Carlos Oliveira

Um Dedo de Prosa!, por Carlos Olveira

Na contramão do condicionamento ditado pela comunicação virtual, embora nada contra esta tivesse, procurava no dedo de prosa a forma de se reencontrar com o dialogo interpessoal.

E não o fazia por contestação, longe disto, mas sim, e tão somente, para invocar, pela palavra viva – dita e ouvida – sentimentos e emoções em cujas ações e reações não se denotassem a camuflagem de comportamento pela dissimulação.

Até se harmonizava bem com seu já velho aparelho celular, porém sem aquela dependência de alguém que já num estágio mais avançado só se satisfazia com as alternativas sofisticadas das redes sociais.

Tinha consigo que a tecnologia da comunicação é e sempre será bem vinda, desde que, obviamente, bem utilizada, pois realmente se presta a enriquecer o saber, todavia, jamais descartando, como determinante para uma melhor qualidade de vida, o DEDO DE PROSA.

 

Carlos Roberto de Oliveira

 

Deixe uma resposta