Sem categoria

Atletas das Abasfi ganham bolsas de estudos para jogar nos Estados Unidos

Duas promissoras atletas da Abasfi (Associação de Basquete de Foz do Iguaçu) conseguiram bolsas de estudos em importantes instituições de ensino dos Estados Unidos. Além de cursarem uma boa graduação no país, irão também atuar pelas equipes e desenvolver ainda mais as habilidades.

Janaína Gonçalves, de 20 anos, está na universidade St. Petersburg College, na Flórida, e Bianca Silva,17, irá terminar o Ensino Médio e defender as cores do Layton Christian Academy, de Utah. Janaína já está nos Estados Unidos e começará a treinar a partir do dia 10 de agosto, enquanto Bianca deve viajar ao país ainda nesta semana para iniciar a adaptação.

Ambas começaram muito jovens no basquete de Foz, o que, para o técnico Cláudio Lisboa, é uma grande conquista, por ter acompanhado a evolução das jogadoras. Elas são as primeiras atletas da Abasfi a conseguirem bolsas de estudos internacionais.

“Para nós é um motivo de grande orgulho ver uma conquista como essa de atletas que jogaram aqui. Falamos sempre de como estamos colhendo frutos de um trabalho iniciado há 10 anos, mas é porque os resultados estão aí, com jovens talentosas, chamando a atenção da principal meca do esporte, com estruturas e educação”, celebrou o técnico.

Início de uma carreira promissora

Janaína começou a jogar basquete em Medianeira, mas aos 12 anos veio para Foz do Iguaçu por conta da estrutura que a Abasfi fornecia e começou a defender o time da fronteira, começando pelas equipes de base.

“Aqui eu encontrei todas as possibilidades para começar uma carreira. Foi onde ganhei visibilidade, defendi a Seleção Paranaense e comemorei muitos títulos com as minhas companheiras de equipe”, contou Janaína.

Quando completou 18 anos, estava disposta a continuar a carreira de jogadora e contou com o apoio dos técnicos Cláudio Lisboa e Douglas Stapf, que divulgaram vídeos e entraram em contatos com agentes. Por conta da pandemia, o sonho de viajar foi adiado, mas enfim chegou.

“Eu havia ganhado a bolsa para terminar o High School em 2020. Pela pandemia, não foi possível viajar, mas segui com os meus treinamentos em Foz e consegui começar essa carreira internacional”.

Janaína garante que vai se esforçar ao máximo para chegar aos times profissionais e, quem sabe em um futuro próximo, jogar em um grande clube da estelar Liga de Basquete Feminina dos Estados Unidos (WBNA) e defender as cores da Seleção Brasileira nas Olimpíadas de 2024, em Paris.

“Está sendo muito incrível, bem diferente de tudo que já vivi. Sou a única estrangeira do time, o que torna um desafio ainda mais divertido. Quero descobrir mais, aprender mais e colecionar experiências. Tem momentos em que eu penso ‘Meu Deus! Estou realmente aqui?’. É muito único”, contou Janaína.

Chance de conquistar novas marcas

Bianca joga desde os dez anos. Ela começou nas quadras da cidade natal, Florianópolis (SC). Veio para Foz em 2020 com a intenção de se aperfeiçoar e aproveitar a estrutura da Abasfi.

Durante o último ano contou com a ajuda dos pais e dos técnicos para a divulgação dos vídeos e busca por agentes. Foi assim que conquistou a sonhada chance de jogar nos Estados Unidos.

“É um esforço muito grande e eu sei que estarei em um local com grandes jogadoras. Mas estou disposta a dar o meu melhor, aprender e ampliar os fundamentos que me ensinaram aqui”, contou.

Ela também sonha em seguir carreira no esporte, tentar uma nova bolsa de estudos para a universidade, em 2022, e um dia dividir o vestiário da seleção com a antiga colega de equipe, Janaína.

“Estou aqui para tentar isso, seguir um sonho que é conquistado passo a passo. A seleção brasileira é o grande sonho e pretendo dar orgulho a quem está confiando em mim”, disse.