Sem categoria

Aumento da cota para US$ 500 fomenta o comércio e o turismo na Região Trinacional do Iguassu

O governo federal oficializou o aumento de US$ 300 para US$ 500 no valor da cota para compras realizadas por turistas brasileiros em outros países. A medida integra a Portaria nº 601, de 12 de novembro de 2019, instituída pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e publicada no Diário Oficial da União.

Para o presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Mario Camargo, a elevação no valor da cota irá fomentar o comércio e o turismo na Região Trinacional do Iguassu, formada por Brasil, Paraguai e Argentina.

“Teremos forte e grande entrada de divisas em nossa cidade e nos municípios da região, beneficiando diretamente o comércio e o turismo, que são indutores de crescimento”, frisa Mario. “Com isso, serão estimulados também segmentos como o da logística, do transporte e um leque amplo de atividades ligadas aos serviços”, complementa.

A decisão do governo de aumentar a cota para US$ 500 atende a uma demanda da sociedade civil organizada, poder público e setor empresarial de Foz do Iguaçu e da região trinacional.

Percurso

Em 2013, o Codefoz – em conjunto com o Fundo Iguaçu – realizou o estudo Proposta de Elevação do Limite da Cota Terrestre, Fluvial e Lacustre de Bagagem Acompanhada, que ficou conhecido como Projeto Cota 500, indicando de forma técnica a viabilidade e a necessidade de elevação no valor.

O documento, desde sua organização apresentado e defendido junto a gestores e parlamentares em nível federal, reúne os benefícios para o desenvolvimento da região trinacional, com a geração de empregos e de renda, sem prejuízos à arrecadação decorrente dos produtos da indústria nacional do Brasil.

“Foram muitas audiências com ministros, trocas de correspondências e estudos e reuniões com os agentes políticos da esfera federal ao longo destes anos”, rememora o presidente do Codefoz. “Hoje podemos celebrar uma vitória que é da cidade, da união de forças e vontades em torno de objetivos comuns”, completa Mario.

Assinado pela professora mestre Vanessa Dantas, o diagnóstico do Codefoz e Fundo Iguaçu indicou, à época, que o aumento da cota, acompanhado de outras medidas, pode atrair para Foz do Iguaçu percentual dos turistas que viajam para outros países em busca de compras, especialmente aos Estados Unidos.

Foto: Nilton Rolin

“Para uma projeção de deslocamento de 10% do turista brasileiro que trocaria Miami por Foz do Iguaçu nos primeiros cinco anos e 25% do sexto ao décimo ano, ao final de uma década, teríamos o saldo acumulado de aproximadamente 2,25 milhões de novos turistas”, aponta o levantamento.

(Grampo Comunicação)

Deixe uma resposta