Viagens nos fins de semana prolongados por feriados que caem na segunda, terça, quinta ou sexta-feira devem injetar R$ 21 bilhões a mais na economia brasileira em 2017. A projeção é do Ministério do Turismo.

O levantamento, feito em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), considerou um acréscimo de 22 dias de folga no calendário, quando 10,5 milhões de viagens deverão ser feitas.

Na contramão de outros setores que projetam prejuízos com os feriados, como o comércio e a indústria, o Ministério do Turismo acredita que as viagens e o consumo nos dias de folga gerarão renda e emprego.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Edmar Bull, as empresas do segmento já começaram a sentir o impacto dos feriados com o aumento na procura por pacotes de viagens.

A entidade estima que a demanda por viagens de lazer em 2017 deverá crescer entre 8% e 14%. “Os brasileiros vão poder viajar mais, gastando menos, porque uma das vantagens da ocupação pulverizada ao longo do ano é o maior equilíbrio na equação oferta x demanda, o que impacta diretamente na composição das tarifas aéreas e hoteleiras”, comentou Bull.

Feriados

O feriado que deve gerar maior impacto é o Dia de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de outubro, quando 1,94 milhão de viagens movimentarão R$ 3,9 bilhões na economia.

O levantamento leva em consideração os feriados de 21 de abril (Tiradentes, sexta-feira), 1º de maio (Dia do Trabalho, segunda-feira), 15 de junho (Corpus Christi, quinta-feira), 7 de setembro (Independência do Brasil, quinta-feira), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, quinta-feira) e 2 de novembro (Finados, quinta-feira).

O Carnaval, a Semana Santa, o Natal e Réveillon foram desconsiderados, porque via de regra geram fins de semana prolongados e a ideia da projeção foi levantar qual o valor a ser acrescentado na movimentação econômica nacional em 2017.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Turismo e da Agência Brasil

No ano em que Itaipu retomou a liderança mundial de produção de energia, o turismo também foi histórico: 954.572 visitantes passaram pelos atrativos turísticos de Itaipu em 2016, estabelecendo um novo recorde. O número supera os 952.356 visitantes registrados em 2013, coincidentemente o mesmo ano do antigo recorde de produção da binacional. A visitação de 2016 é também 16% maior que a de 2015, considerando as duas modalidades de visitas (institucional e turística) com entrada pelos dois países (Brasil e Paraguai).

“A Itaipu é uma usina de recordes e isso ficou comprovado em 2016. A perspectiva do recorde mundial de geração de energia impulsionou o aumento do número de visitantes”, afirmou o superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla. Segundo ele, as campanhas de divulgação do turismo da usina e do Destino Iguaçu também ajudaram a impulsionar a visitação.

O destaque foi o Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), que teve um crescimento de 82% em relação a 2015. Uma das novidades no turismo de Itaipu, no ano passado, foi a campanha “Meu Refúgio”, protagonizada pelo alpinista Waldemar Niclevicz. A ação incentiva os turistas ao plantio simbólico de sementes de árvores nativas da região. As mudas serão usadas no programa de reflorestamento da Itaipu, o maior do mundo realizado por uma usina hidrelétrica. 

No total, 522.003 pessoas visitaram todos os atrativos do Complexo Turístico da margem brasileira – Circuito Especial, Ecomuseu, Iluminação da Barragem, Visita Panorâmica, Polo Astronômico, Porto Kattamaram, Test Drive do Veículo Elétrico e Refúgio Biológico. O número é quase o mesmo de 2015. Em dezembro, a promoção “Itaipu em dose dupla”, que inclui a visita panorâmica da usina combinada com o passeio de Kattamaran, aumentou a visitação do atrativo em 18%.

No lado paraguaio, a reabertura do Museu da Terra Guarani aumentou em 96% as visitas do complexo turístico do país vizinho. Foram 207.430 turistas nos atrativos entrando pela margem paraguaia, quase 67 mil deles conheceram o Museu Guarani, que esteve fechado em 2015. Outros destaques foram o Modelo Reduzido da Barragem, com alta de 88%, e o Refúgio Biológico Tati Yupí (alta de 50%). 

