O carro mais esperado do ano, o Kwid, foi apresentado em grande estilo pela montadora francesa com fábrica no Paraná, num show épico no Allianz Park (Estádio do Palameiras) em São Paulo, na última quarta-feira (2). Cerca de 800 artistas, jornalistas, concessionários de várias partes do Brasil, entre eles a reportagem da Sobre Rodas, puderam acompanhar a apresentação do carro que superou em quatro vezes as vendas da Renault, na pré-venda. 

A Renault do Brasil ampliará o Complexo Ayrton Senna, em Curitiba, em 14,5 mil metros quadrados, o equivalente a 20 campos de futebol. O anúncio do investimento de R$ 750 milhões voltados para a construção de uma nova fábrica: a Curitiba Injeção de Alumínio (CIA), e para a ampliação da Curitiba Motores (CMO), foi feito nesta terça-feira (01), em Curitiba, durante cerimônia com o governador do Estado do Paraná, Beto Richa; Olivier Murguet, presidente da Renault América Latina; e Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil.

“Nossos investimentos reforçam a importância estratégica do Brasil para o Grupo Renault e para o crescimento das nossas vendas na América Latina”, diz Olivier Murguet.

“A Renault do Brasil mais uma vez mostra sua confiança no Brasil, mantendo seu plano de investimentos e de lançamento de produtos, mesmo em um cenário de instabilidade econômica. A inauguração da CIA e a ampliação da CMO irão aumentar a nossa competitividade e o índice de produção local”, afirma Pedrucci.

Curitiba Injeção de Alumínio - CIA

A Curitiba Injeção de Alumínio é resultado do trabalho de cerca de duas mil pessoas, envolvendo equipes da Aliança Renault-Nissan de 11 países, para a implantação das melhores práticas e tecnologias de injeção na nova unidade industrial. O resultado é uma fábrica equipada com máquinas de alta tecnologia e modernos processos de produção, em uma área construída de 14,5 mil metros quadrados – equivalente a 20 campos de futebol

A partir de janeiro de 2018, o local vai iniciar a produção em série, a partir de uma linha de injeção a alta pressão, para o bloco, e outra de injeção a baixa pressão para produzir o cabeçote do motor 1.6 SCe (Smart Control Efficiency), lançado no final de 2016.

A sustentabilidade foi um dos pilares do projeto. Para a construção da CIA, foram utilizadas estruturas pré-moldadas, que reduziram a geração de resíduos e otimizaram a velocidade da construção. Para a economia de energia elétrica, a unidade conta com telhas translúcidas, que aproveitam a luz natural, e iluminação 100% LED, mais eficientes. Além disso, o pré-aquecimento das barras de alumínio será feito com o reaproveitamento do calor do processo, contribuindo para a utilização racional de gás.

Curitiba Motores (CMO)

O sucesso dos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, lançados no final de 2016, foi um dos principais motivos que levaram a Renault a planejar expansão de sua fábrica de propulsores. Inaugurada em 2001, a CMO já produziu aproximadamente 3,5 milhões de motores, com cerca de 40% desse total destinados à exportação. A ampliação inclui a construção de novas linhas de usinagem de blocos e cabeçotes em alumínio e virabrequim em aço, utilizados nos motores 1.6 SCe.

Produzidos no Complexo Ayrton Senna e apresentados ao mercado brasileiro no final do último ano, os motores 1.0 SCe e 1.6 SCe destacam-se pelo baixo consumo de combustível, desempenho e prazer ao dirigir. Para garantir a máxima eficiência dos propulsores, a Renault utilizou o know-how adquirido na Fórmula 1, categoria em que a marca já conquistou 12 títulos mundiais. Das pistas, veio a tecnologia ESM (Energy Smart Management) e a bomba de óleo com vazão variável, que reduzem o consumo de combustível, entre outras inovações.

O motor 1.0 SCe está disponível nos modelos Sandero e Logan. Já o 1.6 SCe, além de Sandero e Logan, também equipa os modelos Duster, Duster Oroch e Captur.

Renault do Brasil

Produzindo no Brasil desde 1998, a Renault conta atualmente com cerca de 6.300 colaboradores diretos e gera aproximadamente 25 mil empregos indiretos. A Renault está localizada em São José dos Pinhais (PR), onde fica o Complexo Ayrton Senna, que reúne as três fábricas da marca no Brasil: a de automóveis (CVP), a de comerciais leves (CVU), além da fábrica de motores (CMO). O Complexo Ayrton Senna está localizado em um espaço de 2,5 milhões de m², sendo que 60% dessa área são de mata preservada.

