Neymar em foto da época da aquisição da Ferrari 458 Spider

Neymar completa hoje 26 anos e comemorou a data em grande estilo, com uma festa regada a champagne e celebridades. Apesar da pouca idade, ser um dos maiores astros do futebol rendeu a Neymar uma garagem de dar inveja em gente grande. Confira algumas das aquisições de quatro rodas do atleta durante sua carreira.

Ferrari 458 Spider

O próprio Neymar classificou a aquisição da Ferrari como "um sonho de criança". Versão conversível da Ferrari 458 Italia, a 458 Spider custa cerca de R$ 2 milhões. Equipada com motor V8 4.5 litros, entrega 570 cv e 54 kgfm de torque. O câmbio é automatizado de dupla embreagem e sete marchas. Também queria!

Audi RS 7 Sportback

Esse Neymar ganhou da Audi quando estava no Barcelona, já que a montadora é patrocinadora do clube. O Audi RS 7 Sportback custa cerca de RS 730 mil e vem equipado com motor V8 4.0 que desenvolve 605 cv de potência e torque máximo de 76,4 kgfm. Com isso, acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,7 segundos. Uau!

 

Porsche Panamera

Em 2011, Neymar adquiriu um Porsche Panamera fabricado no mesmo ano. No entanto, o destino final do modelo não foi a garagem do craque e, sim, os galpões da Receita Federal. O carro foi apreendido alguns anos após a compra por suposta importação irregular. Atualmente, o Panamera custa cerca de R$ 550 mil, entrega 334 cv de potência e torque máximo de 45,8 kgfm. O craque deve sentir saudades dessa belezura...

Volvo XC60

Primeiro carrão de Neymar, o XC60 custa, atualmente, a partir de R$ 235 mil. Oferece três versões, todas com motor T5 Drive-E 2.0 de quatro cilindros, com turbo compressor e injeção direta de gasolina. A transmissão é automática de 8 velocidades. O modelo desenvolve 254 cv de potência e 35,6 kgfm de torque. Começou bem!

 

A Mitsubishi Motors alcançou uma marca positiva e inédita no site Reclame Aqui, o principal canal da internet sobre atendimento ao cliente. A montadora conquistou o RA1000, selo de máxima qualidade, em todas as categorias: últimos seis meses, últimos 12 meses, 2017, 2016 e Geral. É a primeira vez que uma fabricante de veículos recebe uma classificação positiva tão alta.

“Esse resultado é a consequência de um trabalho muito grande que fazemos, em conjunto com a nossa rede de concessionárias, para que nossos clientes tenham o melhor atendimento possível”, explica Julio Fiorin, diretor de pós-venda da Mitsubishi Motors do Brasil.

A Mitsubishi Motors já havia alcançado uma marca importante na área de atendimento ao cliente em 2016, quando se tornou a primeira montadora a receber o selo RA1000. "Temos como objetivo solucionar quaisquer problemas dos consumidores, bem como atendê-los pronta e rapidamente para sanar dúvidas", afirma Fiorin.

O Reclame Aqui é, hoje, uma das mais importantes ferramentas para medir o relacionamento entre as empresas e os clientes e avaliar a satisfação com o atendimento de marcas de todas as categorias. O site tem mais de 15 milhões de pessoas cadastradas e cerca de 42 milhões visualizações por mês.

A partir desta quinta-feira (1º), os motoristas paranaenses poderão acessar a versão eletrônica da Carteira Nacional de Habilitação (CNH-e) pelo celular. O documento tem a mesma validade e o mesmo valor jurídico da versão impressa, mas é preciso ficar atento a detalhes para garantir acesso à CNH-e em caso de fiscalização. O diretor-geral do Detran/PR, Marcos Traad, explica que, em caso de uma blitz, se o aparelho estiver descarregado será considerado que o motorista não está de porte da carteira de habilitação, resultando em penalidades.

 

Traad ainda aconselha a manutenção do porte da versão impressa: " O Paraná vai cumprir a resolução federal, mas tem preocupações quanto à funcionalidade e aplicabilidade do serviço. Por isso, nossa orientação é que o condutor continue usando também a CNH impressa”.