A visitação institucional (aquela atendida pela própria Itaipu e feita para escolas, grupos de estudantes e de profissionais) da margem brasileira atraiu 46.198 visitantes, um crescimento de 38% em relação a 2015, ou quase 13 mil pessoas a mais. Este aumento reflete uma melhoria no fluxo dos visitantes dentro e fora da usina. As visitas institucionais da margem paraguaia tiveram um aumento de 11%.

Brasileiros e paraguaios

Como era de se esperar, brasileiros (54,32%) e paraguaios (32%) são os que mais visitaram Itaipu em 2016. Em terceiro lugar ficou Argentina (5,75%), seguida pelo Uruguai (1,03%). Alemães, peruanos, chilenos, chineses, norte-americanos e espanhóis completam a lista das 10 nacionalidades com maior número de turistas nos atrativos da binacional.

Um levantamento feito pela Paraná Pesquisas, em nove destinos turísticos brasileiros, confirmou por que Foz do Iguaçu está entre as que oferecem o melhor custo-benefício, o que inclui sua hotelaria. O levantamento mostrou que Foz do Iguaçu e Salvador (BA) são as cidades que oferecem os menores valores de diárias, em hotéis de categorias 3 e 4 estrelas, os mais procurados pelos turistas.

As informações da Paraná Pesquisas foram obtidas entre os dias 21 e 29 de novembro, utilizando os sites mais procurados pelas pessoas que planejam suas viagens de férias ou de negócios: www.booking.com, www.bestday.com.br, www.hoteis.com e www.decolar.bom\hoteis. Para chegar a esses resultados, a pesquisa simulou uma acomodação dupla, para dois períodos de hospedagem: entre 3 e 9 de janeiro e entre 24 e 30 de janeiro de 2017.

“A relação custo-benefício da hotelaria de Foz do Iguaçu é imbatível”, afirma o superintendente de Comunicação Social da Itaipu e secretário-geral do Codefoz, Gilmar Piolla. “Não só na questão de preços, mas na qualidade dos serviços oferecidos”. E conclui: “Nesse aspecto, não tem pra ninguém”.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Carlos Silva, concorda. Para ele, Foz do Iguaçu oferece uma boa estrutura hoteleira e, cada vez mais, melhores serviços. “Com o Centro de Capacitação (mantido pelo Sindhotéis), estamos ampliando o conhecimento e a capacitação do nosso pessoal e, com isso, pretendemos atrair mais públicos, inclusive de outros países”. Ele conclui dizendo que “qualidade e preço são importantes para a decisão de escolher um destino turístico”.

A pesquisa

Além de Foz do Iguaçu e Salvador, a Paraná Pesquisas fez o levantamento de preços nos seguintes destinos: Fortaleza (CE), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ), Porto de Galinhas (PE), Costa do Sauípe (BA). De acordo com a Paraná Pesquisas, os valores apurados referem-se à média encontrada em cada site para a classificação de 3 e 4 estrelas (classificação também feita pelos sites, que não correspondem ao determinado pelo Ministério do Turismo).

O levantamento revelou que, nos dois períodos pesquisados, tanto em hotéis de 3 como nos de 4 estrelas, os menores preços encontrados foram em Salvador, vindo a seguir Foz do Iguaçu.

Comparativo

A média de valores do pacote para o período entre 3 e 9 de janeiro, em hotéis de 3 e 4  estrelas, foi de R$ 1.646,74 em Salvador; R$ 1.815,26 em Foz do Iguaçu; R$ 1.915,47 em Fortaleza; R$ 2.365,56 em Natal; R$ 2.454,65 no Rio de Janeiro; R$ 2.775,00 em Porto de Galinhas; R$ 2.947,60 na Costa do Sauípe; R$ 3.514,39 em Florianópolis; e R$ 3.607,73 em Gramado.

Para o período entre 24 e 30 de janeiro, a média geral apresentou valores mais baixos em sete dos nove destinos. Ficaram mais altos em Porto de Galinhas e em Salvador, que ainda assim apresentou a menor média de preços. O pacote para o período, em Salvador, ficou em R$ 1.533,81; em Foz do Iguaçu, R$ 1.650,84; em Fortaleza, R$ 1.785,83; no Rio de Janeiro, R$ 1.880,10; em Natal, R$ 2.039,26; na Costa do Sauípe, R$ 2.964,13; em Porto de Galinhas, R$ 3.195,03; em Florianópolis, R$ 3.311,09; e em Gramado, R$ 3.314,39.

