Variedades

Mariana Favoreto Thiele é a terceira mulher a assumir diretoria na Itaipu

A advogada Mariana Favoreto Thiele, 38 anos, empregada de carreira de Itaipu, é a nova diretora jurídica da usina binacional. Ela substitui o advogado Cezar Ziliotto, que ficou no cargo durante sete anos e meio. A nomeação foi publicada em Diário Oficial da União, nesta terça-feira, 6.

Ver na íntegra: http://www.in.gov.br/web/dou/-/decretos-de-5-de-agosto-de-2019-209021893

O ato leva a assinatura do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. A posse ocorre ainda hoje às 9h, numa solenidade no Centro Executivo de Itaipu, em Foz do Iguaçu.
Terceira diretora de toda a história da margem esquerda da usina de Itaipu e quinta “prata da casa” a ser nomeada para um cargo de diretoria, Mariana tem 17 anos de empresa. Ela é o quinto nome escolhido pelo presidente Bolsonaro para compor a equipe do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna. A Diretoria Executiva de Itaipu é composta por 12 diretores, seis deles brasileiros e outros seis paraguaios.

O primeiro a ser nomeado pelo presidente Bolsonaro foi o general Joaquim Silva e Luna, seguido do almirante Anatalicio Risden Junior, na Diretoria Financeira Executiva, do general Luiz Felipe Carbonell, na Diretoria de Coordenação e do engenheiro Celso Villar Torino, empregado de carreira da Itaipu.
Mariana conta com o apoio irrestrito do diretor-geral brasileiro, que conseguiu emplacar mais um nome em seu quadro.

Prata da casa reconhecida

Natural de Londrina, Mariana é viúva e tem dois filhos. Ela entrou na Itaipu em 2002. Graduada pela Faculdade de Direito de Curitiba (2002) e pós-graduada em Direito Administrativo (2005), Mariana possui formação em Educação Executiva pela Advanced Management Program (AMP) ESADE Business School (Espanha-2014) e tem MBA em Gestão de Previdência Complementar (FIA/UniAbrapp-2018).

É também certificada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA – CPA 20) e Instituto de Certificação Institucional e dos Profissionais de Seguridade Social (ICSS – Ênfase em Administração e em Investimentos).
Mariana atuou por 16 anos na Diretoria Jurídica da Itaipu, entre 2002 a 2018, nas funções de superintendente e gerente de Licitações e Contratos. Desde abril de 2018, exercia a função de diretora superintendente da Fundação Itaipu Brasil de Previdência Complementar (FIBRA). Recentemente havia sido nomeada como assistente do diretor-geral brasileiro.

Entre suas atividades profissionais, a nova diretora participou do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), Comitê de Investimentos da Fundação de Previdência da Fibra, Comitê de Ética da Itaipu e Comitê de Segurança da Informação.

A nova diretora jurídica também integrou a Comissão Julgadora do Concurso de Monografias – Natureza Jurídica da Itaipu, o Comitê de Responsabilidade Socioambiental, da margem esquerda, e comissões específicas de análise e julgamento.

O currículo dela inclui ainda capacitação sobre regulação do Setor Elétrico Brasileiro (2012), de formação para dirigentes e conselheiros de Fundos de Pensão (2010), do Programa Foccus – Eletrobras (2010) e do Programa Líder – Eletrobras (2013), entre outros.

A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Deixe uma resposta