Autos e Motos - Roberto Nunes

Jetta GLI entra na fila dos sedãs esportivos

O lançamento do novo Toyota Corolla com motor híbrido flex – modo elétrico e podendo ser abastecido também com etanol ou gasolina – mudou totalmente o conceito de sedã médio no Brasil. Por enquanto, a Toyota saiu na frente. E o que temos de opções no mercado brasileiro?

Marcas como Honda e Chevrolet optaram pela motorização turbinada. A Ford está na fase da quase descontinuidade da produção do Focus. Há caminhos alternativos com os novos Nissan Sentra e Kia Cerato. Já a alemã Volkswagen chega forte com o sedã Jetta, que é ofertado em versão esportiva GLI com motor 2.0 de sistema turbo a gasolina, injeção direta de combustível e 230 cavalos de potência máxima, auxiliado pela suspensão traseira multilink e transmissão DSG de dupla embreagem com seis velocidades banhada a óleo.

Estacionado por 10 dias na #GaragemdoNunespara avaliação do @autosemotostv, o Jetta GLI é um modelo bem legal para quem está ao volante e extremamente confortável para todos os caronas. A linhagem GLI traz um pacote performance com detalhes vermelhos em vários pontos da carroceria como também no interior com acabamento mais caprichado. A Volkswagen inclui pneus 225/45 nas rodas de 18 polegadas com desenho exclusivo, saída dupla do escapamento e um aerofílio incorporado ao design traseira na parte de cima da tampa do porta-malas.

Dirigir o Jetta GLI é quase uma sensação de dirigir um Golf GTI. Pegada forte do motor de 35,7 kgfm deixa o sedã esperto nas saídas das situações urbanas e vamos usar a expressão “valente” para quem anda muito na estrada, precisando de agilidade e segurança nas ultrapassagens.

Olhando rapidamente o Jetta fica a seguinte sensação: o sedã médio está mais para mini-Passat ou um Virtus “anabolizado”? O conjunto visual da traseira é bem similar e estes detalhes fazem parte da identidade global da Volkswagen. É chato andar em um carro superior e ficar com a sensação de que está rodando com um Virtus. Mas é bacana andar de Jetta e algumas pessoas acharem que você está a bordo de um tecnológico Passat.

O Jetta é produzido na base da moderna plataforma MQB e tem 2,68 metros de entre-eixos e 4,70 metros de comprimento. É um carro espaçoso, confortável, seguro e extremamente conectado. A Volkswagen cobra R$ 144.990, além dos R$ 4.990 pelo teto solar, único opcional no pacote. Assim, o sedã Jetta GLI sai por R$ 149.980.

É bom ver o emblema GLI na grade e na traseira do Jetta. Isso indica que o modelo é um Gran Luxury Injection, com pegada forte, bem equipado e cheio de detalhes exclusivos. Seu som Beats é um plus a mais para quem gosta de música e usa o multimídia de 8″ em posição voltada ao motorista. Seu painel de instrumentos tem tela TFT de segunda geração ajuda ao multimídia com android auto e carplay, mais moderno em relação ao do Polo e Virtus.

O sedã vem ainda com volante de três raios e pedaleiras em alumínio. Há piloto automático adaptativo, painel digital, seis airbags, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado de duas zonas, faróis full LED, frenagem automática de emergência, bloqueio eletrônico do diferencial, banco do motorista elétrico com memória e aquecimento e ventilação para os dois dianteiros.

Mas há sim um ponto que pode ser o calcanhar de Aquiles do Jetta GLI. A Volkswagen já possui o sistema de leitura de faixas e de auxílio ao condutor em outros modelos. No entanto, nem cogitou na oferta do equipamento como pacote opcional. Isso deixa o sedã médio esportivo em um degrau abaixo dos modelos mais modernos como o Chevrolet Cruze, por exemplo.

Nos quesitos espaço e conforto, a Volks se sai muito bem com o sedã médio Jetta. O compartimento de carga é de 510 litros, espaço de sobra para transportar pequenas, médias e malas grandes. Hoje a maioria das fabricantes de veículos oferece tudo para o motorista e, muitas vezes, esquece do carona no banco da frente. O sistema de ajustes é elétrico apenas para o motorista, que tem tudo em suas mãos no volante multifuncional, painel digital com todos os dispositivos e direção elétrica para curtir, sim, o rodar forte e macio do Jetta GLI.

Importado do México, o Jetta GLI faz parte da sétima geração do sedã médio da Volkswagen. No frigir dos ovos, o modelo evoluiu, sim. Para equilibrar a vontade do motorista, o carro possui quatro modos de direção: Eco, Normal, Sport e Individual. Tem também sistema start/stop, Front Assist (sistema que alerta o motorista para possíveis colisões) e regulagem automática do farol alto.

O novo Jetta GLI é ofertado em três cores sólidas, duas metálicas e uma perolizada, e possui garantia de três anos, sem limite de quilometragem.

Deixe uma resposta