Na média, a diária dos hotéis de 3 e 4 estrelas, para o período entre 3 e 9 de janeiro, foi R$ 234,49 em Salvador; R$ 302,54 em Foz do Iguaçu; R$ 319,14 em Fortaleza; R$ 391,27 em Natal; R$ 409,94 no Rio de Janeiro; R$ 491,27 na Costa do Sauípe; R$ 585,73 em Florianópolis; R$ 602,29 em Gramado; e R$ 655,74 em Porto de Galinhas.

Já para o período entre 24 e 30 de janeiro, a média de valores nos hotéis de 3 e 4 estrelas foi de R$ 255,64 em Salvador; R$ 275,29 em Foz do Iguaçu; R$ 297,64 em Fortaleza; R$ 329,56 em Natal; R$ 359,67 no Rio de Janeiro; R$ 494,02 na Costa do Sauípe; R$ 532,40 em Porto de Galinhas; R$ 551,85 em Florianópolis; e R$ 552,40 em Gramado.

Fonte: Assessoria

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu recebeu cerca de 70 voos extras para atender a temporada de férias, que se estende até o Carnaval. Houve também aumento no número de voos regulares, o que fez saltar de 270 pousos e decolagens semanais, em novembro, para mais de 350 em dezembro. 

Além da ampliação de voos para os destinos mais procurados, como Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, houve a inclusão de novas rotas de verão, como Florianópolis (SC), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e Salvador (BA). Só para Curitiba, incluindo os extras, há agora nove opções de voos, nos mais variados horários – sete da Azul e dois da Gol.  

“Seguramente, Foz do Iguaçu é o destino turístico não-praia com o maior número de voos extras nesta temporada de verão”, afirma o superintendente de Comunicação Social da Itaipu e secretário-geral do Codefoz, Gilmar Piolla. 

De acordo com Gisele Lima, da empresa Promo Marketing e Representação Turística, de São Paulo, “Foz consegue, através de sua diversidade, atrair visitantes para o turismo de natureza, que é uma tendência de crescimento mundial”.

Opções

De Norte a Sul do Brasil, turistas têm agora opções de voos diretos das capitais para Foz do Iguaçu. É o caso de Porto Alegre, por exemplo, atendida por voos da Azul. Da capital gaúcha para Foz, já havia três opções de voos. Agora, há também um voo às terças e quintas-feiras, às 8h, e um aos sábados, às 7h. De Foz para Porto Alegre, os voos normais são de segunda a sábado, às 9h06; na segunda-feira às 20h50; e no domingo às 9h20. A opção extra é na terça-feira, às 20h40.

A Azul também colocou um voo extra para o aeroporto de Viracopos, em Campinas, “hub” da empresa aérea para a maioria dos seus destinos. O avião sai de Foz do Iguaçu toda segunda-feira, às 5h15. Os outros nove voos da Azul para este destino continuam nos mesmos horários. 

O Rio de Janeiro, um dos destinos mais visitados por brasileiros e estrangeiros, é também a principal porta de entrada para turistas  europeus ou norte-americanos que vêm a Foz do Iguaçu. De Foz para o Rio, são nove voos extras, com opção de chegada tanto no aeroporto do Galeão (três voos) como no Santos Dumont. Normalmente, os voos diretos entre Foz e o Rio são apenas para o Galeão. 

Os voos extras saindo do Rio com destino a Foz do Iguaçu saem do Galeão todo sábado, às 14h, e às terças, às 16h50; e do Santos Dumont de segunda a sexta, às 11h55; no sábado, às 20h35; e no domingo, às 11h05.

Destinos de verão

A grande novidade desta temporada são os voos diretos entre Foz do Iguaçu e alguns dos principais destinos de verão. A Gol oferece mais opções. Um dos voos diretos liga com Salvador. A saída de Foz é na sexta-feira, às 23h15, e na segunda-feira, às 2h40. No sentido Salvador-Foz, os voos são no sábado (à 1h25) e no domingo (às 21h50).

