O Programa Veículo Elétrico (VE) da Itaipu Binacional começou a testar nesta semana um utilitário esportivo (SUV) híbrido plug-in que traz uma série de novidades em relação aos outros híbridos atualmente no mercado. A ideia é avaliar a aplicação dessas tecnologias no projeto de ônibus híbrido a etanol, de segunda geração, desenvolvido em parceria com Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Fabricado no Japão, o Mitsubishi Outlander Híbrido PHEV foi lançado recentemente no Brasil e apresentado na semana passada para o mercado de Foz do Iguaçu e estudantes e professores do Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz – FAG, de Cascavel.

O coordenador brasileiro do Programa VE, engenheiro Celso Novais, explicou que a principal inovação do carro é a disponibilidade de três modos de operação: 100% elétrico, híbrido em paralelo (motor a gasolina como a principal força motriz) e híbrido em série (com a assistência do motor a gasolina para gerar energia) – veja quadro ao lado.

De acordo com Novais, a maioria dos híbridos trabalha com apenas dois modos: elétrico/paralelo ou elétrico/série. “Esse carro [da Mitsubishi] é diferente. Ele tem dois motores elétricos, um na frente e outro atrás, e um terceiro a combustão, que é usado na maior parte do tempo para produzir energia para os motores elétricos”, disse.

“Em condições de alta velocidade, por exemplo, o carro pode manter o motor elétrico girando e adicionar a força mecânica do motor a combustão. Essa é uma inovação que os outros modelos não têm”, acrescentou.

O engenheiro participou do evento em Cascavel, no dia 3, para falar sobre mobilidade elétrica e eficiência energética, e foi convidado para testar o veículo por alguns dias. Devido ao know-how de Itaipu no segmento, o representante de veículos elétricos da Mitsubishi no Brasil manifestou o interesse para que o Programa VE realize testes por um prazo maior, obtendo informações próprias do desempenho do veículo nas diversas faixas e modos de operação.

Novais lembrou que a montadora japonesa já participou de um dos projetos do Programa VE, fornecendo o motor a combustão (de tecnologia flexfluel) utilizado na camionete Triton para o protótipo do ônibus híbrido a etanol apresentado em 2010, durante a Cúpula de Presidentes do Mercosul.

Inovações

Além dos três modos de operação, outra característica do veículo que interessa Itaipu é a capacidade de reduzir significativamente as emissões de dióxido de carbono sem privar o condutor de percorrer grandes distâncias – segundo informação dos técnicos da Mitsubishi, a autonomia do Outlander Híbrido PHEV chega a quase 700 quilômetros, suficientes para sair de Foz do Iguaçu e chegar a Curitiba.

Além disso, trata-se de um 4×4, robusto, pesado, com tecnologias avançadas como piloto automático, tração dinâmica, controle de distância, conexão Wi-Fi etc. Os níveis de segurança e conforto são de primeira linha.

“Outra inovação é que você pode usar o próprio carro para carregar a bateria, usando apenas três litros de gasolina. Você aperta um botão, aciona o motor a gasolina, e em apenas 40 minutos ele carrega 80% da bateria, sem ligar nenhuma tomada”, acrescentou.

Novais destacou que se houver a oportunidade de permanecer com o veículo por um prazo maior, “além dos conhecimentos dos modos de operação e utilização do veículo, poderemos aprofundar os conhecimentos destas novas tecnologias para avaliar a possibilidade de implantação no projeto do ônibus híbrido a etanol de segunda geração”.

“Estamos atentos ao que ocorre no mundo quando o assunto é mobilidade elétrica e queremos que as montadoras possam ver Itaipu como uma alternativa para testar e avaliar os seus produtos”, completou.

Fonte: JIE