No dia 8 de junho, 18 pessoas morreram após um grave acidente na rodovia Mogi-Bertioga, no Litoral de São Paulo. Apenas três dias depois, um ônibus que transitava na PR-445 tombou entre Tamarana e Londrina, resultando em 38 feridos e três vítimas fatais.

Os acidentes retratam uma triste coincidência: o uso correto do cinto de segurança poderia ter salvado muitas vidas. Apesar de a legislação prever o uso do equipamento de segurança no transporte coletivo intermunicipal e interestadual, essa é mais uma lei que ainda demanda muita conscientização social para ganhar adesão.

Uma pesquisa feita pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) mostrou que 98% dos passageiros ignoram o cinto de segurança nas viagens. “A segurança também depende do comportamento dos usuários, que precisam exigir o cinto, e, ao entrar nestes veículos, não deixar de usá-lo”, defende Mauro Gil Meger, vice-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

No transporte coletivo de passageiros, os veículos proibidos de transportar passageiros em pé também devem disponibilizar cintos em boas condições e com acesso facilitado a todos os usuários. “As empresas de transporte de passageiros sempre reforçam em suas viagens a obrigatoriedade do cinto. Antes de dar partida no veículo, o motorista se apresenta para os passageiros e ressalta a importância do uso do cinto de segurança, esse é o nosso procedimento padrão”, explica o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros dos Estados do Paraná e de Santa Catarina (Fepasc), Felipe Gulin.

Estudos comprovam que o cinto de segurança reduz em 70% as lesões e em 40% o risco de morte desses passageiros, mas Felipe afirma que ainda existe um longo caminho de conscientização da importância do uso do cinto. “Nós da Fepasc sempre procuramos apoiar campanhas que alertem sobre o uso do cinto de segurança. Essa é uma mudança de hábito que salva muitas vidas”, alerta.

O presidente completa: "não importa a distância ou a situação. O uso do cinto de segurança reduz significativamente as lesões nos automóveis, mas, no transporte de passageiros em ônibus e vans, o uso desse dispositivo pode evitar tragédias de grandes proporções".

Fonte: Assessoria

A Itaipu Binacional e o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu renovaram, nesta manhã desta quarta-feira (22), a parceria para a promoção da Rede de Educação Ambiental Linha Ecológica. Além da assinatura do convênio para o período de junho de 2016 a junho de 2018, foi feita também a entrega de um novo ônibus, para dar suporte às atividades da rede na área de abrangência do Programa Cultivando Água Boa (CAB), a Bacia Hidrográfica do Paraná 3.

A entrega foi realizada durante assembleia do conselho, na sede da entidade, em Santa Helena (PR). O veículo foi adquirido por meio de repasse da Itaipu Binacional, no valor de R$ 935.649, e contrapartida do Conselho dos Lindeiros, na ordem de R$ 103.961, totalizando R$ 1.039.610. O ônibus antigo foi vendido por R$ 100 mil e havia rodado 380 mil quilômetros.

“Temos uma parceria efetiva de sucesso”, resumiu o presidente do Conselho dos Lindeiros e prefeito de Marechal Cândido Rondon, Moacir Froehlich ao citar a Itaipu Binacional. Segundo ele, a partir da gestão do diretor-geral brasileiro da binacional, Jorge Samek e do diretor de Coordenação e Meio Ambiente, Nelton Friedrich, a usina deixou de gerar apenas energia. “Hoje ela gera, principalmente, desenvolvimento para os nossos municípios”, destacou.

Principais atividades

Nos 14 anos de Linha Ecológica, o coordenador do programa, Mauri Schneider destacou a apresentação das peças de teatro “Os Quatro Elementos” e “A Matita”, visitas técnicas com os mais diversos segmentos da região, participação em congressos, encontros de educação ambiental e eventos como a Rio+20 e o Fórum Social Mundial. 

Para Schneider, o veículo é um instrumento facilitador de projetos e programas desenvolvidos entre Itaipu e Conselho dos Lindeiros. “Avalio que o ônibus foi e sempre será um instrumento mobilizador, articulador e integrador dos projetos sociais e ambientais da Bacia do Paraná 3”, disse Schneider.  

Fonte: Assessoria

Um dos maiores problemas enfrentados por moradores de prédios ou frequentadores de shoppings, são os famosos amassadinhos e batidinhas nas laterais das portas, ocasionados por condutores desatentos que, ao sair do carro em locais apertados, acabam danificando o veículo de quem estava ao lado.

Muitas vezes, simplesmente, não há o que fazer, visto que para aproveitar o máximo possível de espaço, constroem-se vagas cada vez menores. Nesse caso, a única solução é contar com o bom senso das pessoas e torcer para que nada de errado aconteça, correto? Talvez não!

Fundada por um apaixonado por automóveis, a Proteporta surgiu no mercado com um objetivo muito simples: “Cansamos de passar por situações desagradáveis. As vezes você acaba de comprar um carro, coloca na garagem do prédio e seu vizinho simplesmente abre a porta como se não houvesse nada, danificando a lataria e deixando um prejuízo enorme para você gastar no martelinho de ouro. E o pior, se você for reclamar, ainda corre o risco de ouvir insultos”, informa Danielle Passoni, gerente de marketing da Proteporta.

Protetor Magnético

Criado em material totalmente reciclável e aprovado pelo INMETRO, o Protetor Magnético Proteporta é um lançamento exclusivo, licenciado e patenteado, que protege as portas do veículo em 90% dos casos, oferecendo nada menos que 6,3 cm de espessura, ideais para absorver impactos de veículos de todos os portes.

O grande diferencial do equipamento é sua fixação magnética, composta por unidades magnéticas de última geração, distribuídas ao longo da peça com o objetivo de garantir o máximo de absorção, mesmo quando um dos lados é deslocado.

“Tomamos o cuidado de revestir o produto com tecido, pois assim não há o risco do imã danificar a pintura. O mesmo ocorre com a fita antifurto, com um metro de comprimento, ela deve ser colocada na parte interna do veículo para evitar possíveis furtos do equipamento”, sentencia Passoni.

Ideal não só para consumidores finais, como também para Shopping Centers e Estacionamentos em geral, a Proteporta ainda oferece acabamentos especiais e personalizados, tendo inclusive estampas específicas para garotas!

O equipamento tem  sugerido de R$99,90.

Fonte: Assessoria 

Poucas semanas depois de ser apresentado, o novo Peugeot  3008 recebe sua mais dinâmica e exclusiva versão: a GT. Uma autêntica expressão de modernidade e do prazer ao dirigir, destinada a um cliente que busca uma experiência única de condução, a versão GT vem coroar a gama do novo SUV da marca. Exclusivamente equipado com o motor 2.0L BlueHDi 180 S&S EAT6, o novo PEUGEOT 3008 GT é dotado de uma série de atributos específicos e da  nova  pintura “Coupe Franche”. Complementando a gama, a versão GT Line, equipada com motorizações mais acessíveis, propõe uma síntese de características esportivas e topo de linha. Os novos PEUGEOT 3008 GT e GT Line integram assim a estratégia de subida de gama da marca e estarão disponíveis, na Europa,  a partir do lançamento comercial, em outubro de 2016.