Para Fortaleza, a Gol tem voos de Foz do Iguaçu toda quarta e domingo, às 23h50. De lá, a saída é na quinta e no domingo, às 23h45. A Gol também tem voo direto para Maceió, que sai de Foz na quarta-feira, às 23h25, e no sábado, às 18h. De Maceió para Foz, a saída é na quinta-feira, à 0h35, e no sábado, às 12h40.

Curitiba

O número de voos entre Foz do Iguaçu e Curitiba, que havia despencado no começo do ano, devido ao aumento do ICMS sobre o querosene de aviação (de 12% para 18%), foi ampliado nos últimos meses de 2016. Só a Azul passou a oferecer sete voos, enquanto a Gol, que havia suspendido a ligação com a Capital, retomou um voo normal e opera agora com mais dois voos extras.

A Azul oferece, de segunda a sábado, um voo que parte às 5h15; de domingo a sexta-feira, a saída é às 20h10; nos domingos, há opção de um voo às 8h55 e outro às 12h03; de segunda a sexta-feira, há outro voo às 15h10; às terças e quintas, tem um voo às 10h15; e de domingo a sexta-feira, a saída é às 16h15.

De Curitiba para Foz do Iguaçu, as opções são semelhantes. De domingo a sexta-feira, tem um voo às 23h10; no sábado, são dois voos, às 11h30 e às 15h50; de segunda a sexta, há um voo às 13h27; segunda, quinta e domingo, há uma opção de voo às 18h30; e na segunda, quinta, sexta e domingo, sai de Curitiba um voo às 23h50.

Da Gol, há um voo normal de domingo a sexta-feira, que sai às 16h15 de Foz com destino ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Grande Curitiba). De Curitiba para Foz, o voo parte toda segunda, quinta e sexta, às 23h50. Já o voo extra da Gol tem saídas de Foz do Iguaçu toda segunda, terça, sexta e sábado, às 5h05. O extra sai de Curitiba para Foz de domingo a sexta, às 12h30.

Brasília e Lima

Vale destacar que a Latam é a única empresa aérea que oferece voo direto entre Foz do Iguaçu e Brasília. O voo sai toda segunda, quinta, sexta e domingo de Foz, às 16h49. De Brasília, nesses mesmos dias, a saída é às 12h50. 

A Latam é ainda a única a oferecer um voo internacional: Foz do Iguaçu-Lima, no Peru. Este voo sai de Foz toda terça, quinta, sexta, sábado e domingo às 21h50. De Lima a Foz do Iguaçu, nesses mesmos dias, a saída é às 12h10.

Fonte: Assessoria

A advogada Thaíse Tomme mais uma vez realizou uma de suas viagens sobre duas rodas repletas de aventura ao lado do marido Carlos. Desta vez o destino escolhido foi a Itália. E ela compartilha a experiência com os leitores da Sobre Rodas. 

Com a chegada das férias e festas de fim de ano a Sobre Rodas e a Rail Europe compartilham dicas de como viajar de trem pelo velho continente. Afinal, o trem é o modo mais eficiente, seguro e confortável para viajar entre os destinos da Europa. Mesmo que o turista não esteja habituado com este tipo de transporte, não há razão para se preocupar.

Com a chegada do fim do ano, os brasileiros já começam a programar viagens, sejam elas para visitar a família, conhecer novos lugares, ou até mesmo sair um pouco da rotina. Pensando nisso, é sempre bom lembrar algumas regrinhas básicas para não esquentar a cabeça e acabar estragando o passeio, principalmente se a viagem for de avião.  

  

O Ecomuseu de Itaipu recebe três novas exposições neste mês, em que celebra 29 anos. A partir do dia 28 de outubro, o visitante poderá conferir Feito à mão, de Marcos Pagani; A arte do xadrez, de Alaércio Santini; e A floresta através dos sentidos, coordenado por Giovana Secretti Vendruscolo. As mostras vão até março de 2017. A entrada é gratuita para moradores de Foz do Iguaçu e região. A visitação ocorre das 8h às 16h30, de terça-feira a domingo.

A abertura ocorre um dia antes do "Ocupe o Museu", evento voltado aos empregados de Itaipu e seus familiares, que acontece no dia 29 de outubro, entre 15h e 18h. Quem participar do evento terá a chance de conferir as novas mostras.

As exposições têm características diversas. Duas delas apresentarão objetos esculpidos à mão pelos artistas, cada um com sua peculiaridade, e a terceira será interativa, com foco na percepção sensorial.

