Deputados, prefeitos, vereadores e representantes da comunidade dos 50 municípios do Oeste do Paraná vão escrever uma carta ao Governador Beto Richa solicitando a revisão do valor do pedágio aplicado na BR-277, considerada a única ligação rodoviária entre a região e o Porto de Paranaguá. A BR-277 é por onde escoa boa parte da produção agrícola e agroindustrial do Oeste e de onde vem o suprimento de matérias-primas

Marcada pela Comissão de Infraestrutura e Logística do Programa Oeste em Desenvolvimento, a reunião, na qual será apresentada também uma campanha de mídia que reivindicará a antecipação da revisão dos contratos de concessão, com vencimento em 2021, ocorrerá nesta sexta-feira, às 15h, no Hotel Bella Itália, em Foz do Iguaçu. 

O valor do pedágio na BR-277, segundo o coordenador da Câmara, Danilo Vendruscolo, é muito alto se comparado a outras estradas brasileiras e isso impacta diretamente no preço dos produtos, tirando a competitividade das empresas do Oeste nos mercados nacionais e internacionais.

“A tarifa incide em 5% sobre a saca de 60 kg de milho e em 2% sobre a saca de soja. Para escoar a produção via Porto de Paranaguá, o valor do frete por tonelada é de R$ 90 e o do pedágio de R$ 20. Ou seja, 22% do valor do frete são referentes a pedágio”, explica Dilvo Grolli, presidente da Cooperativa Coopavel.

Modelo defasado

Vendrúscolo afirma que o valor é tão alto porque o modelo do contrato está defasado. Foi firmado quando a concessão era feita à empresa que oferecesse mais obras e manutenção nas rodovias e não àquela que aplicasse a menor tarifa.

O modelo ideal, na opinião de Vendrúscolo, e qual a sociedade do Oeste irá solicitar que seja aplicado é justamente o contrário. O que tem como base a menor tarifa para o usuário e que não permite reequilíbrio contratual vinculado a uma planilha de obras amarradas a uma taxa de retorno. “No novo modelo praticado pela ANTT, a taxa de retorno é usada somente para o cálculo inicial da licitação e com muito menos variáveis impactantes na correção contratual”, explica.

Além da carta a ser enviada ao Governador, o objetivo da Câmara Técnica é solicitar a realização de audiências públicas. “Entendemos que a sociedade está preparada para discutir e se posicionar sobre o tema. Queremos deixar claro para os governantes que não estamos fazendo nada mais do que cumprir com o nosso dever de dar à sociedade a oportunidade de participar de debates que influenciam diretamente a vida dos cidadãos do Oeste do Paraná”.

 

Janeiro é mês de voltar ao trabalho, pagar contas, fazer economias e ver o que sobrou das férias. Para quem tem um Fusca na garagem também é tempo de celebrar. Isso mesmo, no dia 20 de janeiro os amantes do besouro comemoraram o Dia Nacional do Fusca criado a partir de donos apaixonados. 

A data ganhou força em São Paulo no ano de 1988 quando os contatos do então Sedan Clube do Brasil com a Volkswagen do Brasil, na época membro da Autolatina (Joint Venture entre a Volkswagen e a Ford) estavam melhorando e alguns eventos já haviam sido realizados com a ajuda da fábrica. Em meados de 1988 começou a preparado um mega-evento em Interlagos, o Encontro Nacional do Fusca que consolidaria a criação do Dia Nacional do Fusca.

A ideia inicial, era fazer o evento no dia 20 de novembro de 1988, um domingo, mas não houve condições logísticas para realizar nesta data. No entanto boa parte do trabalho já estava pronto, incluindo o logotipo do evento que era o número 20 grafado na forma de um Fusca, que já tinha sido aprovado. Após algumas reuniões o Dia Nacional do Fusca foi instituído para janeiro, ganhando uma série de celebrações paralelas. 

Modelo

Ao longo dos anos o Fusca conquistou o título de um dos carros mais queridos do mundo. A celebração Mundial do Dia do Fusca acontece em julho, mas no Brasil a comemoração ganhou uma segunda data em janeiro.

Com quase 80 anos, o carro que foi líder de vendas por 24 anos, ainda hoje inspira admiradores ao redor do mundo. 

 

A Itaipu Binacional produziu mais que a usina de Três Gargantas, na China, em 2015, e voltou a assumir a liderança mundial em produção anual de energia elétrica. A hidrelétrica, que pertence ao Brasil e ao Paraguai, também detém outra marca histórica: é a maior produtora de energia acumulada limpa e renovável do planeta, com mais de 2,312 bilhões de megawats-hora (MWh) desde sua entrada em operação, em maio de 1984, há exatamente 31 anos e oito meses. 

