Variedades

Nova temporada do MasterChef começa na terça-feira (6). Ex-participante diz ter paladar apurado, mas no dia a dia só cozinha miojo

Diferente do que a maioria das pessoas pensam, Abel não gosta muito de cozinhar, é mais fã de desafios. “Decidi que queria participar da competição. Me preparei, fui selecionado e fiquei oito semanas”, contou. 

Segundo o chinês que trabalha no Paraguai, mas vive no Brasil, no dia a dia, cozinha o que é prático, como macarrão instantâneo e esquenta lasanha congelada. Mas, disse que sabe apreciar uma bela gastronomia. “Gosto de comida boa. Meu paladar é muito apurado. Como tenho dificuldade de encontrar, eu cozinho, mas não trabalho na área”, disse.

Entretanto, desde que participou do programa, no início de 2017, Abel tem sido chamado para assinar os menus de vários eventos. O último foi no lançamento da edição 2018 do “Chef por Um Dia – Tradição de Família, do Wish Resort, nessa quanta-feira (28), em Foz do Iguaçu. Ele preparou um Rolinhos Vietnamitas Veganos, recheados de legumes, cogumelos, e servidos com calda de amendoim.

Abel perdeu o avental do MasterChef, depois de oito semanas, por um mero esquecimento. Ele cozinhou um belo lámen (sopa chinesa), mas a prova exigia dois pratos. A saída dele foi polêmica. 

“A minha vida mudou bastante depois do programa. Não segui na culinária, mas fiz grandes amigos que vou levar para a vida inteira”, contou. Desde sua saída, dois participantes já dividiram a cozinha com Abel em Foz, todos profissionais: Ivo Lopes e Bárbara Cadin.

MasterChef 2018

Nesta edição o reality recebeu mais de 30 mil inscrições, mas apenas 38 candidatos que passaram pelos testes presenciais – entre eles um padre e um policial militar – foram convocados para duelos diretos, novidade que vai marcar a primeira etapa do programa nesta temporada. “Dessa vez os concorrentes são muito guerreiros e emblemáticos, com personalidades marcantes. Vai ser muito divertido desde o primeiro episódio, com embates eletrizantes”, adianta a apresentadora Ana Paula Padrão.

Os competidores vão enfrentar provas ainda mais complicadas ao longo dos 22 episódios. Nesta temporada eles terão de encarar o maior desafio já proposto na história do MasterChef Brasil: servir 300 pessoas no Centro de Tradições Nordestinas, em São Paulo, com a participação do chef convidado Rodrigo Oliveira. “As provas são muito diferentes e ainda mais desafiadoras. Organização, liderança e senso de trabalho em equipe são essenciais”, conta o chef Henrique Fogaça.

Outra novidade é que mais de um participante poderá ser eliminado em cada programa. “Não há mais um número pré-definido de eliminados, podemos ter dois ou até três eliminados no mesmo episódio”, revela o diretor Patricio Díaz. “A competição está mais acirrada do que nunca. Os cozinheiros terão de pensar e agir de forma estratégica no jogo”, conclui.

Prêmios

Nesta temporada, todos os desafios do MasterChef Brasil valem prêmios. Após a conquista do avental, os vencedores das provas individuais acumularão R$ 1 mil em compras no cartão Carrefour; já as mini-provas valerão R$ 500 para quem fizer o melhor prato. Os dois finalistas ainda serão premiados com R$ 1 mil por mês, durante um ano, para fazer compras com o cartão Carrefour. 

O grande vencedor do talent show vai ganhar o troféu MasterChef; uma conta na Caixa recheada com R$ 200 mil; uma bolsa de estudos na Le Cordon Bleu, em Paris; o próximo lançamento da Citroën; eletroportáteis e utensílios da Tramontina by Breville; uma viagem para a Itália para conhecer a fábrica da Barilla e acompanhar a final do Worldpasta Championship; além de criar uma receita exclusiva de molho de tomate para a linha Pomarola Chef. O segundo colocado também ganhará uma bolsa de estudos na Le Cordon Bleu, no Canadá.

Abilene Rodrigues com informações da assessoria 

 

 

Deixe uma resposta