Autos e Motos - Roberto Nunes

Ranger Storm entra na “lama” para mostrar que é picape de verdade

Você é amante de picape? Então, gosta da Ranger. De todas as picapes vendidas no mercado brasileiro, a Ranger é a que tem mais atributos e características offroad entre os modelos no Brasil. E não é à toa que a Ranger sai na frente neste perfil de picape com “pegada” de picape.

Além de ser produzida pela Ford, marca que tem o DNA das verdadeiras picapes “Made USA”, a Ranger agora ganha a configuração Storm, a que tem visual e mecânica para enfrentar os mais complicados obstáculos do mundo dos veículos 4×4.

A Ranger jogou poeira na grade das rivais no mês de maio. Somente a líder Toyota Hilux conseguiu vender mais no mês passado, com 1.444 unidades – apenas 44 carros à frente da Ford Ranger, que registrou 1.400 unidades comercializadas no mês de maio. Se antes a Ranger ficava lá atrás e perdia terreno para Amarok e até para a L200, a Ford reposicionou sua picape no segmento.
Com a Ranger Storm, a Ford quer mostrar que realmente vale a pena estacionar a picape na garagem do picapeiro. A configuração da Ranger é a de cabine dupla com apetrechos não só visual como também itens essenciais para botar a picape na lama. A grade dianteira com o nome Storm fica em destaque e reforça a assinatura da nova picape.

O jornalista Roberto Nunes  botou a Ranger Storm na lama, a picape que ganhou reforços para todo tipo de terreno. Tem faixas no capô e nas laterais, alargadores de paralamas, estribos, rodas e santantônio exclusivo, todos na cor preta. Há ainda lanternas traseiras com lentes escurecidas e acessórios como snorkel e capota marítima ((R$ 5.600), itens oferecidos para os 60 primeiros compradores. Agora, só pagando para instalar snorkel e a capota marítima na Ranger Storm.


Se é para escolher um dos dois, instale o snorkel na Ranger Storm. É um acessório extremamente útil para quem deseja uma autêntica picape com tração 4×4. A Ford equipa a Ranger com a transmissão automática de seis velocidades, diferencial traseiro blocante e o potente motor Duratorq 3.2 turbodiesel de cinco cilindros herdado das versões de topo XLT e Limited. São 200 cavalos de potência e torque máximo de 47,9 kgfm.

Para “meter” a picape literalmente na lama e nos terremos e nas trilhas mais duras, a Ford “calçou” a Ranger Storm com pneus todo-terreno Scorpion AT Plus 265/65 R17 da Pirelli. Se é para garantir a aderência na lama, por exemplo, os pneus Scorpion servem para o melhor desempenho com proposta de uso 60% fora de estrada e 40% em estrada. É um mix com perfil mais lameiro e feito sob medida, com mais de 90 parâmetros personalizados, para entregar o melhor desempenho tanto na terra, lama, água, cascalho e pedra como no asfalto.

A Ford Ranger enfrente rivais como a Nissan Frontier Attack no país. Mas a Ford para ganhar terreno deixou de fora itens de tecnologia embarcada, a exemplo do sistema de leituras de faixas (dispositivos de condução semiautônoma) e de anticolisão. Cobra R$ 151 mil, valor abaixo dos concorrentes. Mas a Ford capricha também no pacote mais urbano. É uma picape para colocar na lama, sim, mas tem conforto também. Entre os destaques de segurança, estão lá série sistema de controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, controle automático de descida, controle de oscilação de reboque, assistência de frenagem de emergência e 7 airbags.

O pacote segue com central multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, quadro de instrumentos com duas telas configuráveis, faróis de neblina, câmera de ré, piloto automático, direção elétrica e ar-condicionado digital de duas zonas. O modelo vem com sistema AdvanceTrac, composto por controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, controle automático de descida, controle de oscilação de reboque, assistência de frenagem de emergência e luzes de emergência em frenagens bruscas, além de sistema anticapotamento e controle adaptativo de carga, exclusivos no segmento.

A Ford agora somente oferece a Ranger com motor diesel. Aposentou de vez as versões com motor flex, seguindo a tendência iniciada pela Nissan. Com preço de R$150.990, a Ranger Storm ocupa um novo espaço entre as versões intermediárias e topo da linha. Tem ainda direção elétrica, ar-condicionado digital de duas zonas, central multimídia SYNC 3 com tela de 8 polegadas, painel configurável com duas telas de 4,2 polegadas, faróis de neblina, sete airbags, câmera de ré e rodas de liga leve de 17 polegadas.

A picape Ranger Storm tem cinco anos de garantia. A Ford oferece sete cores: as sólidas vermelho Bari e branco Ártico, a metálica prata Geada e as perolizadas azul Belize, vermelho Toscana, cinza Moscou e preto Gales, sempre combinadas com acessórios na cor preta.

A Ford oferece bom desempenho como também autonomia. Oferece na Ranger Storm volume da caçamba para 1.180 litros e consegue transportar carga útil 1.002 kg. O tanque é de 80 litros. A Ranger Storm tem, de fato, perfil para o fora-de-estrada. Porém, usa o mesmo perfil das demais versões, com 28º de entrada e saída de 27º, e capacidade de imersão de 800 mm.

.

Picapes médias

Toyota Hilux – 1.444 (maio) – 12. 612 (acumulado)
Chevrolet S10 – 1.267 – 8.132
Ford Ranger – 1.400 – 6.982
Volkswagen Amarok – 725 – 5.373
Mitsubishi L200 – 693 – 1020
Nissan Frontier – 349 – 1.020

Fonte: Fenabrave (emplacamento janeiro/maio 2020)
Fotos: Luan Seixas