Douglas Furiatti

Direção defensiva é regra, não exceção

Dirigir defensivamente nada mais é que seguir algumas normas de segurança no trânsito, para evitar acidentes e tornar mais harmônica a relação entre os usuários de vias públicas. Por isso, o bom comportamento de todos, especialmente dos motoristas, é essencial para mudar a realidade violenta apontada nas estatísticas brasileiras.

Quem conduz um veículo, seja ele qual for, deve ter a consciência de que é um potencial causador de acidente, caso não mantenha atitudes corretas no trânsito. Mesmo com anos de experiência, ninguém está livre de envolver-se num sinistro; ou seja, autoconfiança em demasia dever ser substituída por prudência.

A direção defensiva abrange condutas simples, porém muitas vezes deixadas de lado pelos motoristas.

Eis algumas:

– manter distância segura para quem transita à sua frente, especialmente em condições adversas como chuva, neblina, ruas mal iluminadas ou malconservadas;

– sinalizar com antecedência manobras como mudança de faixa, conversões ou entrada em vagas de estacionamento ou guias rebaixadas;

– usar o cinto de segurança e pedir para quem estiver com você também utilizar;

– segurar o volante com as duas mãos;

– evitar falar ao celular ou mexer no aparelho de som com o automóvel em movimento;

– manter a concentração e procurar antecipar possíveis condutas erradas de outros motoristas;

– não furar o sinal vermelho;

– transitar na velocidade regulamentada para a via;

– não ultrapassar em local proibido e se não tiver visão e espaço suficientes nos pontos permitidos;

– conservar o veículo em boas condições de rodagem, fazendo revisões anuais;

– não guiar sem carteira de habilitação ou sob efeito de bebida alcoólica ou outra droga.

Enfim, esses são alguns dos procedimentos fundamentais a qualquer motorista. Sem eles, a probabilidade de ocorrerem acidentes aumenta muito. Então faça a sua parte, respeite as regras, seja consciente!

Texto: Douglas Furiatti

Deixe uma resposta