Rota Beira Parque será preparada para ser referência no cicloturismo internacional

Turismo
Typography

A Rota Beira Parque que liga Foz do Iguaçu a Cascavel, margeando o Parque Nacional do Iguaçu, será preparada para ser referência no cicloturismo internacional. Umpasseio ciclístico, em Foz do Iguaçu, nesse sábado (23), marcou o início das obras de infraestrutura e adequação da “estrada”.

O grupo de quase 400 ciclistas saiu do Centro de Recepção do PNI e seguiu em direção à Avenida Felipe Wandscheer, percorrendo os 10 primeiros quilômetros dos 220 que compõem o trajeto.

“O Parque Nacional é reconhecido internacionalmente por ser Patrimônio da Humanidade. Uma rota nas suas margens, com certeza, será reconhecida internacionalmente e atrairá turistas do mundo todo para a região”, disse o diretor de Coordenação da Itaipu, Newton Kaminski.

As obras fazem parte do Projetos Caminhos do Iguaçu, que prevê uma série de ações para criar outras alternativas de turismo dentro do Parque Nacional do Iguaçu.

A primeira etapa das obras custará cerca de R$ 6,5 milhões. Desse montante, 70% serão pagos pela Itaipu Binacional e os outros 30% pelos 11 municípios lindeiros ao PNI. “Queremos diversificar e fomentar o turismo regional. Investir na melhoria desta estrada é uma contribuição da Itaipu”, completou Kaminski. O trabalho está sendo coordenado pela superintendência de Obras, da Itaipu.

 

“Essa rota já existe, inclusive, é bastante utilizada por moradores da região, mas agora, ganhará uma outra utilidade, o cicloturismo, entre outras práticas esportivas”, completou o prefeito de Foz, Chico Brasileiro. A parte iguaçuense receberá pavimentação com fresagem asfáltica, aproveitando o material retirado da pista do aeroporto, que passa por reforma.

Assim como Foz, os outros 10 municípios também já licitaram as obras em seus trechos, a previsão é que a fase de pavimentação, drenagem e adequação da pista fique pronta até dezembro. Numa segunda etapa, de acordo com Kaminski, serão construídos pontos de paradas e incentivada a construção de pousadas e restaurantes por parte da iniciativa privada. A sinalização de toda ciclovia também será feita pela Itaipu e deve estar pronta no segundo semestre de 2018.

Aprovada

A iniciativa foi aprovada pelos ciclistas e empresários da região. O empresário Luciano Castilha, presidente da Associação Ciclística Cataratas do Iguaçu, pedala há 12 anos. Ele é um dos grandes incentivadores do esporte na cidade. “Foz do Iguaçu já uma cidade turística, agora, teremos um novo equipamento na região. Com certeza, essa ciclovia colocará a cidade na rota do cicloturismo”, afirmou Castilha. E completou: “Teremos uma trilha que termina ou começa em plena Cataratas do Iguaçu. Quem não vai querer percorrer?

A jornalista Cristina Gourlart já foi profissional da bike. Ela participou de várias competições sobre duas rodas, mas sua bicicleta estava parada há 18 anos. “Essa notícia me incentivou a tirar as teias de aranha da bike e voltar a pedalar”, contou. Na opinião de Cristina, uma rota como essa facilita a prática do esporte. Todo jogador de vôlei precisa de uma quadra, um ciclista precisa de uma pista. Agora teremos”, comparou.

 O servidor público Emerson Hirai começou a pedalar há um ano. Foi a forma encontrada por ele para despertar no filho, o pequeno Davi de 2 anos, o gosto pelo esporte. Pai e filho adoraram o passeio. “Faltava em Foz um espaço como esse. Poder praticar o esporte que a gente gosta, em meio a natureza e ainda com segurança, é simplesmente maravilhoso”.

 

Autoridades

Participaram do lançamento das obras, Newton Kaminski; Chico Brasileiro; Fernanda Fedrigo presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo (Adetur), o secretário de Turismo Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu Gilmar Piolla, além de representantes das associações ciclísticas de Foz do Iguaçu.

Abilene Rodrigues 

Fotos: Nilton Rolin

 

 

 

 

 

 

 

e-max.it: your social media marketing partner