Turismo

Intercâmbio nos EUA em 2022: cinco dicas para escolher o melhor destino

Estudar no exterior é um desejo de muitos brasileiros que buscam aprender ou aprimorar o idioma e conhecer outras pessoas e culturas. Há quem diga que morar um tempo fora é transformador em diversos aspectos. Segundo o consultor especializado em imigração, Roberto Spighel, especialista da Morar-EUA, maior agência especializada em serviços de imigração do Brasil, para que esse período seja melhor aproveitado, é necessário escolher um destino com o qual o viajante mais se identifique.

“Estudar no exterior muda completamente sua rotina e faz você ver as coisas por novos ângulos. Escolhendo o melhor destino, será possível tirar mais proveito dessa experiência, conquistar notas melhores, encontrar mais motivação, além de explorar com mais vontade a cidade”.

De acordo com Spighel, a pluralidade de culturas existentes dentro dos Estados Unidos faz com que seja um dos países mais procurados para intercâmbio de estudos. Para quem planeja estudar por lá em 2022, o especialista traz cinco dicas que ajudam a escolher o destino:

FINALIDADE

Um dos primeiros pontos é definir o que você quer com seu intercâmbio. Se, além de estudar, também deseja viajar e relaxar ou fazer algum tipo de trabalho voluntário, por exemplo, isso afeta a escolha do destino. “Para quem busca algo mais badalado, Los Angeles e Nova Iorque são uma ótima opção, enquanto para quem prefere algo mais tranquilo, em Illinois há ótimas alternativas”, sugere o especialista.

TEMPO E FINANÇAS

É muito importante pensar quanto tempo você pretende ficar, se serão poucos meses, um ano ou mais. Spighel aponta que isso é imprescindível para decidir onde ficar, com base no custo de vida de cada local. “Há lugares nos Estados Unidos que são mais caros de ficar, como há outros mais em conta, então antes de bater o martelo é bacana pesquisar a média de preços versus o tempo de estadia, levando em conta que, quanto maior a cidade, maiores serão os custos”.

RECEPTIVIDADE

Outro ponto decisivo é com relação à receptividade no local escolhido. “Sabemos que o Brasil é um país caloroso e isso muda conforme chegamos em outros lugares. Enquanto alguns fazem questão dessa receptividade acalorada, outros lidam bem com um jeito mais frio. É interessante pesquisar bastante para saber qual cidade será mais adequada ao perfil do viajante”, recomenda o consultor

CLIMA

No Brasil não estamos acostumados com baixas temperaturas, o que pode ser um grande empecilho para escolher a estadia em lugares mais frios, como Nebraska ou Arkansas. “Caso faça parte do objetivo ter uma experiência completamente diferente da que se está acostumado, vale a pena pesquisar as opções mais geladas, mas lembrando sempre que o clima é um dos fatores que mais influenciam o humor e a adaptação, por isso leve em consideração as estações do ano no período da viagem”, observa Spighel.

CULTURA

Nos Estados Unidos é possível conhecer pessoas de todos os países. Há lugares mais turísticos como Miami e Nova Iorque, onde é possível ter contato com diversas culturas em poucos passos. Antes de decidir, vale a pena levar em conta se deseja conhecer mais apenas sobre os EUA ou se também é válido vivenciar outras experiências. “Pelos EUA, escolhendo cidades maiores, o choque cultural é maior. Cada esquina apresenta um pouco de outros países. Se a finalidade é apenas estudar e aprimorar o inglês, é viável escolher cidades mais fora do cenário turístico, para ter uma experiência 100% estadounidense”, finaliza.