Dentro da floresta

A floresta através dos sentidos tem como proposta oferecer uma experiência sensorial e interativa ao visitante da Floresta Estacional Semidecidual, vegetação da Mata Atlântica. As pessoas serão transpostas ao ambiente por meio de fotografias, aromas, sons e texturas da floresta.

O trabalho é resultado do projeto de extensão “Educação em museus: conhecer para conservar a Floresta Estacional”, coordenado pela professora Giovana Secretti Vendruscolo, docente do curso de Ciências Biológicas - Ecologia e Biodiversidade, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). A iniciativa conta também com a participação das funcionárias da Itaipu Veridiana Costa Pereira, da Divisão de Áreas Protegidas, e Liziane Kadine Antunes de Moraes Pires, da Divisão de Ação Ambiental.

Xeque-mate

 

A Arte do xadrez mostrará a originalidade e habilidade do artista autodidata Alaércio Santini na criação de peças do jogo de tabuleiro. De forma singular, ele usa materiais como madeira e até canos de PVC reaproveitados para moldar reis, damas, bispos, torres, cavalos, peões. Desta maneira é capaz de ressignificar a estética do jogo, ao recriar de diversas formas suas tradicionais peças.

Além da destreza com que trata as formas, algumas peças chamam atenção pelo tamanho, por terem mais de dois metros de altura. Ao todo, Santini produziu mais de 300 peças. O xadrez também é pano de fundo para seu primeiro romance, Obra-prima. O livro será lançado na abertura da exposição.   

 

Na ponta dos dedos

Em Feito à mão, o artista plástico Marcos Pagani apresentará 20 peças, entre esculturas, cerâmicas e pinturas. A maioria delas é inédita. A proposta é enfatizar o valor dos trabalhos manuais, especialmente àqueles relacionados às diferentes técnicas de escultura e da pintura.

Engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e formado em Visual Art and Sculpture pelo Emerson College na Inglaterra, o paranaense de Capanema realizou diversas exposições na Inglaterra, França, Suíça e Noruega. Nestes países, trabalhou como assistente de outros artistas ou manteve atelier próprio na produção de esculturas e pinturas.  

Uma das técnicas utilizada é o direct carving, o entalhe direto, presente em sua obra como forma de dar “um contraponto ao cotidiano”, segundo o artista. “Cortar, serrar, talhar, modelar, polir, lixar, combinar cores aleatoriamente e produzir obras sem um modelo prévio, exige uma integridade corporal e um senso de presença."

Serviço

Exposições: Feito à mão, de Marcos Pagani; A arte do xadrez, de Alaércio Santini; A floresta através dos sentidos.

Local: Ecomuseu de Itaipu

Endereço: Av. Tancredo Neves, 6001 – Foz do Iguaçu –PR.

Visitação: 28 de outubro de 2016 a março de 2017, de terça-feira a domingo.

Horário: 8h às 16h30

Ingresso: O acesso é feito diretamente no Ecomuseu (não é necessário ir ao CRV). Moradores de Foz do Iguaçu não pagam a entrada, mediante comprovação de residência. Para os demais, o ingresso custa R$ 12. Crianças de 0 a 6 têm gratuidade. Moradores dos municípios lindeiros e crianças de 7 a 12 têm 50% de desconto.

Informações sobre visitas: 0800 645-4645.

Fonte: Assessoria

O jornalista e viajante Ike Weber, autor do livro De Mochila pelas Américas, fará um ciclo de 11 palestras a partir desta sexta-feira, 21, em Foz do Iguaçu e região. Com conteúdo lúdico e didático, o projeto Aprender a Empreender quer aprofundar o conceito do empreendedorismo para o público jovem e estimular iniciativas inovadoras e de promoção da igualdade social.

A iniciativa é uma realização da Literal Link Comunicação Integrada, com o patrocínio máster da Itaipu Binacional e apoio da Adetur Cataratas e Caminhos. As palestras têm como foco o público de escolas, instituições parceiras e projetos sociais de proteção à criança e ao adolescente mantidas ou apoiadas por Itaipu. O cronograma segue até o início de novembro (confira abaixo a agenda completa).

