiadas. A campanha já passou por 176 municípios de 19 estados brasileiros.

 A última parada do programa Saúde na Estrada foi em Presidente Wenceslau (SP). Em Foz do Iguaçu, será nos dias 29 e 30 de setembro, das 8h às 17h. Depois, a caravana da saúde segue para Arapongas (PR), que recebe a estrutura nos dias 3 e 4 de outubro.

 Assessoria 

Uma categoria de automóveis que caiu nas graças dos brasileiros foram os modelos SUV (Sport Utility Vehicle). Registraram um crescimento de 4% no último ano. Em consequência desse aumento de SUVs nas ruas brasileiras, crescem também as buscas por itens de manutenção e cuidados para manter o veículo em ordem. Em números, o Brasil contém mais de 8 milhões desses modelos circulando. Até o final de 2016, mais 12 modelos SUV estarão disponíveis no mercado.

Com um perfil diferente de outros modelos de automóveis, os pneus dos SUVs merecem atenção dos proprietários para garantir e manter o conforto no carro. De acordo a DPaschoal, empresa ligada à Associação Brasileira de Revendedores de Pneus (ABRAPNEUS), os pneus desse modelo de carro se diferenciam pelo perfil mais alto, e o uso misto em situações urbanas e fora do asfalto. Esses pneus são desenvolvidos e instalados nos SUVs para suportarem o uso em variadas situações e nos diversos terrenos, já que muitos modelos são equipados com trações 4x4. 

Apesar das medidas e uso diferentes, o primeiro item do pneu de um SUV é a calibragem.  A DPaschoal destaca que a calibragem deve ser feita semana ou quinzenalmente, nos casos de uso urbano ou misto (on road e off road), respectivamente. Se o procedimento da calibragem não for feito corretamente, pode causar danos na estrutura do pneu, diminuindo o tempo de vida útil do item. 

Para ajudar a manter o pneu calibrado, vale destacar a proteção correta das válvulas de ar. Veículos utilizados em percurso off road uma dica importante para manutenção da calibragem é manter as válvulas com as tampinhas. Caso contrário, a presença de barro pode trazer danos nas válvulas e consequentemente perda de pressão e desgaste prematuro nos ombros. 

Além da calibragem em dia, o proprietário deve prestar atenção no balanceamento e alinhamento do veículo, já que muitos rodam em terrenos variados. A escolha de um pneu adequado pode garantir um melhor desempenho, conforto ao dirigir e até mesmo economia. E sempre seguir as orientações colocadas pelo fabricante no manual do veículo. O presidente da entidade informa que, devido à mudança constante no percurso, é necessário prestar atenção na suspensão do veículo. 

Estepe: cuidados necessários

Muitos modelos de SUV, por um aspecto visual, optam por carregar o estepe no exterior do veículo. Essa exposição à temperatura e outras intempéries merecem cuidados especiais por parte do motorista. O pneu extra merece tanta atenção quanto os de rodagem. Como o pneu passa por situações diferentes, como chuva, sol e vento, o adequado é protegê-lo com uma capa especial, para evitar o desgaste prematuro. Válido lembrar, e sempre importante, que o estepe deve ser calibrado com 3 ou 4 libras à mais do que as aplicadas nos pneus em uso. 

Fonte: Com assessoria