Mesmo com uma capacidade instalada de 14.000 MW, menor do que a chinesa, com 22.400 MW, a Itaipu produziu 2,5% a mais que Três Gargantas no ano passado. Foram 89.2 milhões de MWh contra 87 milhões de MWh. Os dados de geração da hidrelétrica chinesa só foram divulgados nesta quinta-feira, 7 de janeiro.

Desde que entrou em operação, a Itaipu Binacional perdeu a posição de líder mundial de produção anual de eletricidade apenas em 2014, quando o Brasil enfrentou a maior crise hídrica da histórica. Em 2015, a produção ficou abaixo da média dos últimos anos, mas foi considerada excelente levando em conta o cenário de seca enfrentado por grande parte do País, pelo segundo ano consecutivo, principalmente no primeiro semestre.

A Itaipu encerrou 2015 com uma produção de 1.420.011 MWh, 1,6% a mais do que em 2014, quando gerou 87.795.393 MWh. A projeção para 2016 também é positiva. A expectativa é que a binacional volte a produzir acima dos 90 milhões de MWh, o que não ocorreu nos últimos dois anos. 

“Esses números nos deixam ainda mais otimistas de que estamos no caminho certo para continuar buscando a excelência na produção sustentável e projetar um 2016 melhor ainda. Já nesta primeira semana de 2016, estamos produzindo 17% a mais do que no mesmo período de 2015, ano em que reassumimos a posição de liderança mundial em produção de energia”, diz o diretor técnico executivo de Itaipu, Airton Dipp.

Para o superintendente interino de Operação, Alberto Araújo Bastos, "é sempre bom ser a usina que mais produz no planeta em determinado ano, mas o mais importante é a produção acumulada, que nos permite ter um fluxo regular e sustentável”. Bastos lembra que Itaipu tem colocado no mercado 100 milhões de MWh a cada 13 ou 14 meses, contribuindo diretamente para o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai. 

Comparativos

A energia produzida pela Itaipu em 2015 (89.215.404 milhões de MWh) seria suficiente para suprir o consumo de todo o Nordeste do Brasil por um ano e um mês; a região Sudeste, por quatro meses; e o Sul por um ano. Atenderia também toda a demanda de uma cidade como São Paulo por três anos; Curitiba por 18 anos; e Foz do Iguaçu por 155 anos e oito meses. 

Já a energia acumulada (2,312 bilhões de MWh) seria suficiente para suprir o consumo do Norte por 71 anos e cinco meses; o Sudeste por nove anos e seis meses; e o Sul por 27 anos e três meses. Toda a demanda de uma cidade do porte de São Paulo seria atendida por 78 anos e cinco meses; a de Curitiba, por 467 anos; e a de Foz do Iguaçu, por 4.036 anos e um mês. 

Mercado 

Itaipu responde atualmente por 15% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e atende mais de 75% do mercado paraguaio de eletricidade. Para Brasil e Paraguai, sócios da usina, a produção de Itaipu é fundamental para a infraestrutura energética, para a integração e para o desenvolvimento dos dois países.

Fonte: Assessoria

 

O Trilha Jovem Iguassu é referência na formação de jovens em situação de vulnerabilidade social para atuação no mercado de trabalho no setor turístico. A metodologia adotada e os resultados obtidos renderam ao projeto, pela segunda vez consecutiva, a certificação no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social. Foram mais de 860 inscritos em todo o país. Desses, 154 iniciativas foram certificadas, sendo 12 no Paraná.

O Banco de Tecnologias Sociais é uma base de dados que contempla informações sobre dezenas de tecnologias sociais em todo o país. A ferramenta apresenta soluções para demandas sociais desenvolvidas por instituições que podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, etc. Receber o certificado, além de ser uma forma de avalizar o projeto, é também mostrar que ele pode e deve ser replicado em outras partes do Brasil.

O Trilha Jovem Iguassu surgiu da intersecção de dois desafios socioeconômicos: a demanda de inserção social e profissional de jovens oriundos de famílias de baixa renda e o desenvolvimento do turismo no Brasil. Dessa forma, o desenvolvimento do projeto permitiu a união entre a procura crescente por profissionais qualificados e a problemática social relacionada à vulnerabilidade social e ao desemprego de jovens.

