Lançamentos

Startup londrinense de venda de veículos chega a Curitiba

Plano de expansão da Cash Auto prevê outras oito unidades este ano e faturamento de R$ 100 milhões

A Cash Auto, startup londrinense que inovou a maneira de vender veículos, acaba de abrir sua segunda loja, em Curitiba, com a previsão de negociar em torno de 350 veículos por mês. O movimento na unidade da capital deve atingir R$ 10 milhões.

A nova loja faz parte do plano de expansão da startup, que pretende abrir outras oito lojas ainda este ano – a terceira já neste mês, em Itajaí (SC). Para abrir estas duas unidades, os investimentos estão na ordem de R$ 600 mil.

O trabalho da Cash Auto consiste em unir pessoas que querem vender seu veículos com uma rede de milhares de compradores, incluindo garagistas e concessionárias.

Para vender o carro por meio da startup basta fazer um cadastro no site (tenha em mãos modelo e versão do veículo) e aguardar o contato telefônico para agendamento da avaliação, que é presencial. Isto feito, o carro do cliente é anunciado a essa rede de compradores e os interessados mandam propostas. Se o cliente aceitar, o carro é vendido e a Cash Auto cuida de todos os trâmites.

“Em 50 minutos, a pessoa sai da loja com o dinheiro no bolso”, explica Ycaro Martins, CEO da startup.

Expansão

A loja em Curitiba está sendo inaugurada em parceria com o empresário Bruno Placidino, que tem ampla experiência no segmento de automóveis e conhecimento do mercado local. Já no início serão contratados 15 colaboradores diretos, que vão passar por treinamento de atendimento, vendas e processos.

Alison Vilas Boas, Ycaro Martins e Bruno Placidino

 

“Um dos nossos principais diferenciais é a equipe de vendas, treinada para atender os clientes de forma individualizada, acompanhando cada negociação de perto com agilidade, transparência e sem burocracia”, diz Martins. 

A Cash Auto também movimenta toda uma rede de serviços, como despachantes, peritos, entre outros.

Inaugurada em novembro de 2016, a empresa prevê um faturamento de R$ 100 milhões neste ano, um crescimento exponencial quando comparado aos R$ 25 milhões faturados em 2017.

Os primeiros números de 2018 são motivo de otimismo. Em janeiro foram vendidos 110 carros e, em fevereiro, 75, contra 45 e 25 nos mesmos meses de 2017. “A expectativa é a melhor possível para esse ano”, pontua Martins.

Cecília França (com assessoria)

Deixe uma resposta