Variedades

Campanha de combate à exploração sexual infantil leva 300 pessoas para as ruas de Foz do Iguaçu

 

O grupo percorreu a Avenida Brasil, em direção à Praça do Mitre, no centro da cidade, onde a mobilização terminou com uma apresentação da Banda da Guarda Mirim. Ações semelhantes aconteceram em diversos municípios brasileiros.

Foram distribuídos panfletos da Campanha Faça Bonito – Proteja nossas Crianças e Adolescentes, do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, cujo mote é “Esquecer é permitir. Lembrar é combater”. O objetivo foi convocar a sociedade a assumir sua responsabilidade diante da defesa dos direitos sexuais de meninos e meninas e incentivar a denúncia.

Apesar de a caminhada ser repetida todos os anos na fronteira, nesta época as denúncias chegam a aumentar 20%. Segundo o conselheiro tutelar Gabriel Rugoni, com a grande divulgação, as pessoas acabam se sentindo na obrigação de denunciar.

A coordenadora do PPCA, Maria Emília Medeiros de Souza, foi testemunha. “Durante a caminhada, fui abordada por uma mulher querendo informações sobre como denunciar. Ela demonstrou medo, mas expliquei sobre o sigilo da denúncia.”

Outras ações

Nesta quinta-feira (19), alunos de escolas municipais e estaduais de Foz do Iguaçu serão convidados a participar de uma mobilização sobre o tema, com o uso de desenhos, teatro, filmes e conversa de roda.

Também está prevista para este mês uma fiscalização na Ponte Internacional da Amizade, para verificar se crianças e adolescentes estão atravessando a fronteira desacompanhados dos pais ou responsáveis.

Salvar vidas

Na Itaipu foram distribuídas gérberas amarelas, símbolo da campanha. Maria Emília destacou ainda que a empresa apoia a iniciativa por acreditar na importância de ações como essas. “Uma denúncia anônima para o Disque 100 ou para o Conselho Tutelar pode evitar a violação dos direitos de uma criança. Precisamos ser a voz desses meninos e meninas”, disse.

De acordo com ela, o cuidado com as crianças deve ser diário. “Mexer com o corpo de uma criança pode influenciar de forma negativa o comportamento dela para o resto da vida. Crescem inseguras.”

18 de Maio

O dia 18 de Maio tem como objetivo reforçar o enfrentamento à violência sexual contra meninos e meninas, bem como mobilizar os diversos setores da sociedade sobre o problema. A data foi escolhida como protesto contra um crime impune. Em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), uma menina de oito anos foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta. Apesar de ser considerado bárbaro, o crime, conhecido como “Caso Araceli”, prescreveu e os culpados permanecem impunes.

Denuncie!

Para denunciar crimes envolvendo crianças e adolescentes, basta ligar para o Disque 100 ou Disque 181. Também é possível entrar em contato com o Conselho Tutelar ou com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) do município.

Em Foz do Iguaçu os serviços 24h do Conselho Sul atendem pelo telefone (45) 9921-7576; Conselho Norte, pelo número (45) 9997-1441; e Creas, pelo 0800 451407. Outra opção é o Nucria (delegacia especializada), nos horários de atendimento ao público, das 9h às 12h e das 14h às 18h, pelo telefone (45) 3524-8565.

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta