Outubro Rosa: “Estou vivendo uma nova estação”, canta Erna Fuchs após vencer o câncer de mama 

Entrevistas
Typography

Erna Fuchs é uma mulher movida pela fé. Ela acredita no poder de Deus. E essa crença, consegue demonstrar cantando. Erna já gravou dois CDs, um DVD e prepara o terceiro CD de músicas gospel para ser lançado em 2018. A música que mais traduz o momento que vive, após vencer a luta contra um câncer de mama, é “Nova Estação”, do CD "Antes e Depois", lançado em 2012. 

Estou vivendo uma nova estação. Não é verão, nem frio, mas acalma o coração. Por muito tempo eu vivi na tempestade, tentando encontrar abrigo e a real felicidade. A chuva passou e o sol brilhou. As flores estão mais bonitas, o arco-íris se formou. E eu entendi que livre sou e aceito a minha condição, depender de um Redentor que vive”. Assista ao clipe, clicando aqui

Erna, que trabalha na Divisão de Benefícios da Itaipu Binacional, descobriu que estava com câncer em setembro de 2016, após um exame mais detalhado de um nódulo que já vinha acompanhando há algum tempo. “Quando abri o resultado da biópsia falei: Senhor! Que porcaria é essa aqui?”, lembra com humor do momento de desespero. “Não chorei. Fiquei meio aérea por uns 15 minutos. Depois liguei para uma médica amiga e falei do resultado do exame. E ela me acalmou”.

Embora, muitas vezes, o câncer acaba sendo genético, o de Erna não. “Duas irmãs minha já tiveram câncer de mama, mas o meu foi um tipo diferente. Não foi genético”.

 

Apesar da ansiedade e do medo de não vencer a doença e, assim, não poder cuidar das duas pessoas que mais ama, a filha Laise e a mãe Adelaide, uma fé gigante cresceu dentro dela. “Em momento algum achei que iria morrer. A notícia de um câncer abala a gente, primeiramente, o psicológico e, em seguida, o físico. O primeiro passo para a cura é amor próprio. Depois fé, aliada a um bom tratamento médico”, destaca. 

E da família que ela tinha medo de deixar, foi de quem mais teve apoio. “Minha família me amou mais do que eu imaginava. Nessas horas a gente vê o quanto a família é importante. É a base que nos sustenta nas horas difíceis. Foram o meu refúgio, minha força e meu amor. Também tive o apoio dos amigos, pois os verdadeiros permanecem nas horas mais difíceis”. 

O tratamento

O tratamento não foi fácil, mas não impossível. Foram sete meses, desde o diagnóstico até a confirmação da extinção da doença. Ela fez duas cirurgias, uma para retirada do nódulo e a outra para verificar se o câncer não tinha se alastrado para axila. “Graças a Deus não tive o carcinoma mamário invasivo”.

Após as cirurgias, como havia dúvida entre os profissionais se o câncer havia sido totalmente retirado, fez quatro sessões de quimioterapia natural (durante três meses). Com tratamento mais leve, não sofreu perda do cabelo. Depois, mais 30 sessões de radioterapia, no Hospital Costa Cavalcanti para concretizar o tratamento.

Embora não tenha feito, Erna orienta as pacientes a fazerem tratamento psicológico. “Não fiz acompanhamento psicológico. A minha terapia era conversar com Deus inúmeras vezes por dia, inclusive de madrugada. Pedia a orientação nas escolhas que eu precisava fazer quanto ao meu tratamento. Mas acredito ser importante um acompanhamento psicológico”.

Vencedora e atenta

Depois de ter vencido o câncer, ela acredita que o tempo é um presente de Deus, inclusive, quando estava em tratamento. “Cada dia era um dia a menos no final da radioterapia. Às vezes me sentia ansiosa demais para terminar tudo, mas apesar de impaciente, acreditava no sucesso. Quando vi, passou”. 

Mesmo livre da doença, Erna mantém um acompanhamento médico rigoroso. “A gente percebe o quanto a vida é breve, quanto somos responsáveis em cuidar do nosso corpo e ninguém mais além da gente”.

Mulheres, cuidem-se!

Erna orienta as mulheres a não esperarem apenas o mês de outubro para fazer a mamografia ou o autoexame. “Não espere para verificar aquele carocinho ou algo diferente no seu corpo. Não fiquei na dúvida. Pergunte e faça exames. Eu venci porque descobri no início”.

“Se ame! Se cuide! A vida é um presente do Pai!”, conclui. 

Ações em Foz

Em Foz, haverá atividades durante todo o mês de outubro. Organizadas pela Diretoria de Atenção Básica haverá coleta de exames preventivos, educação em saúde com foco na saúde da mulher, exames clínicos de mamas, solicitação de mamografias, realização de testes rápidos, atividades intersetoriais em parcerias, caminhadas e consultas multiprofissionais.

Na UBS da Vila Yolanda haverá Dia “D” na segunda-feira (16/10) e programação todas as segundas e sextas-feiras de outubro. Na UBS da AKLP no dia 17/10 e 19/10 a programação será até às 21 horas.

No dia 20/10, as atividades serão nas unidades do Jardim Curitibano, Profilurb I e Profilurb II. No 21/10, Porto Belo, Morumbi III e Portal da Foz. De 23 à 26/10 UBS do Jardim América. Dia 25, na Vila C Nova, dia 26 nas Unidades do Caic e Padre Monti, Vila C Velha, Vila Adriana. No dia 27/10, no Morumbi II e Campos do Iguaçu. No dia 27 também será realizada a caminhada Outubro Rosa. No dia 30/10 a programação segue na Unidade de saúde do bairro Cidade Nova.  

e-max.it: your social media marketing partner