De acordo com Weber, os jovens receberão informação sobre planejamento, gestão, como aproveitar oportunidades e contornar obstáculos, além de muita motivação para empreender. As palestras são interativas, com linguagem acessível e muitas histórias sobre práticas e experiências concretas.

“O mercado de trabalho vem se estreitando com as sucessivas crises econômicas nacionais e internacionais, o que tornou mais difícil o ingresso de recém-formados em empresas e organizações tradicionais”, explica.

Segundo ele, “neste cenário, empreendedorismo é um caminho para educar adolescentes e jovens e, principalmente, para criar oportunidades de trabalho, geração de renda e qualidade de vida”, diz o jornalista. E complementa: “É um aprendizado que fomenta o protagonismo e a cidadania, prepara uma carreira profissional e confere iniciativa, determinação e independência”.

Mudança de vida

Weber contará um pouco de sua história como jornalista e comunicador e como mudou de vida ao largar a carreira de executivo pela de viajante e empreendedor. “Por um lado estava satisfeito, tudo em ordem. Por outro, buscava mais. O sonho de infância de viajar sem data para voltar me encantava e perseguia. Difícil seria encontrar a ocasião ideal para um novo desafio”, conta.

O jornalista fez duas jornadas empreendedoras de longo prazo, pelos continentes americano e asiático, com duração de quase dois anos. “Concretizar sonhos exige articulação, negociação, espírito de conciliação e esforço. Mas acredito ser a única forma de assimilar a vida até as entranhas, de forma única e visceral”, destaca.

Quem é

O palestrante Ike Weber atua como jornalista e comunicador há 28 anos. Foi repórter e editor em veículos de circulação regional e nacional como a Rede Globo de Televisão, a Editora Abril e os jornais Gazeta do Povo, Gazeta Mercantil e O Estado do Paraná. Por uma década esteve na função de diretor de Comunicação e Marketing Institucional do Sistema Federação das Indústrias do Paraná.

Nos últimos três anos tem se dedicado a projetos de Comunicação nas áreas de empreendedorismo e inovação e no registro de experiências em comunidades ao redor do mundo.

É autor do livro De Mochila pelas Américas, editado com patrocínio da Itaipu Binacional e disponível nas livrarias da Vila, Curitiba e Fnac. As expedições culturais e jornalísticas pelo mundo foram retratadas em blogs (www.ikeweber.com e www.gazetadopovo.com.br/blogs/de-mochila-pela-asia).

Como patrocinadora da iniciativa, a Itaipu Binacional associa, mais uma vez, o seu nome a valores como responsabilidade social, inovação, criatividade e capacidade de realização.

A Agência de Desenvolvimento da Região Turística Cataratas do Iguaçu e Caminhos ao Lago de Itaipu (Adetur), apoiadora do ciclo de palestras, é uma entidade sem fins lucrativos, formada por representantes do poder público, da iniciativa privada e do terceiro setor.

Confira o cronograma de palestras Aprender a Empreender:

21 de outubro - 9h30 às 11h - Foz do Iguaçu - Sindicatos dos Eletricitários de Foz do Iguaçu (Sinefi)

21 de outubro - 14h30 às 16h - Foz do Iguaçu - Sindicatos dos Eletricitários de Foz do Iguaçu (Sinefi)

24 de outubro - Guaíra - 19h30 às 21h - Auditório Unipar

25 de outubro - Santa Terezinha de Itaipu - 20h às 21h30 - Auditório do Paço Municipal

27 de outubro - Santa Helena - 9h30 às 11h - Auditório da Câmara Municipal

28 de outubro - Foz do Iguaçu - 14h30 às 16h - Sociedade Civil Nossa Senhora Aparecida

31 de outubro - Foz do Iguaçu - 9h30 às 11h - Parque Tecnológico de Itaipu (PTI)

31 de outubro - Foz do Iguaçu - 14h às 15h30 - Parque Tecnológico de Itaipu

1º de novembro - Foz do Iguaçu - 9h30 às 11h - Iate Clube Lago de Itaipu (Icli)

1º de novembro - Foz do Iguaçu - 14h30 às 16h - Iate Clube Lago de Itaipu (Icli)

4 de novembro - Foz do Iguaçu - 15h às 16h30 - Conselho Comunitário da Vila C

Fonte: Assessoria

De acordo com estudo do Ministério do Turismo, 90,5% dos visitantes internacionais afirmaram ter a intenção de voltar ao Rio de Janeiro. As melhores avaliações do país foram em relação aos restaurantes, gastronomia e alojamento.

