Itaipu participa de missão do Brasil e Argentina à China para divulgar as Cataratas

Turismo
Typography

A Itaipu participará da missão conjunta do Brasil e Argentina à China para promover as Cataratas do Iguaçu e o Destino Iguassu, entre 14 e 23 de maio. A empresa integrará a comitiva binacional que tem como objetivo atrair mais turistas chineses para a região da tríplice fronteira.

A principal estratégia da missão é promover as Cataratas, atrativo compartilhado por Brasil e Argentina, eleito uma das sete novas maravilhas da natureza, em 2011. O tema foi discutido entre as autoridades dos dois países na última terça-feira (17), durante o Fórum dos Ministros de Turismo do G-20, em Buenos Aires.

Durante a viagem, a Fundação New7Wonders realizará um ato para celebrar a irmandade entre as Cataratas do Iguaçu e a Muralha da China, uma das maravilhas do mundo construídas pelo homem. O termo prevê a cooperação técnica e troca de experiências no que diz respeito à administração de infraestrutura dos atrativos.

O ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lumertz; Gilmar Piolla, secretário da Pasta em Foz; o ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos; Alexandre Pacheco, coordenador de Turismo brasileiro de Itaipu  e Marcelo Almada, da New7Wonders, no encontro do G20 do Turismo 

Nos nove dias de missão, as Cataratas serão divulgadas na feira de turismo ITB China, uma das mais importantes do setor, e em roadshows (eventos itinerantes que funcionam como uma espécie de workshops para agentes de turismo).

Na ITB China, o atrativo terá destaque nos estandes do Brasil e da Argentina, além do espaço da Fundação New7Wonders. Além de Xangai, onde acontece a feira, a missão passará por Pequim, Cantão e Hong Kong, cidades consideradas as principais emissoras de turistas chineses.

A usina de Itaipu, que recebeu mais 170 mil turistas chineses em 25 anos, será representada pelo coordenador de Turismo da margem brasileira e vice-presidente do Fundo Iguaçu, Alexandre dos Santos Pacheco. “A China é o maior mercado emissivo do mundo e também o que mais cresce. Esta iniciativa é nossa porta de entrada para o mercado chinês, onde queremos estar e permanecer”, afirmou Pacheco. “Acreditamos que o Destino Iguassu passará a fazer parte do projeto de viagem de todo chinês.”

 

Pacheco destacou ainda a relevância do relacionamento entre a Itaipu e a New7Wonders, selado na campanha para eleição das Sete Novas Maravilhas da Natureza. “Esta parceria sempre se baseou no conceito de que temos duas grandes maravilhas no nosso destino: as Cataratas e a usina de Itaipu, uma das maravilhas do mundo moderno.”

Segundo o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, Gilmar Piolla, esta é a primeira vez que os governos do Brasil e da Argentina se unem para promover um atrativo turístico no exterior.

A comitiva será composta ainda por representantes de organizações governamentais e não-governamentais dos dois países, entre elas os ministérios do Turismo brasileiro e argentino, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e a Inprotur (Instituto Nacional de Promoción Turística), o Iturem (Ente Municipal de Turismo de Iguazú), o Instituto New7 Wonders, o Iguassu Convention & Visitors Bureau e o Iguazú Convention Bureau.

Mercado em potencial

Segundo estudo divulgado pela Academia de Turismo da China e pelo Grupo Ctrip, 130 milhões de chineses viajaram ao exterior em 2017, mas menos de 1% teve como destino a América do Sul. Segundo o ICBV, uma das razões é que voos diretos para a América Latina são praticamente inexistentes, o que caracteriza a desconexão entre as regiões. Uma das estratégias da promoção conjunta é iniciar a captação de voos diretos entre China e Brasil e Argentina.

O número de passaportes emitidos pela China deve chegar a 150 milhões até 2025. O perfil do turista chinês é predominantemente jovem. Dois terços deles pertencem aos chamados millennials, entre 15 e 35 anos. Estima-se que 74 milhões de universitários se juntarão ao turismo emissivo na próxima década. Outra característica é de que eles não economizam. A despesa média de viagem é de US$ 1.400, o que equivale a aproximadamente R$ 4.800.

Geração de negócios

Além do caráter institucional, o propósito é fomentar a comercialização do Destino Iguassu na China e, com isso, gerar mais negócios. Assim, as empresas mantenedoras do Iguassu CVB podem participar para apresentar os atrativos e a infraestrutura. “Nessa ação, vamos abrir o mercado, pois a China tem um potencial enorme e a natureza e o turismo de aventura são alguns dos temas preferidos pelos chineses para escolher o destino de viagens. É justamente por isso que todo o trade turístico está convidado a participar dessa missão”, diz o presidente do Iguassu CVB, Jaime Nascimento. Ele explica que não há custos para a participação nesses eventos – cada empresa deverá arcar somente com as despesas da viagem.

Destino Iguassu

Por decisão do trade turístico local, o Destino Iguassu passou a adotar esta grafia, abolindo o cê-cedilha. O objetivo é facilitar a divulgação internacional.

 

Fonte: Assessoria

e-max.it: your social media marketing partner