O projeto oportuniza aos jovens qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho do setor de turismo, nas áreas de hospedagem, turismo e atendimento, e alimentos e bebidas. O grande diferencial é a sua metodologia, que trabalha com todas as dimensões de transformação dos jovens: técnico-profissional, social e individual.

Este é o Trilha Jovem Iguassu: inovação na capacitação de um público jovem vulnerável, promoção da inserção no mercado de trabalho e colaboração no desenvolvimento turístico na Região Trinacional do Iguassu (região de fronteira entre a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná; Puerto Iguazú, na Argentina; e Ciudad del Este, no Paraguai).

Realização

O Trilha Jovem Iguassu é um projeto de turismo e inclusão social executado pelo POLOIGUASSU desde 2006. Em 2016 completará a marca de mil jovens formados e tem conquistado um índice de permanência deles no mercado de cerca de 50%.

A iniciativa é sinônimo de credibilidade entre os empresários e representantes do trade e possui como principais parceiros a Itaipu Binacional, FPTI e CVC. É o maior projeto social de turismo de Foz do Iguaçu, apoiado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Foz do Iguaçu (Codefoz) e por vários parceiros ligados ao setor turístico.

Fonte: Assessoria

 

O receio por parte das pessoas que fizeram cirurgia plástica é inevitável, principalmente nessa época do ano e com o uso de roupas cada vez menores. O Dr. Alderson Luiz Pacheco, especialista em cirurgia plástica, esclarece que as cicatrizes deixadas por uma intervenção reparadora, são estratégicas no corpo, visando sempre o bem estar do paciente, afinal ninguém quer ficar com marcas visíveis. Ciente disso grande parte dos cirurgiões plásticos buscam sempre “camuflar” ou “esconder” esses sinais.

A Receita Federal liberou a consulta sobre o  7º lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) relativo ao ano de 2015. Em Foz do Iguaçu, 6.419 contribuintes estão sendo contemplados com um valor total que supera R$ 6,5 milhões. Além disso, outros 203 contribuintes foram contemplados com restituições de declarações de anos anteriores (2009 a 2013) no valor total de R$ 207 mil.

Em casa, onde crianças e adolescentes deveriam ser sentir mais seguros, é justamente o local em que eles estão mais vulneráveis, sobretudo nesta época, quando iniciam as férias escolares e as festividades de fim de ano. A conclusão é de um estudo do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) de Foz do Iguaçu, que apresentou um relatório, no final de novembro, no Refúgio Biológico Bela Vista, em reunião da Rede Proteger, da qual Itaipu faz parte.

Segundo o inspetor do GGIM, Josnei Fagundes, no período de férias e fins de semana prolongados há maior concentração de pessoas nas residências, e, por isso, aumentam os números de registros de violência doméstica, contra mulheres e crianças.

Dos 209 casos de atendimentos a crianças vítimas de violência entre janeiro e setembro, em Foz do Iguaçu, 115 ocorreram nas próprias moradias, principalmente nos bairros Morumbi, Vila C e região central. Em segundo lugar, locais públicos: 32 casos.

Parte dos crimes é de estupro contra meninas. Dos 39 registrados, 35 foram contra crianças com menos de 12 anos. Na sequência estão lesão corporal, maus tratos e fornecimento de drogas. “Seguimos uma tendência nacional, onde normalmente esses crimes são cometidos pelos mais próximos, como pais, padrastos, irmãos e primos, devido ao grau de confiança”, explicou Fagundes. 

Atentos

“Precisamos que vizinhos e parentes fiquem atentos e denunciem. São vários números e a denúncia é anônima. Não podemos permitir que nossas crianças sejam violentadas”, afirmou a coordenadora do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), Maria Emília Medeiros de Souza, da Assistência da Diretoria Geral Brasileira (AS.GB). “Com certeza temos ainda mais crimes, mas justamente pela característica, muitos acabam omitindo e deixando de registrar ocorrência.”

Disque-denúncia

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100 ou diretamente no Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (NUCRIA), pelo telefone (45) 3524-8565.

 

A transformação do Marco das Três Fronteiras, ponto turístico que simboliza o encontro de Brasil, Paraguai e Argentina, já é uma realidade em Foz do Iguaçu. O Complexo Turístico Marco das Américas começa nesta terça-feira, 1º de dezembro, o processo de seleção dos candidatos interessados em trabalhar no atrativo. 

Mosquito causador da doença que gera a microcefalia

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade explica que situação ainda precisa ser esclarecida, mas que medidas preventivas continuam válidas, principalmente com a chegada do verão.