Antes mesmo do término dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 já dá para afirmar que a competição foi um sucesso. A conclusão é possível graças aos resultados preliminares de pesquisas realizadas com brasileiros e estrangeiros pelo Ministério do Turismo. Quase 60% dos turistas internacionais entrevistados entre os dias 08 e 13 de setembro visitavam o Brasil pela primeira vez. A pesquisa internacional revelou que 90,5% dos entrevistados têm intenção de voltar ao país e para 87,8% a viagem atendeu ou superou as expectativas.

A realização da Paraolimpíada foi o motivo da viagem para 54,1% dos ouvidos. Assim como o verificado nos Jogos Olímpicos, os Estados Unidos seguem como principal emissor de turistas (18,2%), seguido da Espanha (15,5%), Argentina (6,1%), França (6,1%) e Alemanha (5,4%). Espanha e Alemanha aparecem na lista dos cinco maiores emissores, diferentemente da Olimpíada.

“Os números positivos comprovam o grande êxito dos jogos. Se antes da competição já acreditávamos que o Turismo seria o grande legado para o país, agora temos a convicção de que os bons resultados obtidos nesse período apresentaram para o mundo as belezas naturais e a incrível riqueza cultural que fazem do Brasil um excelente destino. Ficou claro, também, que estamos cada vez mais preparados para atender nossos turistas que apontam a hospitalidade como principal destaque na avaliação”, afirmou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.

Entre os serviços mais bem avaliados pelos turistas que ficaram, em média, 10,8 noites e gastaram cerca de US$ 87,86 por dia, estão: restaurantes (98,5%), gastronomia (97,1%), alojamento (96%) e diversão noturna (95,7%). Já em relação à competição, os itens mais bem avaliados foram: preços dos ingressos (95,3%), organização geral (93%) e infraestrutura (85,9%).

Os estrangeiros aproveitaram a passagem pela cidade-sede dos jogos para conhecer também outros 33 destinos brasileiros, ampliando sua experiência no país. Mais uma vez, a política de isenção de vistos para americanos, japoneses, australianos e canadenses se mostrou eficaz e 56,5% dos entrevistados afirmaram terem feito uso da dispensa. De acordo com 82,6% dos entrevistados, a manutenção da iniciativa, que encerra em 18 de setembro, facilitaria o retorno ao país.

Demanda Doméstica

Entre os turistas brasileiros, a pesquisa constatou que 43,2% viajaram ao Rio de Janeiros motivados pelos jogos e que 22,6% jamais tinham visitado a capital fluminense. A maioria dos visitantes brasileiros veio da região Sudeste (60,9%), seguido do Sul (16%), Nordeste (12%), Centro-Oeste (8,1%) e Norte (3%).

Ainda segundo o estudo, os brasileiros ficaram, em média, 6,7 noites, com gasto diário de R$ 278,08. Durante o período, 82,6% dos turistas afirmaram ter feito alguma atividade turística durantes a competição e citaram praias, museus e centros de compra. Além disso, 17,5% afirmaram ter realizado algum tipo de atividade turística em cidades próximas como Petrópolis, Búzios, Cabo Frio, entre outros. Para 99% dos brasileiros a viagem atendeu ou superou as expectativas e 95,5% afirmaram ter a intenção de voltar ao Rio de Janeiro.

Fonte: Assessoria

Foz do Iguaçu está entre os 12 destinos eleitos pelo Decolar.com como ideais para viajar na baixa temporada, com pacotes dinâmicos. O levantamento incluiu  21 países da América Latina em que está presente.

 “A lista não e um ranking, mas sim, uma seleção de destinos. É evidente que o Brasil é o país com maior procura para a baixa temporada na América Latina. A metade dos destinos listados são nossos. Isso prova que temos um atrativo, tanto nacional como internacional, fora da alta temporada de verão. ”, diz André Alves, Country Manager do Decolar.com.

 O que oferece cada um desses 12 destinos?

1. Buenos Aires

Turistas que decidem viajar para a capital da Argentina combinam, na maioria das vezes, voo + hotel + aluguel de carro nos Pacotes Dinâmicos. Os usuários que não optam pelo automóvel preferem traslados, taxis ou transporte público. 

