Variedades

Pesquisadores da UNILA descobrem novas espécies de insetos no Parque Nacional do Iguaçu 

Uma publicação na revista internacional Zootaxa documenta a descoberta de três novas espécies do inseto conhecido como esperança, no Parque Nacional do Iguaçu (PNI). A descrição das espécies é o resultado da pesquisa do biólogo Marcos Fianco, mestre em Biodiversidade Neotropical pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana. O trabalho foi orientado pelo professor Luiz Roberto Ribeiro Faria Junior. 

Durante as pesquisas para a dissertação de mestrado, Fianco se propôs a fazer um inventário de todas as espécies de esperanças que habitam no Parque e descrever os cantos de cada uma delas. No total, foram encontradas 83 espécies, entre elas, mais de dez ainda desconhecidas pela ciência. “O resultado revelou o PNI como o detentor da segunda maior fauna local da América do Sul para o grupo, e isso reforça ainda mais a importância do Parque para a preservação ambiental”, salienta Fianco.

Com a publicação, três novas espécies já são reconhecidas oficialmente pela Ciência. Mas, em breve, após a publicação de outros artigos, outras espécies da região, descobertas pelo pesquisador e seus orientadores, também serão apresentadas.

O nome das espécies recém-descobertas homenageiam a cultura indígena local. A Xenicola taroba lembra o guerreiro Tarobá, da lenda das Cataratas. A Xenicola xukrixi foi batizada assim por ser uma espécie de pernas longas. Xukrixi significa aranha pequena em kaingang. E a Anisophya una, única espécie de coloração preta do seu gênero, tem em seu nome a palavra una, que significa preto em guarani e única em latim.

Deixe uma resposta