O Complexo Ayrton Senna também conta com cerca de 700 engenheiros do Renault Tecnologia Américas (RTA). Instalado em 2007, este centro de tecnologia tem o objetivo de desenvolver produtos voltados às necessidades e ao perfil do consumidor latino-americano. No país, a Renault também conta com o Renault Design America Latina (RDAL), localizado em São Paulo. É o primeiro e único estúdio de design da marca no continente americano.

 

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou hoje (1) o desempenho do setor automotivo no mês de julho e do acumulado de 2017. As vendas de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros) apresentaram retração de 4,04% em julho, na comparação com o mês anterior. Foram emplacadas 265.994 unidades em julho, contra 277.185 em junho.

Se comparado ao mês de julho de 2016 (271.827), o resultado geral dos emplacamentos de julho/2017 teve retração de 2,15%. No acumulado do ano, a queda foi de 4,99% sobre 2016. Foram emplacadas 1.771.435 unidades de janeiro a julho/2017, contra 1.864.538 no mesmo período de 2016.

Entre os segmentos automotivos, o de caminhões teve alta de 8,25% em julho, totalizando 4.525 unidades emplacadas, contra 4.180 em junho. Já no acumulado, o segmento continua em queda de 13,7%.

Outros segmentos, no entanto, apresentam queda em julho, mas resultados positivos no acumulado. Esse é o caso de automóveis e comerciais leves que, apesar da retração de 5,48% em julho sobre junho, apresentaram alta de 3,95% no acumulado de janeiro a julho sobre o mesmo período de 2016 (1.170.308 unidades de janeiro a julho de 2017, contra 1.125.868 no mesmo período de 2016). Se comparados apenas os meses de julho de 2017 e 2016, o resultado aponta uma alta de 2,33%.

Para o presidente da Fenabrave, a queda nas vendas de automóveis e comerciais leves no mês passado já era esperada em função das férias de julho e das incertezas do atual cenário político, que faz com que os consumidores se retraiam para as compras. "Apesar de o mês de julho ter sido negativo em relação a junho, no acumulado do ano o resultado foi positivo, e as expectativas da Fenabrave, para o segundo semestre, se mantém positivas, baseadas na maior oferta de crédito e na melhora dos índices de confiança”, avalia Alarico Assumpção Júnior, para quem os lançamentos de modelos pelas montadoras também favorecerão os resultados do segundo semestre do ano.

 

 

A Ford anunciou que todos os seus veículos equipados com a central multimídia SYNC 3 agora podem projetar o aplicativo Waze na tela, usando smartphones com sistema Android Auto. O EcoSport 2018, apresentado para a imprensa esta semana, já vem com SYNC 3 de série e vai oferecer o novo recurso em todas as versões. O Focus e o Fusion são outros modelos da marca que dispõem desse equipamento de última geração.

Apontado em diversos comparativos como um dos sistemas multimídia mais avançados e fáceis de usar do mercado, o SYNC 3 reúne as funções de telefone, áudio e navegação com mapas do Google Maps. Com o Waze, ele oferece aos motoristas uma nova opção para encontrar rotas mais rápidas e caminhos alternativos no trânsito.

Com cerca de 3,5 milhões de usuários só na cidade de São Paulo, o Waze é um dos aplicativos de navegação mais acessados do mundo. No Novo EcoSport, ele pode ser controlado tanto pelo sistema aprimorado de comandos de voz do SYNC 3 como por toques na tela capacitiva de 6,5” ou 8”, conforme a versão. A central multimídia da Ford funciona com controles intuitivos e respostas rápidas, como nos smartphones, e tem um revestimento especial que evita marcas de dedos na tela.

“A grande vantagem do SYNC 3 é manter o motorista conectado com segurança, sem precisar tirar as mãos da direção e os olhos da pista”, diz Andre Leite, gerente de Produto da Ford. “Ele evita que o motorista fique segurando o celular enquanto dirige, que é contra a lei, ou precise fixar o aparelho em algum suporte no carro.”

Como os demais aplicativos feitos para Android Auto, o Waze nessa plataforma conta com telas de navegação mais simples para evitar distrações do motorista.

Outros recursos que o SYNC 3 oferece, pareado a um smartphone, são o AppLink para acesso a aplicativos e a Assistência de Emergência, que faz uma ligação automática para o SAMU em caso de acidente com acionamento dos airbags ou corte de combustível. O SYNC 3 também é compatível com o Apple CarPlay, para acesso a iPhone, mas ainda não há previsão de disponibilidade do Waze para essa plataforma.

 

Passe na Autoeste, revendedora da marca em Foz do Iguaçu e confira. O endereço é o  Av. Nelson Cunha Júnior, 540 - Vila Perola, Foz do Iguaçu - PR, 85865-228.

O telefone é o (45) 3520-9900