Variedades

Foz do Iguaçu já aplicou de 36 mil doses da vacina contra o coronavírus

A Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu já aplicou 36.303 doses da vacina contra o coronavírus. Foram 28.203 vacinas para a primeira dose e 8.100 para a segunda dose.
Mesmo com o número, a secretária da pasta, Rosa Jeronymo, reforça que o momento ainda é de alerta e que os cuidados contra a disseminação da doença se mantêm essenciais.
“Essas 36 mil vacinas aplicadas aqui carregam consigo a esperança de dias melhores. Estamos motivados para continuar a campanha, mas a população não deve abrir mão da proteção diariamente”, afirmou a secretária.
Novos vacinados
A faixa etária de vacinação abrange pessoas acima dos 65 anos, idade da dona Maria Cristina Nieva, psicóloga aposentada que tomou a primeira dose do imunizante.
“Estou muito grata por receber a minha dose. Fiquei conferindo quando seria a minha vez, porque também é uma obrigação da população que já pode vir tomar essa vacina. Tomara que todos recebam e, assim como eu, possam estar protegidas em poucos meses”, disse.
Em quarentena restrita desde o início da pandemia, a senhora Zoraide Padilha, 65, saiu hoje para tomar a tão esperada vacina. Por conta de comorbidades, a filha, Neuci Padilha, manteve a mãe em segurança para evitar a contaminação. “Hoje eu começo a me proteger e logo vou poder voltar a sair”, comemorou Zoraide.
Vacinação nas UBSs 
Na sexta-feira, 9, a campanha de vacinação contra a covid-19 foi retomada em Foz após o recebimento de 2.110 doses, com a aplicação somente na Diretoria de Vigilância em Saúde. Com a chegada de novas remessas, a vacinação deve voltar a acontecer também nas Unidades Básicas de Saúde. Cerca 9.800 doses foram aplicadas somente nas UBSs desde o dia 23 de março.
“A vacinação contra a covid-19 foi descentralizada para as Unidades Básicas de Saúde com o objetivo de atender a população o mais próximo possível de suas casas. Como auxílio, as UBSs também estão fazendo o agendamento para aquelas pessoas que não conseguem fazê-lo pela internet. Assim evitamos a alta circulação e facilitamos o acesso com mais segurança”, complementou Rosa.