De acordo com a análise do Decolar.com, com a combinação de produtos, o viajante conhecerá a cultura, arquitetura, gastronomia e espetáculos, além de realizar tours pela cidade.

2. Cancún 

Localizada no nordeste da Península de Yucatán, a cidade oferece aos turistas praias paradisíacas, relíquias arqueológicas e parques aquáticos e temáticos. Por isso, os Pacotes Dinâmicos para o destino combinam Hotel + Voo + Aluguel de Carro + Ticket. Cancún é um lugar em que os viajantes mais gastam, em qualquer época do ano. 

Com esse formato de viagem as possibilidades de aproveitar a viagem são amplas. Além de mergulho ou snorkelling, os turistas têm opções para todo o tipo de excursão, como por exemplo, ir para a Isla Mujeres, visitar as Ruinas de Chichén Itzá ou o parque arqueológicos Xcaret. Ter um carro à disposição em Cancun facilita ainda mais os passeios.

3. Fortaleza, Natal, Recife e Salvador

Voo + hotel + aluguel de carro é o Pacote Dinâmico predominante para visitar qualquer uma das quatro cidades do Nordeste brasileiro. 

Além de desfrutar das praias paradisíacas e do folclore local regado em sabores e ritmos, o carro também é essencial para deslocamento entre praias e diferentes cidades, com um rico patrimônio histórico como Recife e Salvador. Os usuários costumam escolher esses destinos para fugir do inverno.

 4. Puerto Iguazú e Foz do Iguaçu

Um dos destinos mais populares da América Latina, as Cataratas do Iguaçu são sempre de interesse para o turismo. Na região brasileira predominam as compras de Pacote Dinâmico que incluam hotel + tickets.

A riqueza da fauna e flora deste paraíso natural anima para combinar voo + hotel em regiões próximas aos parques naturais como Ruinas de San Ignacio, na Argentina, e a represa de Itaipú, que fica entre o Brasil e Paraguai.

 5. Orlando

Sem dúvida, esta cidade norte-americana é o destino ideal para quem quer curtir parques temáticos. Os usuários que compram Pacotes Dinâmicos no Decolar.com combinam 4 produtos: voo + hotel + aluguel de carro + ticket para os parques, incluindo Disney, Universal, Sea World e Legoland.

Mas, também é um destino de compras e, ter um carro para isso ajuda, além de diminuir muito o alto custo de outros serviços de transporte, como o taxi. Estudo do Decolar.com aponta que o viajante que compra Pacote Dinâmico, muitas vezes aproveitam a oportunidade para comprar ticket para espetáculos famoso, como o “Blue Man Group” (www.blueman.com) .

 6. Rio de Janeiro

A cidade carioca é um dos centros turísticos mundial. Voo + Hotel + Ticket é a combinação de Pacote Dinâmico feita pela maioria dos viajantes do Decolar.com para a temporada baixa.

Além de desfrutar da Cidade Maravilhosa e suas praias, os turistas podem realizar passeios para outras cidades próximas como Búzios, Angra dos Reis e Petrópolis e, também conhecer os principais pontos turísticos: Pão de Açúcar e Cristo Redentor.

7. San Carlos de Bariloche

Após a última nevada, a cidade de San Carlos de Bariloche continua sendo o destino de preferência para quem quer conhecer a Argentina. Na temporada baixa, o Pacote Dinâmico predominante é voo + hotel.

Nada melhor do que levar um mapa nos passeios para conhecer todos os pontos da cidade, seja de a pé, de carro ou de barco pelas águas do lado Nahuel Huapi. A visita ao Cerro Catedral e às altas montanhas é um roteiro clássico dos turistas.

8. Santiago do Chile

Na capital do Chile, voo + hotel + aluguel de carro é a combinação de preferência dos usuários do Decolar.com para a baixa temporada. Nos últimos anos, o destino tornou-se no destino líder para muitos turistas latino-americanos.

Com alta gastronomia e uma natureza encantadora, o aluguel de carro permite que o viajante conheça todos os atrativos da cidade e visitem as praias rochosas, algumas vinícolas importantes, centros de esqui e cidades pitorescas.

Fonte: Assessoria