Esporte

Iguaçuenses vencem primeira etapa do Campeonato Paranaense de Slackline

 

O segundo colocado na categoria Elite foi David André Moreira Santos (32), de Curitiba. O terceiro lugar ficou com Anderson Pupo, o Lagartixa (24), da cidade de Arapongas. Na categoria Feminino, as atletas Dalva Machado (17) e Sarinha Peniaski (13), ambas de Foz do Iguaçu, conquistaram o segundo e o terceiro lugar respectivamente. O curitibano Felipe Arakawa (30) levou o prêmio de atleta-revelação do campeonato.

A competição integrou o Festival Itaipu Slack SUP Day e a última fase do Projeto Mais Verão 2016.

Desafios

Campeã do circuito paranaense em 2015, Ana Carolina Andrade disse que participar da competição é sempre um grande desafio pessoal. “Fico muito feliz porque este é meu maior desafio. Treinar é uma coisa, mas competir e estar no meio das pessoas é sempre mais difícil. Geralmente eu fico muito nervosa, mas desta vez fiquei mais à vontade porque conhecia a galera”, afirmou.

Hallan, também campeão estadual no ano passado, ressaltou que participar da competição ao lado de grandes atletas do Paraná foi uma honra. “Minha participação foi bem além das minhas expectativas. Eu tinha lesionado o tornozelo há uma semana e estava com medo que isso me prejudicasse, mas me concentrei bastante, e a energia do público também foi essencial pra conquistar a vitória. Agora pretendo focar mais nos treinos, porque o nível de dificuldade do Campeonato Paranaense está cada vez mais alto, e os atletas estão evoluindo muito também”, declarou o vencedor, que figura na lista dos 20 melhores atletas do mundo.

As competições começaram às 10 horas e terminaram no fim da tarde de domingo (21). As batalhas foram divididas em três categorias: Acesso (para atletas iniciantes), Feminino e Elite. Os primeiros colocados em cada categoria levaram o prêmio de R$ 300 cada um;os vice-campeões, R$ 200; e os terceiros colocados, R$ 100. O atleta-revelação também foi premiado com R$ 100. Os demais participantes receberam medalhas.

Avaliação

A primeira etapa da competição já é considerada a maior do Brasil e a com mais atletas do mesmo estado inscritos (30), isso porque, geralmente, as demais competições estaduais atraem participantes de outros estados. “O evento prova que o trabalho desenvolvido pela ADERE e a Itaipu Binacional vem surtindo efeito”, destacou Raby Khalil, presidente da ADERE (Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia).

Evento permanente

Promovido pela Itaipu Binacional e ADERE, com apoio do Conselho Municipal de Turismo de Guaíra (Comturg), Prefeitura de Guaíra e Secretaria de Turismo, e com produção da River Games Sport Business, o festival contou com uma ampla estrutura para a competição e para as oficinas de stand-up paddle, que aconteceram durante o fim de semana à beira do Rio Paraná.

O prefeito de Guaíra, Fabian Vendruscolo, elogiou a estrutura do campeonato e disse que pretende torná-lo um evento oficial do município. “O espaço [Centro Náutico Marinas] foi construído há 20 anos, mas até hoje não se consolidou porque o custo de manutenção é muito alto. A prefeitura, sozinha, não teria condições de organizar um evento como este, por isso temos a intenção de manter a parceria com a ADERE e a Itaipu e fixar a primeira etapa do Campeonato Paranaense no nosso calendário”, revelou.

O secretário de Turismo, Gileade Osti, informou que o município tem a intenção de desenvolver novos projetos esportivos para também valorizar o Centro Náutico. “Estamos muito contentes com a parceria. O Conselho de Turismo foi recentemente ativado, e para nós é motivo de orgulho participar deste evento. Guaíra, assim como Foz, tem uma natureza exuberante e pode ser bem explorada com os esportes radicais. Estamos animados com essa idéia”.

O presidente da ADERE lembrou que o apoio da Prefeitura de Guaíra foi fundamental para a realização do campeonato. “A cidade esteve muito engajada com a organização do evento. Eles não pouparam esforços para nos ajudar e mobilizaram uma equipe de voluntários da Secretaria de Turismo e do Comturg, que esteve com a gente todo o fim de semana. Sem o apoio deles, não seria possível fazer este evento”, frisou Khalil.

Stand-Up Paddle

Além da competição de slackline, o Festival Itaipu Slack SUP Day ofereceu oficinas de stand-up paddle (SUP) para iniciantes no Rio Paraná. Centenas de moradores, especialmente crianças e jovens, participaram das atividades durante todo o sábado e domingo.

Organizador das oficinas e secretário-executivo da ADERE, Tacius Lima disse que grande parte das pessoas que foram até o Centro Náutico não conhecia a prática do esporte – que consiste na remada em pé sobre uma prancha (semelhante à de surfe). “Os moradores não conheciam o esporte, salvo alguma outra pessoa que já estava mais antenada, mas em geral ninguém conhecia e eles curtiram muito. Nossa intenção era exatamente essa, fazer com que as pessoas se interessem e criar uma rede de conexão com o esporte, o turismo e o fomento de negócios”, concluiu.

Próximos eventos

O Festival Itaipu Slack SUP Day foi encerrado na noite de domingo com a premiação dos atletas e shows do grupo de rap Terceiro Milênio e da banda Bob Kurupi, de Foz do Iguaçu. A organização ainda não divulgou a cidade onde será disputada a segunda etapa do campeonato, mas adiantou que ocorrerá ainda no primeiro semestre. A terceira e última etapa acontecerá na capital, Curitiba, no segundo semestre do ano.

 

Texto: Thays Petters

Fotos: Marcos Labanca

 

 

 

Deixe uma resposta