Esporte

Rio 2016: passagem da Tocha Olímpica leva milhares de pessoas ao Gramadão da Vila A

 

O revezamento começou às 15h em frente ao 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado (Bimec), na Avenida República Argentina (centro). De lá, passou pelas principais vias e marcos da cidade, como as praças do Mitre e da Bíblia e a Mesquita Omar Ibn Al-Khatab.

Em todo o percurso de 20 quilômetros, a tocha foi carregada por mais de 100 condutores, alternadamente. O último trecho foi percorrido pelo ativista esportivo e ambiental Tacius Lima, que recebeu a tocha das mãos do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.

Cercados pela multidão, Tacius e Samek correram os últimos metros do revezamento, até alcançar a rampa que levava ao palco do Gramadão. Lá, foi acesa a pira de celebração, o momento mais aguardado do revezamento na cidade.

Emocionado, Samek disse que Foz do Iguaçu é uma das cidades mais lindas do mundo, tem as Cataratas do Iguaçu, a usina de Itaipu Binacional, faz fronteira com três países (Brasil, Paraguai e Argentina) e abriga mais de 80 etnias diferentes, que convivem em harmonia. “Por isso, em nome de Foz, desejo que essa Olimpíada marque época no sentido de construir um mundo cada vez melhor”, afirmou.

Samek lembrou ainda que é filho da terra – ele nasceu em Foz do Iguaçu –, viveu a grande transformação da cidade com a instalação de Itaipu, e hoje tem “a honra de dirigir uma empresa considerada modelo na produção de energia e integração dos povos”.

“Este é um momento ímpar que eu vou levar eternamente gravado. Um sentimento de emoção muito forte que eu quero compartilhar com todos os que ajudaram a fazer desta cidade uma das mais importantes do Paraná e do Brasil”, completou.

O superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, que também participou do revezamento, disse que carregar a tocha “foi um privilégio, um fato marcante na minha vida e uma oportunidade única, porque talvez ela nunca mais passe por aqui”. “A imagem da tocha em Foz do Iguaçu vai percorrer o mundo pela beleza dos nossos atrativos”, disse.

E completou: “Na Olimpíada, há sempre um filme da passagem da tocha da edição anterior. E certamente Foz do Iguaçu estará entre os melhores momentos da condução da tocha pelo Brasil neste vídeo nos Jogos de Tóquio (2020). Esta imagem ficará eternizada na divulgação da mídia e na memória de todos”.

O coordenador local do evento, Paulo Chrusciak, da Secretaria Municipal de Esportes, informou que Foz do Iguaçu foi a cidade que mais teve cadastramento de veículos de comunicação para acompanhar a passagem da tocha, incluindo 30 estrangeiros. “Essa boa imagem da cidade será levada para todo o mundo.”

  

Marcos Zvir um dos representantes dos Correios, em Foz do Iguaçu.

Rock e acordeão

O público que foi até o Gramadão para ver a chegada da Tocha Olímpica foi recebido por diversas atrações musicais, de diferentes estilos. Patrocinadores do evento levaram réplicas das tocha para que as pessoas pudessem tirar fotos e publicar nas redes sociais. O clima era de festa.

O primeiro grupo a subir no palco, às 16h30, foi a banda Teleféricu’s, que tocou sucessos do rock nacional dos anos 80 e 90 – de bandas como Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho e Titãs.

Na sequência, Tiago Rossato, considerado um dos mais respeitados acordeonistas de gaita ponto do Brasil, apresentou uma seleção de músicas e estilos que representam as tradições culturais da região, como tango, guarânia, milonga, chamamé, música gaúcha e até referências árabes.

Confraternização, amizade, festa, esporte, vida. Revezamento da Tocha Olímpica uniu anônimos e famosos.

Logo após a cerimônia oficial de entrega da tocha, a pira foi apagada e o fogo olímpico transferido para um pequeno lampião. De Foz, o revezamento da tocha segue para Pato Branco. O resto da noite foi comandada pela Orquestra Paranaense de Viola Caipira e a acordeonista Maryanne Francescon.

Fonte: Assessoria 

Deixe uma resposta