Douglas Furiatti

De goleador a goleado

Ele entrou em campo querendo reassumir o posto ocupado durante 27 anos seguidos, perdido em 2014 para o Fiat Palio, por apenas 385 unidades. Entretanto o que se viu foi uma queda ainda maior nas vendas. Acostumado a golear os adversários, o Gol terminou 2015 levando uma verdadeira goleada dos rivais.

Até o dia 30 de dezembro, o hatch da Volks ocupava a sexta posição entre os automóveis mais vendidos no ano, com 81.739 unidades. O balanço final só seria divulgado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) em janeiro, após o fechamento desta coluna. Mas provavelmente não ocorreram grandes mudanças.

O líder do ranking até aquela data – e provável campeão de vendas – era o Chevrolet Onix, que somava 122.953 emplacamentos, contra 120.058 do segundo colocado, o Fiat Palio. Em terceiro estava o Hyundai HB20, com uma boa vantagem para o Fiat Strada – 107.940 a 97.510. Em quinto aparecia o Ford Ka, com 89.013 veículos emplacados – 7.274 a mais que o Gol.

A lista dos dez mais vendidos de 2015 era formada ainda por Fiat Uno, em sétimo lugar, com 78.091 unidades; Renault Sandero, 75.019; VW Fox, 70.295; e Chevrolet Prisma, 69.122. Portanto, fica claro que, entre os concorrentes de seu segmento, o Gol ficou à frente apenas do francês. 

Geração 7 em 2016?

Para tentar reverter esse resultado, a Volks trabalha para lançar a sétima geração do seu hatch mais famoso. O carro terá um desenho mais refinado e esportivo, que remeterá ao luxuoso Golf. O interior será aprimorado; e a lista de equipamentos na versão de entrada, ampliada. O mais básico deverá receber ar-condicionado e direção hidráulica, itens já presentes em alguns concorrentes.

Os motores devem ser o 1.0 de 12V (de três cilindros e 82 cv) e o 1.6 de 16V (120 cv). A montadora analisa lançar também o 1.4 turboflex para uma possível versão GTI.

Não se sabe ainda se a geração 7 chegará em 2016 ou ficará para 2017. Tampouco se essas mudanças serão suficientes para fazer o antigo goleador recuperar o espaço perdido. O fato é que os atuais concorrentes não perderam tempo. O HB20, por exemplo, acaba de passar por um facelift – o mesmo devendo ocorrer com o Onix, que promete uma atualização no visual ainda para 2016.

O moderno e bem equipado Ka deve consolidar-se entre os cinco mais vendidos. A incógnita será o Palio, cujo projeto é o mais antigo entre os principais hatches do mercado nacional. De campeão em 2014 para vice em 2015, sem previsão de atualização em 2016, qual será a colocação dele no fim do ano? Alguém arrisca um palpite?

 

Deixe uma resposta