O Baleia Azul, “jogo” que foi extremamente repercutido em 2017 pelos efeitos negativos causados na vida de milhares de jovens em todo o mundo, será tema de um bate-papo sobre segurança na internet durante o 14º Congresso Latino-Americano de Software Livre e Tecnologias Abertas (Latinoware) que, ocorrerá entre os dias 18 e 20 de outubro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu.

Uns amam, outros odeiam. Independente do gosto popular, o governo decide manter o horário de verão em 2017. Os relógios deverão ser adiantados em uma hora a partir da zero hora do dia 15 de outubro. Ele estará em vigente no: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal até dia 18 de fevereiro de 2018.

O pai, jornalista e escritor Marcos Piangers, considerado hoje uma das figuras mais populares do Brasil, virá à Foz do Iguaçu, no dia 31 de outubro, para contar um pouco de sua experiência com a paternidade. O encontro está marcado para as 20h, no Mabu Thermas e Resort.

Perto de completar um ano de sua morte, dia 13 de outubro, o pediatra Walter Cavalcanti Barbosa será homenageado pelo trabalho de mais de 30 anos prestado no Pronto Atendimento de Saúde do Morumbi I, no Bairro Morumbi. Agora, que foi transformado em Unidade de Atendimento (UPA), receberá o nome do médico. A inauguração ocorrerá no próximo sábado, 30, às 10h. 

O administrador e especialista em tecnologia, Toni Neto, apresentará ao 14º Congresso Latino-Americano de Software Livre e Tecnologias Abertas (Latinoware) metodologias capazes de transformar uma boa ideia em um negócio lucrativo. O Latinoware ocorre entre os dias 18 e 20 de outubro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu. 

As inscrições ainda podem ser realizadas pela página: http://lapsi.latinoware.org/

Entre tantas revoluções pelas quais o dinheiro já passou, desde as moedas de ouro e prata ao cartão de crédito, voltamos agora a atenção para um movimento de mudança radical. Graças aos avanços tecnológicos, chegamos às criptomoedas. Tal qual as convencionais, as criptomoedas podem ser compradas e negociadas, e, a partir daí, serem utilizadas para adquirir desde serviços online até apartamentos, matéria-prima etc. No Brasil os estabelecimentos comerciais ainda resistem, mas ao redor do mundo alguns países já estão inclusive regulando a utilização da moeda.

O charmoso jeitinho brasileiro - muito conhecido pela criatividade de reinventar tudo - somado à diversidade climática de um país continental, garantiram ao Brasil uma vitivinicultura bastante original. Cada região produtora desenvolveu sua especialidade, criando rótulos recheados de cultura, tipicidade, além de sabores e aromas próprios que conquistam fatias cada vez maiores do mercado nacional.

Dados divulgados pela Wine Inteligence’s Brazil Landcapes 2017 mostram que o mercado de consumidores no Brasil saltou de 22 para 30 milhões. Embora ainda muito longe de alcançar o consumo dos vizinhos chilenos e argentinos, que consomem 17.46 litros e 23.46 litros respectivamente, o volume de consumo aqui no Brasil já chega a dois litros por pessoa no ano, com incremento de 15,85% entre 2014 e 2016 na compra de vinhos nacionais. A informação é do Ibravin (Instituto Brasileiro de Vinho).

Ainda de acordo com Ibravin, atualmente a produção de vinhos finos no Brasil chega a 10 mil hectares de uvas viníferas, divididos principalmente entre seis regiões: Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste e Campos de Cima da Serra, no Rio Grande do Sul, Planalto Catarinense, em Santa Catarina e Vale do São Francisco, no Nordeste do país. São aproximadamente 150 vinícolas, espalhadas pelo país, que elaboram vinhos finos. A indústria vitivinícola brasileira é formada ainda por cerca de outras mil vinícolas, a maioria instalada em pequenas propriedades (média de 2 hectares por família), dedicando-se à produção de vinhos de mesa ou artesanais. Nessas condições, o Brasil se consolidou como o quinto maior produtor da bebida no Hemisfério Sul e, certamente, é um dos mercados que mais crescem.

Fonte: Assessoria 

As temperaturas estão subindo, e as tendências de maquiagem para a primavera e verão já estão surgindo nas passarelas de semanas de moda por todo o mundo. Apostando nos estilos que dominarão os próximos meses, o maquiador e visagista Pablo Inísio, coordenador do curso de Make Up Design do Centro Europeu de Curitiba, preparou uma lista com os principais efeitos e cores para olhos, pele e lábios que estarão em alta nas estações mais quentes do ano.

Pele iluminada: A tendência que já vinha forte no outono/inverno vai continuar em alta nas próximas estações, agora com ainda mais luminosidade. “A ideia é iluminar a pele, mas agora com um aspecto mais natural buscando um efeito bronzeado, com iluminadores e também com o blush”, afirma Plablo Inísio. 

Máscara de cílios colorida: Nos olhos, os cílios serão um dos grandes destaques dando espaço para estilos mais ousados como as máscaras coloridas. “ Tons de verde musgo, marrom, e azul marinho nos cílios já estão bastante presentes nas passarelas e com certeza vão ganhar as ruas”, comenta o especialista. 

Sombras coloridas: Diferente do inverno, que consagrou tons nudes e opacos, o verão 2018 será das sombras coloridas. De acordo com Pablo Inísio, os olhos bem esfumados em tons de rosa, laranja, coral e também de cores mais frias como azul e lilás serão os grandes protagonistas da estação.  

Lábios naturais: Quanto aos lábios, a aposta é em texturas de batons mais cremosas com efeitos suaves. As cores variam bastante, com destaque para os tons quentes como laranjas e vermelhos. 

Em baixa 

Segundo Pablo Inisio, algumas tendências que ganharam força no inverno, como sobrancelhas e contornos marcados, cairão em desuso na próxima estação. “ O contorno de rosto bem marcado, estilo Kim Kardashian, vai ficar para trás. As sobrancelhas muito definidas também perdem força e ganham um estilo mais natural”. Outra tendência bastante popular que estará em baixa é o delineado de gatinho, “Os delineados em formatos muito grossos vão sair de cena para dar espaço a olhos mais minimalistas trabalhados só com máscara e sombras”, completa o especialista 

O especialista em animação, modelagem e composição em 3D, que utiliza a tecnologia para salvar vidas, Cicero Moraes é uma das presenças confirmadas no 14º Congresso Latino-Americano de Software Livre e Tecnologias Abertas (Latinoware) que, ocorrerá entre os dias 18 e 20 de outubro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu. 

Em meio a opiniões divergentes, o projeto (46/2017), de autoria do Vereador Marcio Rosa, que revoga a lei vigente, a qual proíbe o uso do celular em agências bancárias, obteve aprovação dos Vereadores na sessão desta terça-feira (12/09), com 11 votos favoráveis e três contrários. 

O projeto em questão prevê a revogação da Lei n° 3.861/ 2011, que proíbe a utilização de telefone celular ou equipamento similar no interior dos estabelecimentos bancários e instituições semelhantes. “A segurança pública é dever do estado e direito de todos. Queremos analisar a real necessidade em se revogar esta lei. Não vamos ser corresponsáveis por possíveis incidentes que venham ocorrer a assaltos como a saída de banco”, enfatizou o Vereador Celino Fertrin (PDT). 

“Temos de garantir a segurança dos clientes e dos funcionários de bancos. A segurança está acima de tudo isso e não quero ser responsável se amanhã ou depois alguém nos cobrar. Depois que a lei foi aprovada aqui, o assalto de saidinha de banco caiu significativamente”, destacou o Vereador Elizeu Liberato (PR). “Sou favorável ao projeto porque não é o celular que rouba as pessoas, mas os bandidos, então quem está sendo penalizado são as pessoas. Chega de punirmos as pessoas de bem pela incompetência do Poder público e da segurança pública”, cobrou o Vereador Protetor Jorge (PTB). 

“Por que os bancos não investem em monitoramento interno? Muitas pessoas usam seu celular para trabalho. A fila também deveria ser 20 a 30 minutos e essa lei do tempo do atendimento não é cumprida, muitas vezes as pessoas demoram mais de uma hora para serem atendidas nas agências bancárias. É muito mais fácil cobrarmos o cidadão de bem do que o estado. Estamos invertendo os valores, penalizando o cidadão de bem”, pontuou o Vereador Marcio Rosa (PSD), proponente da mudança da lei vigente. “Sou favorável à revogação desta lei porque o próprio funcionário do banco também é punido com essa lei”, afirmou a Vereadora Rosane Bonho (PP). 

“As coisas mudaram, precisamos estar preparados para que possamos fazer uso do celular para fazermos ou recebermos uma ligação de emergência. Os governos precisam fazer, sim, a segurança”, disse a Vereadora Nanci Andreola (PDT). Com a aprovação do projeto, a mudança na lei em vigor fica aguardando a sanção do Prefeito Chico Brasileiro. 

Fonte: Assessoria