Lançamentos

No segundo dia, “Expedição Nissan: Na Rota dos Patrimônios do Brasil” muito barro e adrenalina rumo a Santa Catarina

O segundo dia da “Expedição Nissan: Na Rota dos Patrimônios do Brasil” foi dedicado ao deslocamento do Rio Grande do Sul à Santa Catarina, rumo ao próximo patrimônio da humanidade que será visitado pelos expedicionários nesta quinta-feira.
A frota de 14 Nissan Frontier percorreu 500 km de estradas asfaltadas e trechos pesados de fora de estrada, nos quais foi possível colocar as qualidades e toda a tecnologia da picape fabricada na Argentina à prova.

O deslocamento foi de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, até Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina. No trajeto, além de passar por diferentes paisagens típicas da região, o grupo teve uma experiência curiosa: um almoço dentro de uma mina, na cidade de Ametista do Sul, um município de 7,5 mil habitantes. Conhecido como como capital mundial da Ametista.


Dentro da mina também tem um um hotel. O lugar é incrivelmente brilhante. Exótico. As mesas, chopeiras e todos os enfeites são de pedras, todas retiradas da própria mina. Ela fica embaixo do Hospital da cidade e desta mina são extraídas 400 toneladas de Ametista por mês.
Quanto mais roxa e escura, mais valiosa.
Depois do almoço, os expedicionários  puderam conferir como é feita a extração das pedras.
As pedras foram formadas pelo aquecimento das águas do Aquífero Guarani.


Em Dionísio Cerqueira, já em Santa Catarina, o grupo também assistiu a uma apresentação sobre o contexto das missões e a região do Parque Nacional do Iguaçu de Ivan Carlos Bapstiston, chefe do parque, que está sob a gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do federal que é responsável pelos parques nacionais.

“Expedição Nissan”
Reconhecida nacionalmente e internacionalmente pela sua proposta atrevida, a Expedição Nissan voltou às estradas do Brasil. O conceito segue o mesmo da primeira edição do projeto, realizada em 2017 e 2018: o compromisso da Nissan de estar cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros, unindo os produtos da marca com ações que contribuam com o país. Não é um passeio para falar do produto, mas uma expedição temática para contribuir com a divulgação de patrimônios e aspectos históricos, culturais e naturais do Brasil.

A nova edição da Expedição Nissan está percorrendo estradas e trilhas com um novo tema. Se na primeira o foco foram as pinturas rupestres, agora os expedicionários irão seguir na “Rota dos Patrimônios do Brasil”. Mas as características que tornaram o projeto um sucesso para a divulgação das riquezas do país estão todas mantidas: além de irem aos locais que ressaltam o tema do projeto, há o acompanhamento de pesquisadores e especialistas em cada lugar e também imersão na rica cultura e tradições das regiões por onde passa a frota de picapes Nissan Frontier.

Outra novidade está exatamente ligada à Nissan Frontier. A expedição é formada por uma frota de 14 picapes produzidas na fábrica de Córdoba, na Argentina, que têm ainda mais versões, equipamentos e evoluções mecânicas e de projeto em comparação aos modelos usados na edição anterior, que eram importados do México. A Nissan Frontier é mais do que força, por isso uma combinação de tecnologias permite extrair o máximo em desempenho no fora-de-estrada e garantir uma condução confortável, fundamental para superar os longos trechos percorridos pela expedição.

O conceito diferenciado, que valoriza a divulgação histórica e cultural e destaca o dia a dia das regiões visitadas, ao mesmo tempo que garante uma experiência real de condução de um veículo, fez a “Expedição Nissan” receber inúmeros reconhecimentos, como o Prêmio Aberje 2018, na categoria Eventos, e Certificate of Excellence do SABRE Awards Latin America 2018. E o livro que resume a primeira edição do projeto acaba de receber o Prêmio Aberje 2019 na categoria Publicação Especial.

Deixe uma resposta