 

A carteira de habilitação eletrônica pode ser acessada offline, sem necessidade de conexão com a internet, mas não é possível acessar mais de uma CNH em um único aparelho celular. A adesão é opcional e pode ser feita através de um cadastro no Portal de Serviços do Denatran. Depois, a visualização é feita por um aplicativo gratuito, que pode ser baixado nos aparelhos com sistema Android e IOS.

 

Quem pode usar

 

O serviço só está disponível para motoristas que tenham a versão da CNH impressa com o QR Code na parte interna. O código escaneável em aparelhos eletrônicos é encontrado nas CNHs emitidas a partir de 02 de maio de 2017. Quem não tem esta versão impressa, pode emitir a segunda via do documento (R$ 82,36) ou esperar o prazo de renovação da habilitação.

 

O acesso à versão eletrônica é gratuito, bem como a adesão ao sistema do Denatran e o download do aplicativo CNH Digital na App Store e Google Play.

 

 

Passo a passo para solicitar a CNH-e

 

1- Atualizar o cadastro no Detran, informando e-mail e telefone.

 

2- Acessar o Portal de Serviços do Denatran e realizar o cadastro.

 

3- Ainda no Portal de Serviços do Denatran, abrir o menu "CNH Digital" e clicar em "Ativação" para receber o e-mail com o código de autenticação.

 

4- Baixar o aplicativo "CNH Digital" no celular. O primeiro acesso será com o código de autenticação, depois será possível gerar uma nova senha com quatro dígitos.

 

Certificação digital: Quem tiver um certificado digital, como o e-CPF, não precisa comparecer a uma unidade de atendimento do Detran para a atualização de dados e pode fazer a solicitação diretamente no portal do Denatran, seguindo as etapas a partir do passo 2.

 

(Com informações da assessoria do Detran/PR)

Pedir comida em casa vai ficar ainda mais fácil. O iFood, maior plataforma de delivery online da América Latina, seguindo seu plano de expansão no Brasil, chega em Foz do Iguaçu. Com 6,2 milhões de pedidos mensais, 5,1 milhões de usuários ativos e média de crescimento anual de 120% o iFood é uma das mais inovadoras foodtechs do mundo e já está presente em 300 cidades brasileiras espalhadas por todos os estados.

Os interessados em ingressar em um dos cursos superiores gratuitos ofertados pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), em Foz do Iguaçu, devem ficar atentos ao calendário do Sisu 2018. As inscrições iniciaram nesta terça-feira (23) e seguem até sexta-feira (26), exclusivamente pelo site sisu.mec.gov.br.

Uma pesquisa realizada pelo IBOPE, encomendada pelo Instituto Pró-Livro e divulgada em 2016, mostrou que 56% dos brasileiros dizem ler com frequência (pelo menos 1 livro em partes ou inteiro nos últimos três meses), um número recorde no país. Segundo a mesma pesquisa, o brasileiro lê 4,96 livros por ano, do total 2,43 foram terminados e 2,53 foram lidos apenas em partes.

O ex-ministro de Infraestrutura e das Comunicações, Ozires Silva, fará uma palestra sobre inovação e desenvolvimento tecnológico no dia 5 de fevereiro, às 15h, no Show Rural Coopavel, em Cascavel. O bate-papo com ex-ministro, que foi presidente e co-fundador da Embraer, faz parte das atividades do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), que promoverá uma série de palestras, apresentações e bate-papos durante todo o Show.

Certificado de originalidade isenta veículos da vistoria; Denatran investiga denúncias de irregularidades na concessão

*MATÉRIA ORIGINALMENTE PUBLICADA NO BLOG AUTOS PAPOS, de Cecília França

Até o final de 2019, todos os Estados brasileiros deverão estar aptos a realizar a inspeção técnica veicular em sua frota circulante, conforme resolução publicada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) no mês passado. Prevista pelo Código Brasileiro de Trânsito (CBT) de 1997, a inspeção ainda não havia sido regulamentada. Dentre os veículos isentos da vistoria estão os de coleção, identificados pela placa preta.

