Esporte

Iguaçuense Márcio Bortolini conquista vice-campeonato no Super Bike Brasil

O domingo (4) não foi dos melhores para o piloto de motovelocidade iguaçuense Marcio Bortolini.  Ele tinha chances de tornar-se campeão brasileiro de motovelocidade, na categoria 600 SuperSport ProAM, no Super Bike Brasil, mas uma queda feia na primeira corrida atrapalhou os planos. 

“Perdi o campeonato e ainda tivemos que montar uma moto nova para a segunda corrida. Não bastasse tudo isso, na segunda corrida tive que largar dos boxes, o que é pior que largar em último. Apenas quando o último colocado passou pela reta é que me liberaram para sair dos boxes. Fiz muitas ultrapassagens, em uma corrida de recuperação, ultrapassei 22 pilotos e consegui garantir o pódio e o posto de vice-campeão”, relatou Marcio em sua página no Facebook. 

“Queria muito levar o título para Foz, mas não foi dessa vez. Estou muito contente com meu desempenho, mesmo com todas as adversidades do ano, aprendi e evoluí muito. Agora é hora de tirar férias e curtir meus dois maiores títulos, o de pai do João e o de futuro papai da sementinha que a Ju Ronsoni traz em seu ventre”. 

O piloto

Bortolini começou a correr em 2006, como uma brincadeira entre amigos, mas logo no primeiro ano venceu todas as corridas das quais participou nas categorias 125 cc e 150 cc. 

Em 2008, disputou, na categoria 250 cc, o Campeonato Brasileiro em Interlagos, maior pista brasileira de corrida. Também participou de outras provas no Paraná e ganhou algumas medalhas.

Depois de alguns anos sem correr por falta de patrocínio, em dezembro de 2014 participou da última etapa do Moto 1000 GP Petrobras no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Entre as 19 motos que participaram, ele terminou a prova na nona colocação. 

Em 2015, voltou às pistas. Logo em sua primeira prova, na 2ª etapa da temporada, em Cascavel, como diz na gíria automobilística ele fez barba, cabelo e bigode. Márcio foi o melhor entre os 15 pilotos nos treino; fez a pole, esteve primeiro nas 20 voltas do circuito – considerado um dos mais rápidos do Brasil -, e venceu a prova.

Ao longo das outras seis provas que participou, Bortolini conquistou outros dois pódios. Em julho, em Campo Grande, chegou em terceiro lugar e na sexta etapa, em Goiânia, ele repetiu o feito assim como em Curitiba.  Em três etapas, o piloto iguaçuense liderava as corridas, mas por problemas na moto, abandonou as pistas. 

Com os resultados de 2015, Bortolini conseguiu patrocínio e passou a fazer parte da equipe Honda. 

 

Deixe uma resposta