Lançamentos

Fórum debate avanços em segurança no trânsito brasileiro 

Ministro das Cidades Gilberto Kassab recebe prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira

 

Com base nesses dados, e seguindo resolução emitida pela ONU na qual o período de 2011 a 2020 ficou definido como a “Década de ações para a segurança no trânsito”, a Companhia Paulista de Desenvolvimento e a Sem Parar Comunicações, realizam o Fórum Via Futuro – Segurança no Trânsito, com apoio institucional do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e do Ministério das Cidades.

O encontro, ocorrerá em São Paulo nos dias 11 e 12 de novembro, além de debater a segurança no trânsito em território brasileiro, servirá de referência para a Conferência da ONU, em Brasília, quando serão avaliados os avanços do tratado assinado pelo Brasil em Moscou, em 2010.

Técnicos e especialistas de diferentes áreas da sociedade civil – empresas, instituições, universidades e o setor público nacional– vão discutir os avanços no desenvolvimento de novas tecnologias, o treinamento e a formação de condutores, a engenharia de tráfego e, sobretudo, a mobilidade e a segurança de pedestres, ciclistas, condutores e passageiros. 

Ações desenvolvidas no Brasil

Entre as medidas adotadas no Brasil visando a redução de mortes durante este período que preconiza a “Década de ações para a segurança no trânsito”, destaca-se o “Pacto Nacional pela Redução de Acidentes – Um Pacto pela Vida”, que faz parte do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência no Trânsito.

A Lei Seca, com intolerância total ao álcool na direção e penalidades mais severas aos infratores, é um dos destaques de alterações feitas no Código de Trânsito Brasileiro. A norma é considerada uma das mais rígidas do mundo.

Outros exemplos a serem discutidos durante o fórum:

• Uso de capacetes para motociclistas e passageiros e coletes de segurança para profissionais;

• Capacitação: utilização de simulador na capacitação de motoristas. Entre 2010 e 2014 foram capacitados mais de 115 mil motoristas profissionais em todo o país.

Fonte: Assessoria Ministério das Cidades

 

Deixe uma resposta