Veículos de coleção devem ter mais de 30 anos de fabricação e manter características originais, bem como um elevado nível de conservação. Clubes antigomobilistas e empresas credenciadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) estão aptas a conceder o certificado de originalidade, porém, há indícios de ilegalidades neste processo. Antigomobilistas identificam concessões de placas pretas a veículos que não seguem os mínimos critérios.

Circulam nas redes sociais fotos que comprovam o comércio ilegal de placas pretas, como o Corolla abaixo, já denunciado ao Denatran pela Federação Brasileira de Veículos Antigos (Fbva) – o número da placa foi borrado pelo Autos Papos. O presidente da entidade, Roberto Suga, teme que este comércio ilegal manche a imagem do setor antigomobilista.

Reprodução/Facebook

 

“Meu medo é que coloquem tantos carros velhos e sem segurança no trânsito que o Governo revogue a resolução e mande todo mundo passar pela vistoria”, afirma Suga. Ele se refere à Resolução no 56 do Contran, de 1998, que trata da identificação e do emplacamento de veículos de coleção, bem como reforça a isenção dos mesmos na inspeção veicular.

Na teoria, a inspeção vai servir para separar carros antigos de carros velhos, ou seja, veículos sem manutenção que rodam sem seguir critérios de segurança e emissões não serão aprovados. Na prática, há o temor de que empresas com fins lucrativos vendam placas pretas ou até aprovem veículos sem condições de rodagem.

A inspeção veicular vigorou na cidade de São Paulo até 2013, quando foi extinta pelo governo de Fernando Haddad sob suspeita de irregularidades. “O que aconteceu é que houve uma comercialização de certificados de originalidade, burlando a Resolução 56. Começaram a vender placa preta para qualquer carro, rebaixado, com aumento de potência”, recorda Suga.

O presidente da Fbva ressalta que a entidade tem poder para denunciar estas irregularidades, mas apenas os órgãos competentes podem atestá-las e punir os contraventores. “Chega ao cúmulo da audácia de algumas instituições que estão emitindo pedido de certificado para veículo antigo rebaixado. Tivemos essa consulta do Detran de Santa Catarina. É uma aberração”.

Consultado pelo Autos Papos, o Denatran afirma ter recebido algumas denúncias, que estão sendo apuradas.

Londrina

Clube do Carro Antigo de Londrina (CCAL) também já denunciou irregularidades ao Denatran. Mesmo não sendo filiado à Fbva, o CCAL é credenciado para conceder placas pretas e o presidente, Eduardo Bignami, garante a lisura do processo. Ele diz que a inspeção não deve ser uma preocupação para quem tem carro antigo, mas sim para aqueles que não preservam seus veículos.

“Eles vão olhar se o carro tem condições para transitar em via pública. Vão dar a oportunidade de corrigir e o dono vai ter que fazer as revisões que não foram feitas, às vezes fazer o motor; vai ter que gastar dinheiro”, ressalta.

O CCAL é credenciado pelo Denatran para a concessão de placas pretas e Bignami garante a lisura do processo. No entanto, ele afirma ter conhecimento de empresas que vivem do comércio de certificados de originalidade para veículos não condizentes com os critérios, inclusive no Paraná.

O clube respeita os índices mínimos de 80% de originalidade e 70% de conservação em suas vistorias.

Cerca de 100 veículos integram o CCAL; entre 30 e 40 possuem placa preta. Anualmente, os donos de veículos de coleção precisam renovar o certificado de manutenção da originalidade (em São Paulo, isso é exigido a cada dois anos). Após o pagamento do DPVAT e do Licenciamento Anual, o Detran emite o CRLV.

“É a forma que o Detran do Paraná encontrou de garantir que os carros placa preta são realmente de coleção”, diz Bignami. No site do Clube do Carro Antigo de Londrina é possível encontrar orientações, esclarecimentos e um guia completo para a correta emissão da placa preta.

Veículo do CCAL com placa preta

Cecília França